Está explicado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Os assentados de Poço Redondo, Porto da Folha, Gararu e Capela serão os novos contemplados com a concessão de crédito e de títulos definitivos de propriedade emitidos pelo Instituto Nacional de colonização e Reforma Agrária (Incra) a partir desta quarta-f
Os assentados de Poço Redondo, Porto da Folha, Gararu e Capela serão os novos contemplados com a concessão de crédito e de títulos definitivos de propriedade emitidos pelo Instituto Nacional de colonização e Reforma Agrária (Incra) a partir desta quarta-f

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 12/09/2018 às 07:09:00

 

Os candidatos a um cargo eletivo conti
nuam impressionados com a "frieza" do 
povo com relação às eleições deste ano mesmo já estando a 25 dias do pleito eleitoral.
Revelam que eles passam em carreatas nos bairros da capital e cidades do interior e não existe mais aquele clima efervescente de campanha eleitoral, quando o eleitor ia para as ruas saudar o seu candidato.
Para alguns candidatos em conversa com a coluna, esse cenário só tem a ver com a indiferença e decepção da população com a classe política, em razão dos vários escândalos de corrupção no país, da crise econômica, ética e moral.
Segundo dois deputados estaduais candidatos a reeleição, essa falta de empatia política em Sergipe tem a ver também com o fato dos candidatos a governador não conseguirem empolgar o eleitorado.
No entendimento deles, isso está ficando evidente mesmo com o início do programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão desde o dia 31 de agosto.
Acham que a população não está assistindo ao programa eleitoral por não haver candidatos a governador que empolguem, que façam a pessoa deixar seus afazeres para assistir a televisão no horário político.
Citam que as eleições para governador não tem mais um Marcelo Déda, um João Alves, um Albano Franco. Segundo eles, esses três líderes políticos tinham grandes seguidores e como não estão mais na disputa eleitoral, a eleição perdeu o clima de disputa acirrada, com o eleitor usando camisa com a cor que representava o seu candidato.
Faz sentido esse entendimento político sobre a apatia do eleitorado com relação às eleições deste ano. Não faz muito tempo que no período eleitoral o eleitor de Marcelo Déda, que foi governador por dois mandatos, usava a camisa vermelha e colocava estrela no peito para explicitar que votava no candidato petista.
O mesmo acontecia com o eleitor de Albano Franco, que foi governador por dois mandatos, usava a camisa azul para externar publicamente que era eleitor do candidato tucano.  O eleitor de João Alves, que foi três vezes governador de Sergipe, também passou a ser identificado pela camisa verde.
João Alves, que tinha sua marca pelo uso do chapéu de couro, teve que se modernizar com a utilização de uma cor partidária e adotou a cor verde. Seus eleitores passaram a ser identificados por essa cor.
Como essas três lideranças estão fora das eleições - Déda por morte e João e Albano por aposentadoria política - a eleição deste ano parece ter mesmo perdido a cor e o brilho. As novas lideranças que estão na disputa majoritária realmente não estão conseguindo empolgar o eleitor.
Trocando em miúdos, não se pode esperar uma Arena Batistão lotada em uma final do campeonato sergipano em que não estejam na disputa Sergipe e Confiança, cujos torcedores pegam suas bandeiras e vestem suas camisas azuis e vermelhas para torcer pelos seus times.
Imagine uma final de campeonato sergipano com Lagartense e Dorense?

Os candidatos a um cargo eletivo conti nuam impressionados com a "frieza" do  povo com relação às eleições deste ano mesmo já estando a 25 dias do pleito eleitoral.
Revelam que eles passam em carreatas nos bairros da capital e cidades do interior e não existe mais aquele clima efervescente de campanha eleitoral, quando o eleitor ia para as ruas saudar o seu candidato.
Para alguns candidatos em conversa com a coluna, esse cenário só tem a ver com a indiferença e decepção da população com a classe política, em razão dos vários escândalos de corrupção no país, da crise econômica, ética e moral.
Segundo dois deputados estaduais candidatos a reeleição, essa falta de empatia política em Sergipe tem a ver também com o fato dos candidatos a governador não conseguirem empolgar o eleitorado.
No entendimento deles, isso está ficando evidente mesmo com o início do programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão desde o dia 31 de agosto.
Acham que a população não está assistindo ao programa eleitoral por não haver candidatos a governador que empolguem, que façam a pessoa deixar seus afazeres para assistir a televisão no horário político.
Citam que as eleições para governador não tem mais um Marcelo Déda, um João Alves, um Albano Franco. Segundo eles, esses três líderes políticos tinham grandes seguidores e como não estão mais na disputa eleitoral, a eleição perdeu o clima de disputa acirrada, com o eleitor usando camisa com a cor que representava o seu candidato.
Faz sentido esse entendimento político sobre a apatia do eleitorado com relação às eleições deste ano. Não faz muito tempo que no período eleitoral o eleitor de Marcelo Déda, que foi governador por dois mandatos, usava a camisa vermelha e colocava estrela no peito para explicitar que votava no candidato petista.
O mesmo acontecia com o eleitor de Albano Franco, que foi governador por dois mandatos, usava a camisa azul para externar publicamente que era eleitor do candidato tucano.  O eleitor de João Alves, que foi três vezes governador de Sergipe, também passou a ser identificado pela camisa verde.
João Alves, que tinha sua marca pelo uso do chapéu de couro, teve que se modernizar com a utilização de uma cor partidária e adotou a cor verde. Seus eleitores passaram a ser identificados por essa cor.
Como essas três lideranças estão fora das eleições - Déda por morte e João e Albano por aposentadoria política - a eleição deste ano parece ter mesmo perdido a cor e o brilho. As novas lideranças que estão na disputa majoritária realmente não estão conseguindo empolgar o eleitor.
Trocando em miúdos, não se pode esperar uma Arena Batistão lotada em uma final do campeonato sergipano em que não estejam na disputa Sergipe e Confiança, cujos torcedores pegam suas bandeiras e vestem suas camisas azuis e vermelhas para torcer pelos seus times.
Imagine uma final de campeonato sergipano com Lagartense e Dorense?

Nova decisão judicial

Mesmo com um programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão morno, nos bastidores continua sendo travada disputa judicial entre os três principais candidatos a governador. Agora, por decisão judicial, a coligação encabeçada pelo deputado federal Valadares Filho (PSB) não poderá mais  ser chamada da "turma de Temer" pela coligação do candidato a governador Belivaldo Chagas (PSD).

Candidatura indeferida 1

Durante sessão realizada ontem à tarde, o pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) indeferiu, por unanimidade, o pedido de registro de candidatura do candidato a deputado federal, Manoel Sukita (PTC), após julgar o pedido de impugnação feito pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE).

Candidatura indeferida 2

Sukita foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa por possuir condenação criminal transitada em julgado, condenação em segundo grau, condenação por improbidade administrativa e contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União e do Estado de Sergipe, quando prefeito de Capela.  Segundo a procuradora eleitoral, Eunice Dantas, "em cifras de 2013, contabiliza-se mais de um milhão em prejuízo aos cofres públicos pelos crimes praticados pelo pretenso candidato".

Não acatou

Como cabe recurso no TSE, o pleno não acatou pedido da representante do Ministério Público Eleitoral, Eunice Dantas, para que com o indeferimento da candidatura Sukita não pudesse se utilizar do financiamento público de campanha, por ser recurso público, e não pudesse participar do programa eleitoral. Enfatizou que esse entendimento vem sendo adotado em outros tribunais eleitorais do país, sendo o caso mais famoso o do ex-presidente Lula. O TRE não acatou, entendendo que o candidato pode ser prejudicado caso ganhe recurso em outra instância.  

Suplentes indeferidos 1

Na sessão plenária de ontem, o TRE indeferiu o registro dos dois suplentes de senador de André Moura (PSC): Aguinaldo de Verso (PR), que é 1º suplente, e Edvaldo (PTC), que é 2º suplente. Atendeu pedido do Ministério Público Eleitoral.

Suplentes indeferidos 2

Aguinaldo do Verso teve a sua candidatura impugnada por 6x1 ao ser enquadrado na Lei do Ficha Limpa. Ele possui condenação criminal transitada em julgado e condenação em segundo grau. Foi condenado pela Justiça Federal por crime contra o patrimônio, na modalidade de usurpação, produzir bens ou explorar matéria-prima pertencentes à União, sem autorização legal ou em desacordo com as obrigações impostas pelo título autorizativo, segundo acusação do MPE.

Suplentes indeferidos 3

Já Edvaldo, teve sua candidatura indeferida por 4 votos a 3, por não ter apresentado uma certidão criminal exigida pela Justiça Eleitoral. Tanto o primeiro quanto o segundo suplente de senador podem recorrer ao TSE.

Fora do pleito

Também na sessão de ontem do pleno do TRE, os membros, por unanimidade, não acolheram os embargos do PSL, mantendo o partido não habilitado a participar das eleições deste ano por não ter cumprido a cota de gênero. Assim sendo, o candidato a governador João Tarantella e demais candidatos do partido estão inelegíveis.  Cabe recurso no TSE.

Deferimento de candidatura

Ainda ontem o TRE deferiu o pedido de registro de candidatura do candidato a governador Eduardo Amorim (PSDB), do seu vice Ivan Leite (PRB) e dos candidatos a senador André Moura (PSC) e Adelson Alves (Patriota). Assim como do candidato a deputado federal Bosco Costa (PSDB).

Julgados 1

Com a decisão ontem do TRE, já foram julgados todos os pedidos de registros dos candidatos a governador por Sergipe. O único que foi indeferido foi o de João Tarantella (PSL), que mesmo assim segue em campanha eleitoral.

Julgados 2

Também para vice-governador, com o julgamento ontem do pedido de registro de candidatura de Ivan Leite, vice de Eduardo Amorim, o TRE já julgou todos os pedidos de registro dos nove candidatos a vice-governador. Só teve o indeferimento da candidatura de Hélio Rubens (PSL), pelo fato do seu partido não ter respeitado a cota de gênero.

Julgados 3

Já para o Senado, com o julgamento ontem dos pedidos de registro de André Moura e Adelson Alves, o TRE já julgou todos os 14 pedidos de registro dos candidatos ao Senado. Os únicos indeferimentos foram com as candidaturas de Cadu Silva (PSL) e Betinho (PMB).  

Novo prefeito     

O presidente da Câmara Municipal de Areia Branca, Reginaldo da Silva Santos, o Perna, assumiu anteontem à noite, interinamente, o comando da Prefeitura Municipal mediante decisão judicial de cassação do mandato do prefeito Andrelino Nunes Santos (PSC), conhecido com Alan de Agripino, e do seu vice José Francisco das Chagas Filho, pela acusação de compra de voto nas eleições 2016.

Tumulto

A coluna tem informações de que inconformado com a perda do mandato, Alan de Agripino tenta tumultuar a gestão de Reginaldo pedindo aos cargos comissionados para que não compareçam para trabalhar.

Lamento

O prefeito interino lamenta com o que vem ocorrendo. Diz que pesa sobre a sua pessoa, como presidente da Câmara, a responsabilidade constitucional de assumir interinamente a Prefeitura de Areia Branca e que nesse período fará o melhor pelo município e sua população, sempre visando o bem estar do cidadão areia branquense.

Primeiro mandato

O Perna, como é conhecido, está no exercício do primeiro mandato de vereador de Areia Branca. Já foi reeleito presidente para o segundo biênio. Agora assume a prefeitura do seu município até julgamento do recurso do prefeito cassado no Tribunal Superior Eleitoral e, consequentemente, a convocação de uma eleição suplementar se TSE referendar a cassação de Alan de Agripino e do seu vice.

"e-Título" 1

Conforme os dados da Justiça Eleitoral, mais de 72 mil pessoas já baixaram o aplicativo "e-Título" em Sergipe. A ferramenta tem o objetivo de ampliar o exercício da cidadania e facilitar a portabilidade do título eleitoral. Em todo o Brasil, já foram contabilizados 5.473.219downloads, sendo 4.729.416 com biometria e 743.803 de eleitores que ainda não fizeram a biometria.

"e-Título" 2

Por meio desse aplicativo, o eleitor dispõe de seus dados eleitorais no smartphone ou no tablet. Ao ser acessado pela primeira vez, o documento será gravado e ficará disponível no aparelho.

Veja essa ...

Do candidato ao Senado Jackson Barreto (MDB) durante entrevista ontem na Fan FM ao comentar a ausência do sobrenome Amorim nas peças publicitárias do candidato ao governo do PSDB, Eduardo: "Eduardo Amorim tenta esconder o sobrenome para a população não o relacionar ao irmão, Edvan, mentor político do atual senador. Fico envergonhado quando vejo um candidato esconder o sobrenome. Eduardo tirou o Amorim com vergonha do nome e do irmão. Como uma pessoa se recusa a usar seu sobrenome? Para mim, é uma honra usar os nomes de meus pais, isso me fortalece, é minha história!".

Curtas

Belivaldo Chagas tem na agenda desta quarta-feira, pela manhã, agenda administrativa, e no final da manhã, às 11h25, entrevista na TV Sergipe. Às 18h participa de mini carreata no Conjunto Orlando Dantas.  

Na agenda de hoje de Eduardo Amorim consta panfletagem, às 6h30, em frente à Universidade na Farolândia; às 8h30, gravação do programa eleitoral; às 10h, reunião com núcleos do PSDB; às 12h,  apresentação de propostas de governo, na sede da CDL; às 17h, reunião com entidade de classe; e às 20h30, bate-papo com lideranças no bairro Santos Dumont.

O vice-presidente nacional do PT, Marcio Macedo, participou ontem, em Curitiba, da reunião da Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores que aprovou por unanimidade Fernando Haddad como candidato do partido à presidência da República. Após a reunião, em frente à sede da Polícia Federal, o nome de Haddad foi apresentado oficialmente e o de Manuela D'ávila (PCdoB) como vice.