Candidatos prometem melhorar qualidade da educação

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 17/09/2018 às 06:54:00

 

Gabriel Damásio 
Os resultados obtidos 
por Sergipe no Ideb 
(Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), divulgados no último dia 3 pelo Ministério da Educação, colocou o tema no debate político travado entre os candidat6os ao governo do estado. E abriu mais uma divergência nos discursos dos candidatos: enquanto o governo atual afirma que houve avanço nas metas alcançadas, com notas maiores que as obtidas na edição do ano passado, os opositores apontam que as médias alcançadas ainda estão longe das fixadas nacionalmente para 2022, por conta de problemas que ainda persistem na estrutura e na qualidade do ensino. A melhoria das notas é uma promessa citada em praticamente todos os planos de governo apresentados ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) pelos nove concorrentes ao Palácio de Despachos. Aqui, está um resumo das principais propostas, começando pelos três principais candidatos:
Valadares - O candidato Valadares Filho (PSB) propõe-se a fazer um Planejamento Pedagógico "com definição de metas e ações para a melhoria da qualidade do ensino na Rede Estadual, ampliando o Ideb", dentro do plano, está a criação de um programa para redução do analfabetismo, chamado de 'Nossa Gente Alfabetizada', universalização do ensino fundamental para crianças entre 4 e 10 anos de idade, redução da evasão escolar e da distorção idade-série no Ensino Fundamental, ampliar as escolas com tempo integral e aumentar as vagas para alunos de Ensino Médio, Ensino Profissionalizante e Educação de Jovens e Adultos (EJA).
O plano do candidato socialista inclui ainda a implantação de internet gratuita e rápida em todas as escolas estaduais, em parceria com a iniciativa privada, e de tecnologias que permitam "o desenvolvimento de práticas pedagógicas e de ferramentas para auxílio didático para os professores. É proposta ainda uma reformulação na gestão das escolas, sobretudo nas áreas pedagógica, administrativa e financeira; reformas e avaliações nas estruturas físicas das unidades de ensino; e controle da qualidade e da regularidade de fornecimento da merenda escolar.
Belivaldo - Em seu plano oficial, o candidato a reeleição Belivaldo Chagas (PSD) fala em cumprir o Plano Estadual de Educação "em toda a sua amplitude", com foco na redução de desigualdades educacionais e no cumprimento das metas de melhoria dos indicadores do setor, estabelecidas pelo Plano Estadual de Educação (PEE) para o decênio 2015-2025. Entre elas, está a matrícula de 100% da população entre 4 e 10 anos em creches e escolas, além de 25% de estudantes da educação básica pública em jornada de tempo integral.
Belivaldo diz que a Educação será tratada como Política de Estado, isenta de objetivos políticos e partidários. "A Educação como Política de Estado significa que nossas ações devem transcender os interesses políticos do governo; elas serão decisivamente dedicadas a procedimentos impessoais de gestão dos órgãos educacionais e de desenvolvimento de projetos condizentes com o cumprimento de metas na melhoria sistemática da qualidade da educação oferecida à população sergipana". Diz o plano. 
Será proposta ainda a criação do Sistema Estadual de Avaliação da Educação Básica, que será "uma fonte de informação anual para a avaliação da qualidade da educação básica de forma rápida visando à orientação das políticas públicas desse nível de ensino para que possamos atingir as metas do Ideb" previstas pelo Plano Estadual. 
O plano prevê ainda a promoção de atividades extracurriculares nas escolas de educação básica, com a promoção de atividades esportivas e oficinas artísticas, além da publicação de trabalhos produzidos pelos estudantes e promoção de eventos culturais e competições esportivas, em horários diferentes daqueles em que os alunos estejam matriculados na escola.
Os recursos do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) devem ser ainda rateados entre os municípios, com base em parâmetros que dependam do desempenho das escolas do município nos indicadores do Sistema Estadual de Avaliação da Educação Básica. 
Amorim - O candidato Eduardo Amorim (PSDB) pretende igualmente melhorar os indicadores educacionais, expandindo a rede física de Ensino Médio e equipando escolas com computadores, laboratórios e bibliotecas com acesso à internet. Outra idéia é o projeto 'Escolas Atraentes', que consiste na criação de grupos de estudos para "transformar todas as escolas da rede pública estadual de educação em escolas atraentes, sem perda da qualidade de ensino a fim de evitar a evasão escolar e trazer de volta os alunos que pararam de estudar". 
A revisão e reestruturação do projeto do Ensino Médio Integral também constam no programa de governo tucano. Amorim sugere ainda que a Secretaria de Educação (Seed) crie um Núcleo de Alto Rendimento Esportivo, voltado para a auxiliar os professores de Educação Física e aplicar técnicas científicas e os mais avançados recursos tecnológicos no treinamento de estudantes-atletas. Os Centros de Ensino Profissionalizante serão ainda ampliados e diversificados. 
No que diz respeito à valorização do magistério, o candidato fala em aplicar o aumento da Lei do Piso do Magistério para todos os níveis de carreira, a criação de um novo programa de qualificação docente em parceria com as instituições de ensino, e a lotação de cada professor em uma única escola da rede estadual mais próxima possível de sua residência, a depender da carga horária do docente e de outros meios necessários e legais. 
O governo Amorim sugere ainda "implementar o princípio da meritocracia na rede pública estadual, premiando os que mais se esforçam na busca de uma educação de qualidade"; e criar em cada escola um cargo de Gerente Administrativo, subordinado à direção e com "a responsabilidade de gerir os recursos orçamentários, prestar contas desses recursos e cuidar da manutenção física dos prédios escolares". 

Os resultados obtidos  por Sergipe no Ideb  (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), divulgados no último dia 3 pelo Ministério da Educação, colocou o tema no debate político travado entre os candidat6os ao governo do estado. E abriu mais uma divergência nos discursos dos candidatos: enquanto o governo atual afirma que houve avanço nas metas alcançadas, com notas maiores que as obtidas na edição do ano passado, os opositores apontam que as médias alcançadas ainda estão longe das fixadas nacionalmente para 2022, por conta de problemas que ainda persistem na estrutura e na qualidade do ensino. A melhoria das notas é uma promessa citada em praticamente todos os planos de governo apresentados ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) pelos nove concorrentes ao Palácio de Despachos. Aqui, está um resumo das principais propostas, começando pelos três principais candidatos:


Valadares - O candidato Valadares Filho (PSB) propõe-se a fazer um Planejamento Pedagógico "com definição de metas e ações para a melhoria da qualidade do ensino na Rede Estadual, ampliando o Ideb", dentro do plano, está a criação de um programa para redução do analfabetismo, chamado de 'Nossa Gente Alfabetizada', universalização do ensino fundamental para crianças entre 4 e 10 anos de idade, redução da evasão escolar e da distorção idade-série no Ensino Fundamental, ampliar as escolas com tempo integral e aumentar as vagas para alunos de Ensino Médio, Ensino Profissionalizante e Educação de Jovens e Adultos (EJA).
O plano do candidato socialista inclui ainda a implantação de internet gratuita e rápida em todas as escolas estaduais, em parceria com a iniciativa privada, e de tecnologias que permitam "o desenvolvimento de práticas pedagógicas e de ferramentas para auxílio didático para os professores. É proposta ainda uma reformulação na gestão das escolas, sobretudo nas áreas pedagógica, administrativa e financeira; reformas e avaliações nas estruturas físicas das unidades de ensino; e controle da qualidade e da regularidade de fornecimento da merenda escolar.

Belivaldo - Em seu plano oficial, o candidato a reeleição Belivaldo Chagas (PSD) fala em cumprir o Plano Estadual de Educação "em toda a sua amplitude", com foco na redução de desigualdades educacionais e no cumprimento das metas de melhoria dos indicadores do setor, estabelecidas pelo Plano Estadual de Educação (PEE) para o decênio 2015-2025. Entre elas, está a matrícula de 100% da população entre 4 e 10 anos em creches e escolas, além de 25% de estudantes da educação básica pública em jornada de tempo integral.
Belivaldo diz que a Educação será tratada como Política de Estado, isenta de objetivos políticos e partidários. "A Educação como Política de Estado significa que nossas ações devem transcender os interesses políticos do governo; elas serão decisivamente dedicadas a procedimentos impessoais de gestão dos órgãos educacionais e de desenvolvimento de projetos condizentes com o cumprimento de metas na melhoria sistemática da qualidade da educação oferecida à população sergipana". Diz o plano. 
Será proposta ainda a criação do Sistema Estadual de Avaliação da Educação Básica, que será "uma fonte de informação anual para a avaliação da qualidade da educação básica de forma rápida visando à orientação das políticas públicas desse nível de ensino para que possamos atingir as metas do Ideb" previstas pelo Plano Estadual. 
O plano prevê ainda a promoção de atividades extracurriculares nas escolas de educação básica, com a promoção de atividades esportivas e oficinas artísticas, além da publicação de trabalhos produzidos pelos estudantes e promoção de eventos culturais e competições esportivas, em horários diferentes daqueles em que os alunos estejam matriculados na escola.
Os recursos do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) devem ser ainda rateados entre os municípios, com base em parâmetros que dependam do desempenho das escolas do município nos indicadores do Sistema Estadual de Avaliação da Educação Básica. 

Amorim - O candidato Eduardo Amorim (PSDB) pretende igualmente melhorar os indicadores educacionais, expandindo a rede física de Ensino Médio e equipando escolas com computadores, laboratórios e bibliotecas com acesso à internet. Outra idéia é o projeto 'Escolas Atraentes', que consiste na criação de grupos de estudos para "transformar todas as escolas da rede pública estadual de educação em escolas atraentes, sem perda da qualidade de ensino a fim de evitar a evasão escolar e trazer de volta os alunos que pararam de estudar". 
A revisão e reestruturação do projeto do Ensino Médio Integral também constam no programa de governo tucano. Amorim sugere ainda que a Secretaria de Educação (Seed) crie um Núcleo de Alto Rendimento Esportivo, voltado para a auxiliar os professores de Educação Física e aplicar técnicas científicas e os mais avançados recursos tecnológicos no treinamento de estudantes-atletas. Os Centros de Ensino Profissionalizante serão ainda ampliados e diversificados. 
No que diz respeito à valorização do magistério, o candidato fala em aplicar o aumento da Lei do Piso do Magistério para todos os níveis de carreira, a criação de um novo programa de qualificação docente em parceria com as instituições de ensino, e a lotação de cada professor em uma única escola da rede estadual mais próxima possível de sua residência, a depender da carga horária do docente e de outros meios necessários e legais. 
O governo Amorim sugere ainda "implementar o princípio da meritocracia na rede pública estadual, premiando os que mais se esforçam na busca de uma educação de qualidade"; e criar em cada escola um cargo de Gerente Administrativo, subordinado à direção e com "a responsabilidade de gerir os recursos orçamentários, prestar contas desses recursos e cuidar da manutenção física dos prédios escolares".