Sina (2013)

Cultura


  • Guitarras no talo

Diferente do cachorro que persegue o próprio rabo e passa a vida inteira dando voltas no mesmo lugar, a coerência dos Baggios não os impediu de explorar todas as possibilidades expressivas ao alcance de um duo de blues/rock. Submetido ao propósito, o conceito - uma bandeira de trapos fincada no umbigo imundo de paixões passageiras, alheias à geografia -, já tinha se prestado à levada flamenca de 'Oh, Cigana'. Em Sina, contudo, a ousadia os levou ainda mais longe. Além de carregar as influências evidentes no pretérito da banda (ecos de Hendrix, muito stoner rock e Raul Seixas, notadamente), as novas canções parecem arredias às amarras da forma. É possível identificar elementos estranhos à seara cultivada ao longo de quase uma década, do funk ao xote. No entanto, os motivos pouco importam. A guitarra de Julico berra alto como nunca. 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS