"Ou serei senador com a força da indignação ou voltarei para o meu escritório", diz Henri Clay

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Belivaldo durante carreata  m Riachão do Dantas
Belivaldo durante carreata m Riachão do Dantas

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/09/2018 às 07:05:00

 

O presidente licenciado da Ordem dos Advogados do Brasil em Sergipe (OAB/SE) e candidato ao Senado pelo PPL, Henri Clay Andrade, voltou a deixar claro os motivos que o levaram a entrar para a política, e também quais os princípios que nortearão esse novo caminho para ele.
"É preciso chegar lá com a força da indignação do povo sergipano. Não vou vender a minha alma para ser senador. Ou serei senador com a força da indignação ou voltarei para o meu escritório. Farei no Senado o que sempre fiz na advocacia. Defendi por mais de 25 anos as causas dos trabalhadores", disse Henri Clay em entrevista concedida ontem à Rádio Comércio.
Na oportunidade, o advogado também fez questão de se colocar novamente contrário às reformas trabalhistas e previdenciária, além das políticas praticadas pelo presidente Michel Temer que, segundo ele, é uma tragédia social.
"Sou contra, veementemente contra, frontalmente contra essa reforma trabalhista, que, na verdade, significa uma demolição dos direitos dos trabalhadores e afeta a economia nacional. Por isso, no Senado, a primeira coisa que vou propor assim que tomar posse será a revogação da reforma trabalhista", pontuou o candidato.
E continuou: "É uma política que beneficia o capital estrangeiro. Sou oposição ferrenha a Michel Temer e a todos os que o defendem. Temos que lutar de forma ferrenha contra essa tragédia social que é o governo Temer", afirmou Henri Clay.

O presidente licenciado da Ordem dos Advogados do Brasil em Sergipe (OAB/SE) e candidato ao Senado pelo PPL, Henri Clay Andrade, voltou a deixar claro os motivos que o levaram a entrar para a política, e também quais os princípios que nortearão esse novo caminho para ele.
"É preciso chegar lá com a força da indignação do povo sergipano. Não vou vender a minha alma para ser senador. Ou serei senador com a força da indignação ou voltarei para o meu escritório. Farei no Senado o que sempre fiz na advocacia. Defendi por mais de 25 anos as causas dos trabalhadores", disse Henri Clay em entrevista concedida ontem à Rádio Comércio.
Na oportunidade, o advogado também fez questão de se colocar novamente contrário às reformas trabalhistas e previdenciária, além das políticas praticadas pelo presidente Michel Temer que, segundo ele, é uma tragédia social.
"Sou contra, veementemente contra, frontalmente contra essa reforma trabalhista, que, na verdade, significa uma demolição dos direitos dos trabalhadores e afeta a economia nacional. Por isso, no Senado, a primeira coisa que vou propor assim que tomar posse será a revogação da reforma trabalhista", pontuou o candidato.
E continuou: "É uma política que beneficia o capital estrangeiro. Sou oposição ferrenha a Michel Temer e a todos os que o defendem. Temos que lutar de forma ferrenha contra essa tragédia social que é o governo Temer", afirmou Henri Clay.