A história do Tênis de Mesa em Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/09/2018 às 19:56:00

 

O Tênis de Mesa é um esporte que ganhou muito espaço no Estado de Sergipe, conquistando muitos títulos regionais e até mesmo nacionais. Tem uma federação atuante e um presidente dinâmico. Mas poucos praticantes sabem como esse esporte aportou em Sergipe. 
E é justamente para promover um resgate histórico e mostrar as várias fases evolutivas do Tênis de Mesa que o mesatenista Marco Roberto Gentil Monteiro escreveu e está lançando no dia 29 de setembro, o livro que conta a história do Tênis de Mesa em Sergipe.      
- A história agora não será esquecida. Na verdade, será contada até para mim. Tem fatos que eu mesmo não conheço. A Federação é de 1982, eu nasci em 87, e comecei a me envolver com tênis de mesa só em 2003. Com certeza perdi muita coisa. Iniciativa como essa mostra o respeito que os mesatenistas, a exemplo de Marcos Monteiro tem com o nosso esporte. Esporte rodeado de pessoas bem-intencionadas - afirmou o presidente da Federação Sergipana de Tênis de Mesa (FTM-SE), Guido Borges.
O Livro - Marco Gentil fala um pouco sobre o livro. "A publicação é completamente ilustrada, com fotos que representam a história da modalidade em Sergipe, e ainda conta com apêndices, contendo as regras simplificadas do Tênis de Mesa e os campeões anuais individuais, por equipes e duplas".
Após o apogeu do mesatenismo estudantil, no final da década de 80, quando o autor, juntamente com Aécio Prado Dantas Júnior e Miljenko Reis Ljubicic sagraram-se campeões, por equipes, nos Jogos Escolares Brasileiros de 1988, em São Luís/MA, o tênis de mesa sergipano, foi atingido pela globalização, tendo sido somente retornado ao protagonismo nas competições nacionais no início desta década, com o advento da Academia Sergipana de Tênis de Mesa, dotada de instalações adequadas à prática da modalidade.

O Tênis de Mesa é um esporte que ganhou muito espaço no Estado de Sergipe, conquistando muitos títulos regionais e até mesmo nacionais. Tem uma federação atuante e um presidente dinâmico. Mas poucos praticantes sabem como esse esporte aportou em Sergipe. 
E é justamente para promover um resgate histórico e mostrar as várias fases evolutivas do Tênis de Mesa que o mesatenista Marco Roberto Gentil Monteiro escreveu e está lançando no dia 29 de setembro, o livro que conta a história do Tênis de Mesa em Sergipe.      
- A história agora não será esquecida. Na verdade, será contada até para mim. Tem fatos que eu mesmo não conheço. A Federação é de 1982, eu nasci em 87, e comecei a me envolver com tênis de mesa só em 2003. Com certeza perdi muita coisa. Iniciativa como essa mostra o respeito que os mesatenistas, a exemplo de Marcos Monteiro tem com o nosso esporte. Esporte rodeado de pessoas bem-intencionadas - afirmou o presidente da Federação Sergipana de Tênis de Mesa (FTM-SE), Guido Borges.

O Livro - Marco Gentil fala um pouco sobre o livro. "A publicação é completamente ilustrada, com fotos que representam a história da modalidade em Sergipe, e ainda conta com apêndices, contendo as regras simplificadas do Tênis de Mesa e os campeões anuais individuais, por equipes e duplas".Após o apogeu do mesatenismo estudantil, no final da década de 80, quando o autor, juntamente com Aécio Prado Dantas Júnior e Miljenko Reis Ljubicic sagraram-se campeões, por equipes, nos Jogos Escolares Brasileiros de 1988, em São Luís/MA, o tênis de mesa sergipano, foi atingido pela globalização, tendo sido somente retornado ao protagonismo nas competições nacionais no início desta década, com o advento da Academia Sergipana de Tênis de Mesa, dotada de instalações adequadas à prática da modalidade.