Boatos sobre queda de avião mobilizam bombeiros

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Apesar de não ter sido confirmado o acidente, bombeiros foram mobilizados no Estado
Apesar de não ter sido confirmado o acidente, bombeiros foram mobilizados no Estado

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/09/2018 às 06:59:00

 

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Sergipe, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e da Força Aérea Brasileira (FAB) seguem sem confirmar a possível queda de um avião de pequeno porte nas mediações da Praia da Costa, região Norte do litoral sergipano. A suspeita de acidente aéreo foi apresentado na manhã de ontem por volta das 9h30, quando pescadores e um grupo de moradores entraram em contato com o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e informaram ter presenciado um clarão em alto mar. Até o início da noite de ontem a direção da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), também não confirmou o sinistro.
Apesar da garantia apresentada por vários moradores, ou transeuntes, de acordo com o capitão Teixeira, comandante do Destacamento do Controle do Espaço Aéreo em Sergipe, a queda não foiconfirmada e não há registros do suposto avião no espaço aéreo sergipano. Diante da incógnita gerada em torno desse assunto, os órgãos de fiscalização e análise seguem investigando os fatos diante da perspectiva de entender o que houve na manhã de segunda-feira atípica na região praiana, ainda pertencente ao município de Barra dos Coqueiros. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a FAB coordena as investigações por se tratar de uma região de responsabilidade da União.
"No horário e local mencionado em que teria havido a queda não tinha plano de voo da aeronave, não tinha previsão de nenhuma aeronave voando ou que teria acionado a torre de controle. Estamos aguardando a confirmação para se necessário enviar resgate. Todos os procedimentos iniciais de análise das suspeitas foram devidamente cumpridos, mas nenhum indício de acidente aéreo foi confirmado até o momento. Apesar disso, as análises permanecem até que se descarte, ou não, as suspeitas", afirma o capitão. No primeiro momento, agentes da Polícia Militar também contribuíram com as investigações.
Para hoje estão previstas novas análises da região que fica 13 km de distância do centro de Aracaju, capital sergipana. A proposta das equipes é promover mais uma série de investigações a fim de arquivar as denúncias, ou confirmar a queda da aeronave. "Por se tratar de uma demanda defendida por populares que garantiram ter assistido a fatalidade, outros estudos serão realizados e ainda no início da tarde será possível oficializar se as análises serão prosseguidas, ou arquivadas", declarou o comandante do Destacamento do Controle do Espaço Aéreo em Sergipe. (Milton Alves Júnior)

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Sergipe, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e da Força Aérea Brasileira (FAB) seguem sem confirmar a possível queda de um avião de pequeno porte nas mediações da Praia da Costa, região Norte do litoral sergipano. A suspeita de acidente aéreo foi apresentado na manhã de ontem por volta das 9h30, quando pescadores e um grupo de moradores entraram em contato com o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e informaram ter presenciado um clarão em alto mar. Até o início da noite de ontem a direção da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), também não confirmou o sinistro.
Apesar da garantia apresentada por vários moradores, ou transeuntes, de acordo com o capitão Teixeira, comandante do Destacamento do Controle do Espaço Aéreo em Sergipe, a queda não foiconfirmada e não há registros do suposto avião no espaço aéreo sergipano. Diante da incógnita gerada em torno desse assunto, os órgãos de fiscalização e análise seguem investigando os fatos diante da perspectiva de entender o que houve na manhã de segunda-feira atípica na região praiana, ainda pertencente ao município de Barra dos Coqueiros. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a FAB coordena as investigações por se tratar de uma região de responsabilidade da União.
"No horário e local mencionado em que teria havido a queda não tinha plano de voo da aeronave, não tinha previsão de nenhuma aeronave voando ou que teria acionado a torre de controle. Estamos aguardando a confirmação para se necessário enviar resgate. Todos os procedimentos iniciais de análise das suspeitas foram devidamente cumpridos, mas nenhum indício de acidente aéreo foi confirmado até o momento. Apesar disso, as análises permanecem até que se descarte, ou não, as suspeitas", afirma o capitão. No primeiro momento, agentes da Polícia Militar também contribuíram com as investigações.
Para hoje estão previstas novas análises da região que fica 13 km de distância do centro de Aracaju, capital sergipana. A proposta das equipes é promover mais uma série de investigações a fim de arquivar as denúncias, ou confirmar a queda da aeronave. "Por se tratar de uma demanda defendida por populares que garantiram ter assistido a fatalidade, outros estudos serão realizados e ainda no início da tarde será possível oficializar se as análises serão prosseguidas, ou arquivadas", declarou o comandante do Destacamento do Controle do Espaço Aéreo em Sergipe. (Milton Alves Júnior)