Saúde confirma terceiro caso de sarampo em Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/09/2018 às 07:02:00

 

Milton Alves Júnior
O Governo de Sergi
pe confirmou na 
tarde de ontem o terceiro caso de sarampo registrado no Estado; os três confirmados na capital, Aracaju. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde a mais recente vítima trata-se de uma enfermeira, de 28 anos, a qual teve contato direto com um adolescente de 15 anos que contraiu o vírus durante as férias em Manaus. A notificação foi oficializada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), junto à Vigilância Sanitária Estadual. Cooperando com as análises, peritos do Laboratório Central de Saúde do Estado de Sergipe (Lacen), seguem investigando outras 18 suspeitas. Cerca de 80% das suspeitas estão em Aracaju.
Na tentativa de minimizar os riscos de novos casos, a SES informou essa semana que a campanha de vacinação unificada segue até próxima sexta-feira, 14, para aqueles municípios que estão abaixo da meta mínima que é 95%. Até o início da tarde de ontem seis cidades continuavam abaixo da meta, sendo elas: Cedro de São João - 91,22%, Nossa Senhora das Dores - 92,07%, Propriá - 91,61%, Aracaju - 89,34%, Gararu - 88,63% e Tomar do Geru - 84,09%. Ao contrário de campanhas anteriores, a capital segue enfrentando dificuldades em virtude de sucessivas mobilizações grevistas e/ou paredistas protagonizadas por médicos e agentes de saúde.
De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde, Mércia Feitosa, os investigadores já esperavam pela confirmação do caso mais recente. A especialista indica que a enfermeira não deve ser apontada como caso novo. "Não temos nenhuma nova notificação. Estes dois casos já estavam em análise na Fiocruz e para os quais nós pedimos prioridade justamente porque acreditávamos que o resultado seria positivo. Em casos suspeitos de sarampo também orientamos os municípios a procederem imediata notificação, bem como o bloqueio vacinal e a realização de exames de sangue, urina e orofaringe nas pessoas", disse.
Apesar de o foco dessa campanha ser as crianças com idades entre um e cinco anos, o Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde garantem que os medicamentos seguem à disposição, também, de pessoas fora dessa faixa etária. A proposta é que a vacina tríplice viral, que combate o sarampo, mas protege também contra a caxumba e a rubéola é de rotina, siga disponível nos postos de saúde para os brasileiros que possuem até 49 anos de idade.

O Governo de Sergi pe confirmou na  tarde de ontem o terceiro caso de sarampo registrado no Estado; os três confirmados na capital, Aracaju. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde a mais recente vítima trata-se de uma enfermeira, de 28 anos, a qual teve contato direto com um adolescente de 15 anos que contraiu o vírus durante as férias em Manaus. A notificação foi oficializada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), junto à Vigilância Sanitária Estadual. Cooperando com as análises, peritos do Laboratório Central de Saúde do Estado de Sergipe (Lacen), seguem investigando outras 18 suspeitas. Cerca de 80% das suspeitas estão em Aracaju.
Na tentativa de minimizar os riscos de novos casos, a SES informou essa semana que a campanha de vacinação unificada segue até próxima sexta-feira, 14, para aqueles municípios que estão abaixo da meta mínima que é 95%. Até o início da tarde de ontem seis cidades continuavam abaixo da meta, sendo elas: Cedro de São João - 91,22%, Nossa Senhora das Dores - 92,07%, Propriá - 91,61%, Aracaju - 89,34%, Gararu - 88,63% e Tomar do Geru - 84,09%. Ao contrário de campanhas anteriores, a capital segue enfrentando dificuldades em virtude de sucessivas mobilizações grevistas e/ou paredistas protagonizadas por médicos e agentes de saúde.
De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde, Mércia Feitosa, os investigadores já esperavam pela confirmação do caso mais recente. A especialista indica que a enfermeira não deve ser apontada como caso novo. "Não temos nenhuma nova notificação. Estes dois casos já estavam em análise na Fiocruz e para os quais nós pedimos prioridade justamente porque acreditávamos que o resultado seria positivo. Em casos suspeitos de sarampo também orientamos os municípios a procederem imediata notificação, bem como o bloqueio vacinal e a realização de exames de sangue, urina e orofaringe nas pessoas", disse.
Apesar de o foco dessa campanha ser as crianças com idades entre um e cinco anos, o Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde garantem que os medicamentos seguem à disposição, também, de pessoas fora dessa faixa etária. A proposta é que a vacina tríplice viral, que combate o sarampo, mas protege também contra a caxumba e a rubéola é de rotina, siga disponível nos postos de saúde para os brasileiros que possuem até 49 anos de idade.