Manchas escuras nas águas do Rio São Francisco em Piaçabuçu/AL podem ser sinal de contaminação

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Mancha recolhida no Rio São Francisco em Piaçabuçu/AL que faz divisa com Brejo Grande
Mancha recolhida no Rio São Francisco em Piaçabuçu/AL que faz divisa com Brejo Grande

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/10/2018 às 06:50:00

 

Amostras das águas 
do rio São Francisco, 
no trecho que passa por Piaçabuçu/AL e faz divisa com Brejo Grande/SE, já foram coletadas para saber se há risco de contaminação. A região é a foz do São Francisco. As suspeitas se iniciaram depois de um vídeo divulgado na semana passada pelos pescadores da região, que mostra a aparição de manchas escuras no Velho Chico, o que preocupou membros do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco e de outros órgãos ambientais.
De acordo com o vice-presidente do Comitê, Maciel Oliveira, é possível que o problema seja matéria orgânica, que se desprendeu do fundo do rio, mas não está descartada a possibilidade de contaminação. Na última quarta (26), uma equipe do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) fez a coleta da água, que está passando por análise para identificar a origem da mancha.
517 anos - Antes chamado de Opará (rio-mar) pelos índios que habitavam suas margens, com a chegada de Américo Vespúcio, foi batizado de São Francisco, em homenagem ao dia do santo. No dia 04 de outubro comemora-se o aniversário do rio São Francisco, que completou 517 anos. Enfrentando a maior crise hídrica de sua história, a situação do rio clama por uma reflexão. O que estamos fazendo com o Velho Chico? E o que podemos fazer por ele? Diante de uma escassez hídrica sem precedentes, é cada vez mais urgente pensar soluções para a sobrevivência do São Francisco.

Amostras das águas  do rio São Francisco,  no trecho que passa por Piaçabuçu/AL e faz divisa com Brejo Grande/SE, já foram coletadas para saber se há risco de contaminação. A região é a foz do São Francisco. As suspeitas se iniciaram depois de um vídeo divulgado na semana passada pelos pescadores da região, que mostra a aparição de manchas escuras no Velho Chico, o que preocupou membros do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco e de outros órgãos ambientais.
De acordo com o vice-presidente do Comitê, Maciel Oliveira, é possível que o problema seja matéria orgânica, que se desprendeu do fundo do rio, mas não está descartada a possibilidade de contaminação. Na última quarta (26), uma equipe do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) fez a coleta da água, que está passando por análise para identificar a origem da mancha.

517 anos - Antes chamado de Opará (rio-mar) pelos índios que habitavam suas margens, com a chegada de Américo Vespúcio, foi batizado de São Francisco, em homenagem ao dia do santo. No dia 04 de outubro comemora-se o aniversário do rio São Francisco, que completou 517 anos. Enfrentando a maior crise hídrica de sua história, a situação do rio clama por uma reflexão. O que estamos fazendo com o Velho Chico? E o que podemos fazer por ele? Diante de uma escassez hídrica sem precedentes, é cada vez mais urgente pensar soluções para a sobrevivência do São Francisco.