Música no coração da cidade

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A boa música do nordeste
A boa música do nordeste

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/09/2018 às 06:34:00

 

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br
Fred Andrade, Alberto 
Silveira, Lucas Cam-
pelo, Marcos Vinícius, Taco de Golfe e Saulo Ferreira, alguns dos artistas estrelando o projeto 'Quinta Instrumental', no Centro Cultural de Aracaju, são testemunhas da atenção ali devotada à música da aldeia, manifesta em platéias lotadas. Testemunham também o bom uso do casarão plantado no marco zero da capital sergipana. Eu mesmo não canso de repetir: Por simples disposição de convivência, as portas finalmente abertas, o prédio histórico virou lugar de convivência, fruição e debate, se derramando em alegrias no coração da cidade.
Esta semana, quem sobe ao palco do teatro João Costa, em mais uma edição do projeto, é o Quinteto de Metais da Sofiva. Xote, maracatu e baião, a boa música do nordeste, com arranjos autorais assinados pelo grupo. 
Metais da Sofiva - O quinteto é composto por Fabrício Santana e Jean Bezerra, no trompa; José de Oliveira Filho, Matheus Santos, no trombone; e Mário Tavares, no tuba. "É uma experiência única para o nosso grupo participar desse valioso projeto realizado pela Funcaju, pois valoriza a interpretação da música instrumental, aumentando significativamente o público para este tipo de música. Além disso, é uma grande honra para nós estarmos num palco onde passaram grandes artistas do cenário estadual, nacional e internacional", enfatiza José de Oliveira Filho.
O músico garante uma apresentação de característica única, onde promete voltar ao mês de junho e suas tradições através do forró, baião, além de interpretações de outros gêneros com os arranjos da música clássica. "Iremos mostrar a versatilidade do grupo no tocante à execução de diversos estilos musicais. Muitos arranjos populares são do trombonista Thiago de Sá. Temos uma característica forte em fazer música nordestina. Tanto é que ele fez os arranjos e adaptações para quinteto das peças Chamego Só, Forrozando e Suíte Nordestina, que iremos interpretar nesta apresentação".
José de Oliveira Filho ainda pontua que a música 'Chamego Só' é uma bela composição do cantor Rogério, que mostra o quanto Sergipe está voltado ao forró, através de seus costumes e tradições, não só no mês de junho. "Forrozando é um pout-porri de obras como as de Accioly Neto, Petrúcio Amorim, Sivuca. A música Suíte Nordestina, do compositor Duda, apresenta várias danças marcantes do nosso nordeste como o baião, serenata, maracatu, e frevo. Portanto, temos essa marca de interpretar nossa música regional e levaremos o melhor da musicalidade nordestina, além de interpretações de outros gêneros", ressalta.
O show é gratuito e será realizado no Teatro João Costa, do Centro Cultural, nesta quinta-feira, dia 13, às 20 horas, logo após o lançamento do livro 'Nem copo de cachaça, nem prato de comida', do jornalista Henrique Maynart. (Com PMA)

Fred Andrade, Alberto  Silveira, Lucas Cam- pelo, Marcos Vinícius, Taco de Golfe e Saulo Ferreira, alguns dos artistas estrelando o projeto 'Quinta Instrumental', no Centro Cultural de Aracaju, são testemunhas da atenção ali devotada à música da aldeia, manifesta em platéias lotadas. Testemunham também o bom uso do casarão plantado no marco zero da capital sergipana. Eu mesmo não canso de repetir: Por simples disposição de convivência, as portas finalmente abertas, o prédio histórico virou lugar de convivência, fruição e debate, se derramando em alegrias no coração da cidade.
Esta semana, quem sobe ao palco do teatro João Costa, em mais uma edição do projeto, é o Quinteto de Metais da Sofiva. Xote, maracatu e baião, a boa música do nordeste, com arranjos autorais assinados pelo grupo. 

Metais da Sofiva - O quinteto é composto por Fabrício Santana e Jean Bezerra, no trompa; José de Oliveira Filho, Matheus Santos, no trombone; e Mário Tavares, no tuba. "É uma experiência única para o nosso grupo participar desse valioso projeto realizado pela Funcaju, pois valoriza a interpretação da música instrumental, aumentando significativamente o público para este tipo de música. Além disso, é uma grande honra para nós estarmos num palco onde passaram grandes artistas do cenário estadual, nacional e internacional", enfatiza José de Oliveira Filho.
O músico garante uma apresentação de característica única, onde promete voltar ao mês de junho e suas tradições através do forró, baião, além de interpretações de outros gêneros com os arranjos da música clássica. "Iremos mostrar a versatilidade do grupo no tocante à execução de diversos estilos musicais. Muitos arranjos populares são do trombonista Thiago de Sá. Temos uma característica forte em fazer música nordestina. Tanto é que ele fez os arranjos e adaptações para quinteto das peças Chamego Só, Forrozando e Suíte Nordestina, que iremos interpretar nesta apresentação".
José de Oliveira Filho ainda pontua que a música 'Chamego Só' é uma bela composição do cantor Rogério, que mostra o quanto Sergipe está voltado ao forró, através de seus costumes e tradições, não só no mês de junho. "Forrozando é um pout-porri de obras como as de Accioly Neto, Petrúcio Amorim, Sivuca. A música Suíte Nordestina, do compositor Duda, apresenta várias danças marcantes do nosso nordeste como o baião, serenata, maracatu, e frevo. Portanto, temos essa marca de interpretar nossa música regional e levaremos o melhor da musicalidade nordestina, além de interpretações de outros gêneros", ressalta.
O show é gratuito e será realizado no Teatro João Costa, do Centro Cultural, nesta quinta-feira, dia 13, às 20 horas, logo após o lançamento do livro 'Nem copo de cachaça, nem prato de comida', do jornalista Henrique Maynart. (Com PMA)