Conjunto garante vaga no Mundial de GR 2019

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A Seleção Brasileira de GR se saiu bem na Bulgária e garantiu vaga para o Mundial do próximo ano
A Seleção Brasileira de GR se saiu bem na Bulgária e garantiu vaga para o Mundial do próximo ano

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/09/2018 às 06:29:00

 

O conjunto brasileiro cumpriu sua meta no Campeonato Mundial de Ginástica Rítmica e está classificado para a competição de 2019, que definirá vagas nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. A equipe, que precisava terminar entre os 24 primeiros colocados, classificou-se em 18º, com 33.775. As ginastas se apresentaram com os arcos, na primeira coreografia, e com bolas e cordas, na segunda.
- A meta de classificar entre os primeiros 24 países para participarmos do pré-olímpico em 2019 foi cumprida. Neste ano, conseguimos melhorar o nível técnico das ginastas e aumentar a nota de dificuldades das séries -, afirmou a técnica Camila Ferezin, que já vislumbra os ajustes necessários, para melhorar o desempenho da equipe nas próximas competições. "Tivemos falhas graves, que serão corrigidas para o Pré-Pan, que acontecerá daqui a dez dias".
Após encerrarem a participação no Mundial, as brasileiras irão disputar o Pan-Americano de GR, em Lima, no Peru, de 26 a 30 de setembro. O torneio é classificatório para os Jogos Pan-Americanos de 2019, que acontecerão na mesma cidade.
Camila relembrou que foi preciso substituir a ginasta Débora Medrado, titular das duas séries, duas semanas antes do Mundial, por conta de edema ósseo no segundo metatarso do pé esquerdo. "Isso pesou muito no conjunto. Mas a decisão da comissão foi recuperá-la para competir o Pan", explicou.

O conjunto brasileiro cumpriu sua meta no Campeonato Mundial de Ginástica Rítmica e está classificado para a competição de 2019, que definirá vagas nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. A equipe, que precisava terminar entre os 24 primeiros colocados, classificou-se em 18º, com 33.775. As ginastas se apresentaram com os arcos, na primeira coreografia, e com bolas e cordas, na segunda.
- A meta de classificar entre os primeiros 24 países para participarmos do pré-olímpico em 2019 foi cumprida. Neste ano, conseguimos melhorar o nível técnico das ginastas e aumentar a nota de dificuldades das séries -, afirmou a técnica Camila Ferezin, que já vislumbra os ajustes necessários, para melhorar o desempenho da equipe nas próximas competições. "Tivemos falhas graves, que serão corrigidas para o Pré-Pan, que acontecerá daqui a dez dias".
Após encerrarem a participação no Mundial, as brasileiras irão disputar o Pan-Americano de GR, em Lima, no Peru, de 26 a 30 de setembro. O torneio é classificatório para os Jogos Pan-Americanos de 2019, que acontecerão na mesma cidade.
Camila relembrou que foi preciso substituir a ginasta Débora Medrado, titular das duas séries, duas semanas antes do Mundial, por conta de edema ósseo no segundo metatarso do pé esquerdo. "Isso pesou muito no conjunto. Mas a decisão da comissão foi recuperá-la para competir o Pan", explicou.