Alese institui premiação para reconhecer personalidades femininas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/09/2018 às 06:56:00

 

Nesta quarta-feira, os deputados estaduais aprovaram por unanimidade o Projeto de Resolução 18/2018, de Autoria da deputada estadual Ana Lúcia, que cria a Comenda Jacinta Clotilde do Amor Divino.
O projeto é de autoria da deputada estadual Ana Lúcia e tem o objetivo de reconhecer personalidades femininas que tenham oferecido contribuição relevante à proteção e a promoção da cultura afro-brasileira. A medalha será entregue no dia 20 de novembro, dia Nacional da Consciência Negra.
Jacinta Clotilde do Amor Divino foi um exemplo de empoderamento da mulher escrava e negra na sociedade oitocentista. Assediada pelo seu senhor, constituiu sua família em espaço adverso e acabou se tornando esposa, mãe, senhora de engenho, administradora e líder de gleba.
Jacinta teve uma relação de liderança com relação aos irmãos negros, índios tupinambás e ciganos que trabalhavam nas terras do Engenho Palmeira, servindo como exemplo de rompimento com o modelo da família patriarcal baseada nas relações social e racial. Com sua expressão afirmativa no enfrentamento do racismo em suas diversas situações e níveis, ela gerou efeitos positivos em diversas instâncias dos espaços de poder.

Nesta quarta-feira, os deputados estaduais aprovaram por unanimidade o Projeto de Resolução 18/2018, de Autoria da deputada estadual Ana Lúcia, que cria a Comenda Jacinta Clotilde do Amor Divino.
O projeto é de autoria da deputada estadual Ana Lúcia e tem o objetivo de reconhecer personalidades femininas que tenham oferecido contribuição relevante à proteção e a promoção da cultura afro-brasileira. A medalha será entregue no dia 20 de novembro, dia Nacional da Consciência Negra.
Jacinta Clotilde do Amor Divino foi um exemplo de empoderamento da mulher escrava e negra na sociedade oitocentista. Assediada pelo seu senhor, constituiu sua família em espaço adverso e acabou se tornando esposa, mãe, senhora de engenho, administradora e líder de gleba.
Jacinta teve uma relação de liderança com relação aos irmãos negros, índios tupinambás e ciganos que trabalhavam nas terras do Engenho Palmeira, servindo como exemplo de rompimento com o modelo da família patriarcal baseada nas relações social e racial. Com sua expressão afirmativa no enfrentamento do racismo em suas diversas situações e níveis, ela gerou efeitos positivos em diversas instâncias dos espaços de poder.