Em agosto, custo da construção em Sergipe aumentou 0,5%

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/09/2018 às 07:02:00

 

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em convênio com a Caixa Econômica Federal, revelou que o custo da construção, medido por metro quadrado (m²), em Sergipe, no mês de agosto do ano corrente, apresentou variação positiva de 0,5%, quando comparado com o mês imediatamente anterior, julho último.
Em termos absolutos, o valor do custo médio por metro quadrado, no mês analisado, ficou em R$ 957,64. Na comparação com o mês de agosto do ano passado, o custo registrado assinalou elevação de 3,1%.
Nos oito primeiros meses do ano (janeiro a agosto), o custo médio acumulou alta de 2,4%, em relação ao mesmo intervalo de 2017.
Analisando os custos da construção separadamente, verificou-se que do valor total, a fatia de 54%, ou R$ 519,49, correspondeu ao custo com material, enquanto que os 46% restantes, ou R$ 438,15, referiu-se ao valor da mão de obra empregada.

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em convênio com a Caixa Econômica Federal, revelou que o custo da construção, medido por metro quadrado (m²), em Sergipe, no mês de agosto do ano corrente, apresentou variação positiva de 0,5%, quando comparado com o mês imediatamente anterior, julho último.
Em termos absolutos, o valor do custo médio por metro quadrado, no mês analisado, ficou em R$ 957,64. Na comparação com o mês de agosto do ano passado, o custo registrado assinalou elevação de 3,1%.
Nos oito primeiros meses do ano (janeiro a agosto), o custo médio acumulou alta de 2,4%, em relação ao mesmo intervalo de 2017.
Analisando os custos da construção separadamente, verificou-se que do valor total, a fatia de 54%, ou R$ 519,49, correspondeu ao custo com material, enquanto que os 46% restantes, ou R$ 438,15, referiu-se ao valor da mão de obra empregada.