Beto Richa deixa prisão no Paraná

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 17/09/2018 às 07:02:00

 

O ex-governador do Paraná, Beto Richa, deixou a prisão no início da madrugada de ontem (15). Ele foi preso na manhã de terça-feira (13) no âmbito da Operação Rádio Patrulha, que investiga o suposto direcionamento de licitação para beneficiar empresários e o pagamento de propina a agentes públicos no Paraná.
Na noite de anteontem (14), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, decidiu soltar a família e mais 14 acusados que foram presos.
Na saída da carceragam, Richa disse à imprensa que está "de cabeça erguida" e que continua respondendo todas as acusações "sem a menor dificuldade". "O que fizeram comigo é uma crueldade enorme. Não merecia o que aconteceu. [...] Foram dias de extremo sofrimento para mim a toda a minha família", disse, questionando a credibilidade do delator da operação, "cujo histórico de vida não demonstra nenhuma credibilidade". "E aí eu pergunto, vale a palavra dele ou vale a minha palavra?".
O ex-governador disse que quer voltar à vida normal e à sua campanha ao Senado.

O ex-governador do Paraná, Beto Richa, deixou a prisão no início da madrugada de ontem (15). Ele foi preso na manhã de terça-feira (13) no âmbito da Operação Rádio Patrulha, que investiga o suposto direcionamento de licitação para beneficiar empresários e o pagamento de propina a agentes públicos no Paraná.
Na noite de anteontem (14), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, decidiu soltar a família e mais 14 acusados que foram presos.
Na saída da carceragam, Richa disse à imprensa que está "de cabeça erguida" e que continua respondendo todas as acusações "sem a menor dificuldade". "O que fizeram comigo é uma crueldade enorme. Não merecia o que aconteceu. [...] Foram dias de extremo sofrimento para mim a toda a minha família", disse, questionando a credibilidade do delator da operação, "cujo histórico de vida não demonstra nenhuma credibilidade". "E aí eu pergunto, vale a palavra dele ou vale a minha palavra?".
O ex-governador disse que quer voltar à vida normal e à sua campanha ao Senado.