Dia da Árvore: Sema tomba gameleira centenária no Mosqueiro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
COM MAIS DE 100 ANOS E 25 METROS DE ALTURA, ÁRVORE AGORA É PATRIMÔNIO DA CIDADE
COM MAIS DE 100 ANOS E 25 METROS DE ALTURA, ÁRVORE AGORA É PATRIMÔNIO DA CIDADE

A Ficus enormis, conhecida popularmente como gameleira, possui mais de 100 anos e 25 metros de altura
A Ficus enormis, conhecida popularmente como gameleira, possui mais de 100 anos e 25 metros de altura

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 22/09/2018 às 07:35:00

 

A Prefeitura de Araca
ju, através da Secre
taria Municipal do Meio Ambiente (Sema), dedicou o dia em que se comemora o Dia da Árvore, 21 de setembro, à preservação e conservação de uma gameleira, localizada no bairro Mosqueiro. A espécie arbórea é a quinta árvore tombada na cidade, recebendo o título de Patrimônio Natural de Aracaju, por meio do decreto municipal nº 5.714.
A Ficus enormis, conhecida popularmente como gameleira, possui mais de 100 anos e 25 metros de altura e, a partir dessa ação, fica instituído a proibição do seu corte, assim como, qualquer tipo de mutilação, pintura ou fixação de materiais, sob pena de infração ambiental. O processo para tombamento da árvore foi realizado por uma equipe técnica da Sema, formada por biólogos, engenheiros florestais e agrônomos, que analisam os critérios necessários. 
O secretário do Meio Ambiente de Aracaju, Augusto César Viana, explica que essa ação faz parte de um determinação do prefeito Edvaldo Nogueira. "Ele nos solicitou que fizéssemos um levantamento de todas as árvores que possam ser patrimônio ambiental. Inclusive, a partir dessa semana, iniciaremos o inventário de arborização de Aracaju. Iremos georeferenciar para saber qual a quantidade de árvores que temos nas avenidas e praças da cidade e, consequentemente, iremos identificar outras árvores que tenham uma significância para a comunidade e possam se tornar patrimônio também", ressaltou o secretário.
De acordo com a analista ambiental e engenheira ambiental da Sema, Carla Zoaid, entre os possíveis critérios para tombamento de uma árvore, a gameleira foi enquadrada devido ao seu histórico e representação para a comunidade. "Esse é mais um mecanismo de proteção ambiental. A partir de agora, essa árvore só poderá ser derrubada se houver risco de queda ou acidente. A população também pode fazer indicação à Sema de uma árvore para tombamento e nós iremos analisar", explicou.
De fato, os moradores da localidade possuem um vínculo histórico e de lazer com a gameleira. O presidente da Associação Comunitária de Desenvolvimento do Povoado Mosqueiro (ACDPM), Genivaldo da Conceição, conta que cresceu acompanhando o desenvolvimento da árvore. "Esse tombamento faz com que a gameleira seja protegida e a gente fica muito satisfeito com a ação porque ela é muito importante para nós e não poderia ser destruída, é um patrimônio nosso. Famílias da comunidade costumam se reunir embaixo dessa árvore", afirmou.
"Eu me criei morando vizinho a essa árvore e sempre brinquei nela. Quando o sol está quente, a gente vai para baixo dela para descansar. Antigamente, os galhos eram mais baixos e até rede a gente pendurava para se balançar. Agora ela cresceu e se tornou uma obra-prima, onde nossos filhos, netos e bisnetos brincam. Espero que esse patrimônio seja sempre preservado", afirmou Rosimeire Santos, doméstica.
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM), parceiro da Sema em diversas outras ações de preservação ambiental, aproveitou a oportunidade para levar cerca de 20 alunos para prestigiar o tombamento. Segundo a assessora de coordenação multidisciplinar do Instituto, Marcela Azevedo, a atividade enriquece o conhecimento dos alunos. "Com o objetivo de conscientizá-los, a disciplina 'Cidadania' está inclusa no curso que eles fazem. Participar de uma ação como essa favorece o entendimento deles sobre a importância disso para a preservação ambiental e o tema será trabalhado em sala de aula posteriormente", explica.

A Prefeitura de Araca ju, através da Secre taria Municipal do Meio Ambiente (Sema), dedicou o dia em que se comemora o Dia da Árvore, 21 de setembro, à preservação e conservação de uma gameleira, localizada no bairro Mosqueiro. A espécie arbórea é a quinta árvore tombada na cidade, recebendo o título de Patrimônio Natural de Aracaju, por meio do decreto municipal nº 5.714.
A Ficus enormis, conhecida popularmente como gameleira, possui mais de 100 anos e 25 metros de altura e, a partir dessa ação, fica instituído a proibição do seu corte, assim como, qualquer tipo de mutilação, pintura ou fixação de materiais, sob pena de infração ambiental. O processo para tombamento da árvore foi realizado por uma equipe técnica da Sema, formada por biólogos, engenheiros florestais e agrônomos, que analisam os critérios necessários. 
O secretário do Meio Ambiente de Aracaju, Augusto César Viana, explica que essa ação faz parte de um determinação do prefeito Edvaldo Nogueira. "Ele nos solicitou que fizéssemos um levantamento de todas as árvores que possam ser patrimônio ambiental. Inclusive, a partir dessa semana, iniciaremos o inventário de arborização de Aracaju. Iremos georeferenciar para saber qual a quantidade de árvores que temos nas avenidas e praças da cidade e, consequentemente, iremos identificar outras árvores que tenham uma significância para a comunidade e possam se tornar patrimônio também", ressaltou o secretário.
De acordo com a analista ambiental e engenheira ambiental da Sema, Carla Zoaid, entre os possíveis critérios para tombamento de uma árvore, a gameleira foi enquadrada devido ao seu histórico e representação para a comunidade. "Esse é mais um mecanismo de proteção ambiental. A partir de agora, essa árvore só poderá ser derrubada se houver risco de queda ou acidente. A população também pode fazer indicação à Sema de uma árvore para tombamento e nós iremos analisar", explicou.
De fato, os moradores da localidade possuem um vínculo histórico e de lazer com a gameleira. O presidente da Associação Comunitária de Desenvolvimento do Povoado Mosqueiro (ACDPM), Genivaldo da Conceição, conta que cresceu acompanhando o desenvolvimento da árvore. "Esse tombamento faz com que a gameleira seja protegida e a gente fica muito satisfeito com a ação porque ela é muito importante para nós e não poderia ser destruída, é um patrimônio nosso. Famílias da comunidade costumam se reunir embaixo dessa árvore", afirmou.
"Eu me criei morando vizinho a essa árvore e sempre brinquei nela. Quando o sol está quente, a gente vai para baixo dela para descansar. Antigamente, os galhos eram mais baixos e até rede a gente pendurava para se balançar. Agora ela cresceu e se tornou uma obra-prima, onde nossos filhos, netos e bisnetos brincam. Espero que esse patrimônio seja sempre preservado", afirmou Rosimeire Santos, doméstica.
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM), parceiro da Sema em diversas outras ações de preservação ambiental, aproveitou a oportunidade para levar cerca de 20 alunos para prestigiar o tombamento. Segundo a assessora de coordenação multidisciplinar do Instituto, Marcela Azevedo, a atividade enriquece o conhecimento dos alunos. "Com o objetivo de conscientizá-los, a disciplina 'Cidadania' está inclusa no curso que eles fazem. Participar de uma ação como essa favorece o entendimento deles sobre a importância disso para a preservação ambiental e o tema será trabalhado em sala de aula posteriormente", explica.