Aracaju se destaca com Plano de Saneamento

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/09/2018 às 20:25:00

 

Aracaju faz parte de um restrito número de cidades brasileiras cujas políticas de saneamento básico estão regulamentadas em lei, através de um Plano Municipal de Saneamento. É o que afirma mais uma pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada esta semana. A pesquisa revela que apenas 38% dos 5.570 municípios brasileiros investem, promovem ou criam dispositivos legais para ampliar ações e serviços que, de alguma forma, consiga viabilizar políticas públicas de saneamento básico.
O levantamento completo feito pelo órgão e denominado de "Aspectos gerais da gestão da política de saneamento básico" traz um relevante panorama, que apresenta os prejuízos econômicos e sociais em locais sem a cobertura de rede de esgoto, sistema de drenagem e pavimentação.
Quando é feito um comparativo entre cidades em que já existem Planos de Saneamento, a disparidade é ainda maior. Conforme o levantamento do órgão, enquanto no Sul do país cerca de 63% das cidades afirmam ter aprovado o plano, no Nordeste apenas 18,6% dos municípios já aprovaram leis específicas que tratam do tema. Novamente, Aracaju se destaca entre todas as cidades dos nove estados da região em que tem aprovado um Plano de Saneamento, cuja aprovação se deu ainda em 2017, nos primeiros meses de gestão do prefeito Edvaldo Nogueira.

Aracaju faz parte de um restrito número de cidades brasileiras cujas políticas de saneamento básico estão regulamentadas em lei, através de um Plano Municipal de Saneamento. É o que afirma mais uma pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgada esta semana. A pesquisa revela que apenas 38% dos 5.570 municípios brasileiros investem, promovem ou criam dispositivos legais para ampliar ações e serviços que, de alguma forma, consiga viabilizar políticas públicas de saneamento básico.
O levantamento completo feito pelo órgão e denominado de "Aspectos gerais da gestão da política de saneamento básico" traz um relevante panorama, que apresenta os prejuízos econômicos e sociais em locais sem a cobertura de rede de esgoto, sistema de drenagem e pavimentação.
Quando é feito um comparativo entre cidades em que já existem Planos de Saneamento, a disparidade é ainda maior. Conforme o levantamento do órgão, enquanto no Sul do país cerca de 63% das cidades afirmam ter aprovado o plano, no Nordeste apenas 18,6% dos municípios já aprovaram leis específicas que tratam do tema. Novamente, Aracaju se destaca entre todas as cidades dos nove estados da região em que tem aprovado um Plano de Saneamento, cuja aprovação se deu ainda em 2017, nos primeiros meses de gestão do prefeito Edvaldo Nogueira.