Seidh capacita novos multiplicadores do Programa Criança Feliz

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Técnicos dos municípios participam de capacitação para formação de novos supervisores do Programa Criança Feliz
Técnicos dos municípios participam de capacitação para formação de novos supervisores do Programa Criança Feliz

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/09/2018 às 06:39:00

 

Durante toda esta semana, técnicos dos municípios participaram de uma capacitação para formação de novos supervisores do Programa Criança Feliz. A formação é promovida pela Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (Seidh), em parceria com o Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), visando à certificação de 11 novos técnicos do Programa aptos para atuar como supervisores em nove municípios sergipanos. Nesta sexta, 14, eles receberam os certificados de conclusão.
Os encontros aconteceram durante os turnos matutinos e vespertinos, somando uma carga horária de 40h, ministrados por uma multiplicadora e uma consultora do MDS. A proposta foi abordar todo o processo de construção do programa Criança Feliz, partindo do planejamento domiciliar até a articulação de redes de atenção, preparando os multiplicadores para a capacitação de visitadores em seus respectivos municípios.
O Criança Feliz é um programa do Governo Federal que visa o desenvolvimento integral da primeira infância, intermediado no estado pela Seidh.  Em Sergipe, são assistidas cerca de 10 mil pessoas em 67 municípios, entre crianças de 0 a 3 anos do Programa Bolsa Família e de 0 a 6 anos do Benefício de Prestação Continuada (BPC); além de gestantes. 
Coordenadora do Programa Criança Feliz na Seidh, Edsina Izabel comemorou a parceria com o MDS e falou sobre a importância da capacitação para os novos multiplicadores. "Fizemos o convite ao MDS para contribuir com o Estado nessa capacitação. A ação conjunta é fundamental para o desenvolvimento do programa, pois garante o crescimento do Criança Feliz", comentou. Segundo Catharina Correa, gerente da Proteção Social Básica da Seidh, ações voltadas para os técnicos da assistência garantem a eficácia das políticas públicas dentro dos municípios. "A realização dessas capacitações permite uma troca entre as esferas municipal, estadual e federal e surte efeitos muito positivos nas visitas domiciliares, já que cada multiplicador vai levar novos conhecimentos aos visitadores", afirmou. 
Para Ana Cláudia, assistente social e multiplicadora do MDS, o programa tem papel fundamental, pois integra as ações para a primeira infância do Sistema Único de Assistência Social (SUAS). "Esse é um momento de construção e fortalecimento. O Criança Feliz traz uma contribuição sobre olhar para a primeira infância, então precisamos entender que é um programa que vem para complementar o trabalho com a família". Consultora do MDS, Luizélia Souza ressaltou o impacto que capacitações como essa têm na atuação dentro dos municípios. "A intenção é que esses multiplicadores tenham o entendimento do que é o programa, porque é deles a responsabilidade de capacitar os seus visitadores", explicou.
Supervisor do município de Santa Luzia do Itanhy, Luiz Fernando Vieira conta com uma equipe de quatro visitadores que atendem cerca de 100 crianças na cidade. O técnico comentou sobre o que deve repassar de conhecimento para o grupo de assistentes. "A capacitação me agregou muito, principalmente em como realizar os manejos em determinadas situações. Além disso, quero passar para os meus visitadores uma nova forma deles terem um olhar mais humano dentro da realidade do município", observou.

Durante toda esta semana, técnicos dos municípios participaram de uma capacitação para formação de novos supervisores do Programa Criança Feliz. A formação é promovida pela Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (Seidh), em parceria com o Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), visando à certificação de 11 novos técnicos do Programa aptos para atuar como supervisores em nove municípios sergipanos. Nesta sexta, 14, eles receberam os certificados de conclusão.
Os encontros aconteceram durante os turnos matutinos e vespertinos, somando uma carga horária de 40h, ministrados por uma multiplicadora e uma consultora do MDS. A proposta foi abordar todo o processo de construção do programa Criança Feliz, partindo do planejamento domiciliar até a articulação de redes de atenção, preparando os multiplicadores para a capacitação de visitadores em seus respectivos municípios.
O Criança Feliz é um programa do Governo Federal que visa o desenvolvimento integral da primeira infância, intermediado no estado pela Seidh.  Em Sergipe, são assistidas cerca de 10 mil pessoas em 67 municípios, entre crianças de 0 a 3 anos do Programa Bolsa Família e de 0 a 6 anos do Benefício de Prestação Continuada (BPC); além de gestantes. 
Coordenadora do Programa Criança Feliz na Seidh, Edsina Izabel comemorou a parceria com o MDS e falou sobre a importância da capacitação para os novos multiplicadores. "Fizemos o convite ao MDS para contribuir com o Estado nessa capacitação. A ação conjunta é fundamental para o desenvolvimento do programa, pois garante o crescimento do Criança Feliz", comentou. Segundo Catharina Correa, gerente da Proteção Social Básica da Seidh, ações voltadas para os técnicos da assistência garantem a eficácia das políticas públicas dentro dos municípios. "A realização dessas capacitações permite uma troca entre as esferas municipal, estadual e federal e surte efeitos muito positivos nas visitas domiciliares, já que cada multiplicador vai levar novos conhecimentos aos visitadores", afirmou. 
Para Ana Cláudia, assistente social e multiplicadora do MDS, o programa tem papel fundamental, pois integra as ações para a primeira infância do Sistema Único de Assistência Social (SUAS). "Esse é um momento de construção e fortalecimento. O Criança Feliz traz uma contribuição sobre olhar para a primeira infância, então precisamos entender que é um programa que vem para complementar o trabalho com a família". Consultora do MDS, Luizélia Souza ressaltou o impacto que capacitações como essa têm na atuação dentro dos municípios. "A intenção é que esses multiplicadores tenham o entendimento do que é o programa, porque é deles a responsabilidade de capacitar os seus visitadores", explicou.
Supervisor do município de Santa Luzia do Itanhy, Luiz Fernando Vieira conta com uma equipe de quatro visitadores que atendem cerca de 100 crianças na cidade. O técnico comentou sobre o que deve repassar de conhecimento para o grupo de assistentes. "A capacitação me agregou muito, principalmente em como realizar os manejos em determinadas situações. Além disso, quero passar para os meus visitadores uma nova forma deles terem um olhar mais humano dentro da realidade do município", observou.