Filme mineiro vence Festival de Brasília e leva cinco prêmios

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 25/09/2018 às 06:36:00

 

O grande vencedor do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro foi o longa-metragem 'Temporada', de André Novais Oliveira. O filme levou cinco prêmios: Melhor Filme da Mostra Competitiva e os troféus Candangos de Melhor Direção de Arte, Melhor Fotografia, Melhor Ator Coadjuvante (Russão) e Melhor Atriz (Grace Passô).
O filme mostra o esforço de uma mulher jovem, negra, que se muda para a periferia para trabalhar e deixa parte de sua história para trás. O destaque é o protagonismo da mulher negra de forma suave e bem-humorada. A história se passa em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.
A premiação ocorreu no último domingo, após dez dias de sessões, debates e oficinas. Além da premiação oficial, houve 22 categorias divididas em longa e curta metragem, com distribuição de nove prêmios por entidades e empresas parceiras da mostra. Como tradicionalmente ocorre, o festival aliou a discussão cultural às questões políticas.
Outros - Paralelamente à premiação oficial, o  júri popular votou e escolheu como melhor longa-metragem o filme Bixa Travesty, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman, que também foi reconhecido como melhor trilha sonora, com o Prêmio Saruê e uma menção honrosa.
Na Mostra Competitiva de Curta-Metragem, o vencedor foi Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados. O filme de Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo e Pedro Maia de Brito também foi premiado pelo melhor som com o trabalho de Nicolau Domingues.
O melhor curta para o público foi Eu, minha mãe e Wallace, dos irmãos Carvalho, que também ganhou os prêmios de melhor atriz coadjuvante (Noemia Oliveira) e Zózimo Bulbul de melhor curta.
Destaques - Outros destaques foram as premiações de melhor direção em curta e longa, entregues respectivamente a Nara Normande (Guaxuma) e Beatriz Seigner (Los Silencios). O júri oficial da Mostra Brasília premiou como melhor curta o filme Entre parentes, de Tiago Aragão.
Como melhor longa foi escolhida pelo júri oficial a ficção New life S.A., de André  Carvalheira. No júri popular, o curta Terras brasileiras, de Dulce Queiroz, e o longa O outro lado da memória, de André Luiz Oliveira, levaram os candangos. (Agência Brasil)

O grande vencedor do 51º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro foi o longa-metragem 'Temporada', de André Novais Oliveira. O filme levou cinco prêmios: Melhor Filme da Mostra Competitiva e os troféus Candangos de Melhor Direção de Arte, Melhor Fotografia, Melhor Ator Coadjuvante (Russão) e Melhor Atriz (Grace Passô).
O filme mostra o esforço de uma mulher jovem, negra, que se muda para a periferia para trabalhar e deixa parte de sua história para trás. O destaque é o protagonismo da mulher negra de forma suave e bem-humorada. A história se passa em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.
A premiação ocorreu no último domingo, após dez dias de sessões, debates e oficinas. Além da premiação oficial, houve 22 categorias divididas em longa e curta metragem, com distribuição de nove prêmios por entidades e empresas parceiras da mostra. Como tradicionalmente ocorre, o festival aliou a discussão cultural às questões políticas.

Outros - Paralelamente à premiação oficial, o  júri popular votou e escolheu como melhor longa-metragem o filme Bixa Travesty, de Claudia Priscilla e Kiko Goifman, que também foi reconhecido como melhor trilha sonora, com o Prêmio Saruê e uma menção honrosa.
Na Mostra Competitiva de Curta-Metragem, o vencedor foi Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados. O filme de Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo e Pedro Maia de Brito também foi premiado pelo melhor som com o trabalho de Nicolau Domingues.
O melhor curta para o público foi Eu, minha mãe e Wallace, dos irmãos Carvalho, que também ganhou os prêmios de melhor atriz coadjuvante (Noemia Oliveira) e Zózimo Bulbul de melhor curta.

Destaques -
Outros destaques foram as premiações de melhor direção em curta e longa, entregues respectivamente a Nara Normande (Guaxuma) e Beatriz Seigner (Los Silencios). O júri oficial da Mostra Brasília premiou como melhor curta o filme Entre parentes, de Tiago Aragão.
Como melhor longa foi escolhida pelo júri oficial a ficção New life S.A., de André  Carvalheira. No júri popular, o curta Terras brasileiras, de Dulce Queiroz, e o longa O outro lado da memória, de André Luiz Oliveira, levaram os candangos. (Agência Brasil)