Uma morte e 22 facas apreendidas no Forró Caju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 19/06/2012 às 11:57:00

Um balanço parcial da Polícia Militar apontou o aumento do número de bandidos armados com facas no Forró Caju deste ano, em relação ao do ano passado. Nos três primeiros dias do evento, 22 armas brancas foram apreendidas na área interna e externa do evento. O problema pode estar relacionado a uma briga ocorrida dentro do circuito do evento e culminou com a morte de José Cledison Nascimento dos Santos, 23 anos. Ele foi esfaqueado por volta das 3h40 do sábado, durante uma briga ocorrida após o show do grupo Forró Safado.
Segundo o comandante de Policiamento da Capital, tenente-coronel Jackson Nascimento, uma guarnição foi chamada para socorrer Cledison, que tinha sido atingido no peito e chegou a ser levado para o Pronto-Socorro Nestor Piva, mas morreu minutos depois. "Populares ali presentes informaram que essa ocorrência tinha sido praticada por um cidadão de camisa azul que estava ali próximo, e esse cidadão foi preso em flagrante com uma arma branca ainda suja de sangue", disse o oficial, confirmando que o crime aconteceu dentro da área do Forró Caju. O acusado, não identificado, está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios (DHPP).
O crime e as altas apreensões com facas foram atribuídos a brechas encontradas na estrutura de tapumes e cercas da área do evento, que é bastante extensa. "A área é totalmente fechada, mas ainda existem alguns locais de fácil acesso para armas brancas. Entre o piso e a parte do fechamento, temos uma altura média de 35 centímetros. Então, por mais que a revista seja feita nas entradas pela Guarda Municipal e o policiamento ostensivo seja feito pela PM, fatalmente, os mal-intencionados às vezes conseguem driblar nosso esquema", admitiu Jackson, frisando que já determinou um aumento no efetivo e nas abordagens da PM dentro e fora do evento, principalmente durante dos grandes shows. A GMA também prometeu intensificar as revistas nas entradas da festa. (Gabriel Damásio)