'Musa da Serra' prende grupo envolvido com roubos em Malhador

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
OPERAÇÃO MUSA DA SERRA PRENDEU LADRÕES VIOLENTOS
OPERAÇÃO MUSA DA SERRA PRENDEU LADRÕES VIOLENTOS

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 29/09/2018 às 07:03:00

 

A Polícia Civil deflagrou ontem a 'Operação Musa da Serra', com buscas concentradas no município de Malhador (Agreste). A ação contou com policiais civis da Delegacia de Malhador, Delegacia Regional de Itabaiana e Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci), além da Polícia Militar de Malhador. O nome da operação faz alusão ao nome científico da bananeira, Musa.
Três pessoas foram presas e dois menores foram apreendidos. Os adultos, identificados como José Almir Reis Jorge, William Santos Pereira e Cristiano dos Santos Bezerra, foram indiciados nas investigações por envolvimento em crimes contra o patrimônio. Segundo a delegada Clarissa Lobo, o grupo é formado por homens jovens que vivem de furtos e roubos. "São muitos furtos e roubos, mas as pessoas não dão queixa porque têm medo. Embora não tenham matado ninguém até o momento, são bem violentos", explicou a delegada.
As investigações apontam que o grupo vinha atuando desde o ano passado principalmente em uma região conhecida como Bananeiras. Durante o roubo de uma moto eles agrediram o dono que era um idoso. Em outra ocasião, eles agrediram um casal com extrema violência, a ponto de uma mulher ter sofrido um aborto. 
Segundo a delegada, os integrantes do grupo usavam drogas nas portas das residências, intimidavam e ameaçavam a população. "As pessoas não saiam mais à noite, tinham medo de ficar nas portas de casa". Ela ainda ressaltou que eles chegavam a ir nas residências das pessoas que os viam na rua, e ameaçavam para que elas não fossem testemunhas contra eles.
De acordo com as investigações, existem outras pessoas envolvidas. A delegada Clarissa Lobo afirmou que os policiais já possuem a identificação de alguns suspeitos, mas até o momento não há ligações comprovadas destas pessoas ao caso. Ela ainda comentou que a partir das prisões e apreensões, há maiores chances de se chegar aos outros envolvidos, e destaca a importância da participação da população realizando denúncias. A operação contou com a participação de 28 agentes, sendo vinte policiais civis e quatro militares.

A Polícia Civil deflagrou ontem a 'Operação Musa da Serra', com buscas concentradas no município de Malhador (Agreste). A ação contou com policiais civis da Delegacia de Malhador, Delegacia Regional de Itabaiana e Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci), além da Polícia Militar de Malhador. O nome da operação faz alusão ao nome científico da bananeira, Musa.
Três pessoas foram presas e dois menores foram apreendidos. Os adultos, identificados como José Almir Reis Jorge, William Santos Pereira e Cristiano dos Santos Bezerra, foram indiciados nas investigações por envolvimento em crimes contra o patrimônio. Segundo a delegada Clarissa Lobo, o grupo é formado por homens jovens que vivem de furtos e roubos. "São muitos furtos e roubos, mas as pessoas não dão queixa porque têm medo. Embora não tenham matado ninguém até o momento, são bem violentos", explicou a delegada.
As investigações apontam que o grupo vinha atuando desde o ano passado principalmente em uma região conhecida como Bananeiras. Durante o roubo de uma moto eles agrediram o dono que era um idoso. Em outra ocasião, eles agrediram um casal com extrema violência, a ponto de uma mulher ter sofrido um aborto. 
Segundo a delegada, os integrantes do grupo usavam drogas nas portas das residências, intimidavam e ameaçavam a população. "As pessoas não saiam mais à noite, tinham medo de ficar nas portas de casa". Ela ainda ressaltou que eles chegavam a ir nas residências das pessoas que os viam na rua, e ameaçavam para que elas não fossem testemunhas contra eles.De acordo com as investigações, existem outras pessoas envolvidas. A delegada Clarissa Lobo afirmou que os policiais já possuem a identificação de alguns suspeitos, mas até o momento não há ligações comprovadas destas pessoas ao caso. Ela ainda comentou que a partir das prisões e apreensões, há maiores chances de se chegar aos outros envolvidos, e destaca a importância da participação da população realizando denúncias. A operação contou com a participação de 28 agentes, sendo vinte policiais civis e quatro militares.