Julgamento de prefeito de Poço Redondo é suspenso por pedido de vista

Política

 

Na tarde de hoje (2), 
em razão de pedido 
de vista apresentado pelo membro da Corte Eleitoral da classe dos Juristas, José Dantas de Santana, o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe suspendeu o julgamento dos embargos de declaração interpostos por Ademilson Chagas Júnior, prefeito de Poço Redondo, que teve seu mandato cassado pelo Tribunal.
Durante a sessão de julgamentos, em linha com o entendimento esposado pela relatora do processo, juíza Áurea Corumba de Santana, cinco membros adiantaram seus votos no sentido de conhecer e desprover os embargos de declaração e, de ofício, determinar o imediato afastamento de Ademilson e Manoel Rodrigues da Silva dos cargos de prefeito e vice-prefeito, respectivamente, de Poço Redondo/SE.
Com o pedido de vista, o chefe do Poder Executivo Municipal de Poço Redondo permanece no cargo até a conclusão do julgamento. O prazo legal para retorno do recurso (embargos) para pauta esgota-se no dia 15/10, ou primeira sessão subsequente.
O prefeito e vice-prefeito de Poço Redondo tiveram seus mandatos cassados por prática de atos que desequilibraram o pleito de 2016, como a concessão a terceiros de 107 autorizações de abastecimento de combustível no Posto São Jorge, expedida pelo então candidato ao cargo de prefeito, Ademilson Chagas Júnior, que alcançou o importe de R$ 22.100,50.

Na tarde de hoje (2),  em razão de pedido  de vista apresentado pelo membro da Corte Eleitoral da classe dos Juristas, José Dantas de Santana, o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe suspendeu o julgamento dos embargos de declaração interpostos por Ademilson Chagas Júnior, prefeito de Poço Redondo, que teve seu mandato cassado pelo Tribunal.
Durante a sessão de julgamentos, em linha com o entendimento esposado pela relatora do processo, juíza Áurea Corumba de Santana, cinco membros adiantaram seus votos no sentido de conhecer e desprover os embargos de declaração e, de ofício, determinar o imediato afastamento de Ademilson e Manoel Rodrigues da Silva dos cargos de prefeito e vice-prefeito, respectivamente, de Poço Redondo/SE.
Com o pedido de vista, o chefe do Poder Executivo Municipal de Poço Redondo permanece no cargo até a conclusão do julgamento. O prazo legal para retorno do recurso (embargos) para pauta esgota-se no dia 15/10, ou primeira sessão subsequente.
O prefeito e vice-prefeito de Poço Redondo tiveram seus mandatos cassados por prática de atos que desequilibraram o pleito de 2016, como a concessão a terceiros de 107 autorizações de abastecimento de combustível no Posto São Jorge, expedida pelo então candidato ao cargo de prefeito, Ademilson Chagas Júnior, que alcançou o importe de R$ 22.100,50.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS