Jovens consideradas desaparecidas voltam para casa

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
As três jovens saíram para  uma festa e SÓ RETORNARAM ONTEM
As três jovens saíram para uma festa e SÓ RETORNARAM ONTEM

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/09/2018 às 06:56:00

 

Milton Alves Júnior
O Governo de Sergipe, 
através da Secretaria 
de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), investiga um possível duplo ato criminoso sofrido por três adolescentes aracajuanas. Depois de 40 horas dadas como desaparecidas pelo cadastro da SSP, no início da tarde de ontem Krislayne dos Santos, de 18 anos, Vitória Ingrid Coelho Bispo, de 16 anos, e Nathália Gabriele da Silva Santos, de 13, chegaram na casa dos pais aparentemente assustadas e agredidas. De acordo com o setor de inteligência da Polícia Civil - responsável por coordenar as investigações, em depoimento prestado junto ao Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), as três foram vítimas de sequestro e abuso sexual.
Conforme apresentado por familiares, as adolescentes teriam saído no sábado, 15, com destino a uma festa no Conjunto Bugio, Zona Norte de Aracaju, porém, até o final da manhã de ontem nenhuma havia retornado para casa. A irmã de uma das jovens - que também havia participado da festa, informou aos pais que as três optaram por permanecer na festa com a promessa de em breve retornar para as respectivas residências. Preocupados com o sumiço, amigos e familiares buscaram a imprensa e os órgãos estaduais de segurança a fim de tentar identificar o paradeiro das meninas. Em um dos comunicados, as três foram vistas transitando pelo município de Maruim.
Os pais seguiram no domingo para a cidade, mas sem sucesso. Em depoimento prestado na delegacia, as três informaram que foram sequestradas e levadas até o município de Estância, zona Leste de Sergipe, onde foram abusadas sexualmente, e, em seguida, liberada pelos criminosos. Diante das acusações, o setor de inteligência da Polícia Civil iniciou as investigações e solicitou a realização de exames de corpo de delito. As análises estão sendo coordenadas pelo Instituto Médico Legal (IML/SE). Elisângela dos Santos, mãe de uma das adolescentes, disse que apesar do susto e da angústia, agora estar aliviada com o surgimento da filha.
Ela espera que o resultado dos laudos periciais seja apresentado em curto prazo, e, assim, poder identificar os possíveis responsáveis pelo ato criminal supostamente praticado contra as vítimas. "Ainda não tenho muitos detalhes do que aconteceu realmente porque elas chegaram bem assustadas e logo trouxemos elas para prestar depoimento aqui na delegacia. A minha filha ainda está com a delegada. Estou aliviada com a aparição delas, mas queremos saber detalhadamente como tudo aconteceu e quem são os homens que sequestraram elas", disse. A Polícia Civil pede que, se porventura alguém possuir informações as quais possam contribuir com as investigações, que elas sejam apresentadas - mesmo que anonimamente, junto ao disque-denúncia 181.

O Governo de Sergipe,  através da Secretaria  de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), investiga um possível duplo ato criminoso sofrido por três adolescentes aracajuanas. Depois de 40 horas dadas como desaparecidas pelo cadastro da SSP, no início da tarde de ontem Krislayne dos Santos, de 18 anos, Vitória Ingrid Coelho Bispo, de 16 anos, e Nathália Gabriele da Silva Santos, de 13, chegaram na casa dos pais aparentemente assustadas e agredidas. De acordo com o setor de inteligência da Polícia Civil - responsável por coordenar as investigações, em depoimento prestado junto ao Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), as três foram vítimas de sequestro e abuso sexual.
Conforme apresentado por familiares, as adolescentes teriam saído no sábado, 15, com destino a uma festa no Conjunto Bugio, Zona Norte de Aracaju, porém, até o final da manhã de ontem nenhuma havia retornado para casa. A irmã de uma das jovens - que também havia participado da festa, informou aos pais que as três optaram por permanecer na festa com a promessa de em breve retornar para as respectivas residências. Preocupados com o sumiço, amigos e familiares buscaram a imprensa e os órgãos estaduais de segurança a fim de tentar identificar o paradeiro das meninas. Em um dos comunicados, as três foram vistas transitando pelo município de Maruim.
Os pais seguiram no domingo para a cidade, mas sem sucesso. Em depoimento prestado na delegacia, as três informaram que foram sequestradas e levadas até o município de Estância, zona Leste de Sergipe, onde foram abusadas sexualmente, e, em seguida, liberada pelos criminosos. Diante das acusações, o setor de inteligência da Polícia Civil iniciou as investigações e solicitou a realização de exames de corpo de delito. As análises estão sendo coordenadas pelo Instituto Médico Legal (IML/SE). Elisângela dos Santos, mãe de uma das adolescentes, disse que apesar do susto e da angústia, agora estar aliviada com o surgimento da filha.
Ela espera que o resultado dos laudos periciais seja apresentado em curto prazo, e, assim, poder identificar os possíveis responsáveis pelo ato criminal supostamente praticado contra as vítimas. "Ainda não tenho muitos detalhes do que aconteceu realmente porque elas chegaram bem assustadas e logo trouxemos elas para prestar depoimento aqui na delegacia. A minha filha ainda está com a delegada. Estou aliviada com a aparição delas, mas queremos saber detalhadamente como tudo aconteceu e quem são os homens que sequestraram elas", disse. A Polícia Civil pede que, se porventura alguém possuir informações as quais possam contribuir com as investigações, que elas sejam apresentadas - mesmo que anonimamente, junto ao disque-denúncia 181.