Balanço da campanha

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Em conversa ontem com a coluna o prefeito Valmir Monteiro (PSC/Lagarto) disse que não afrontou a justiça mediante entrega de 544 casas populares no município com a presença do ministro Alexandre Baldy. Segundo ele, as casas foram construídas com recursos
Em conversa ontem com a coluna o prefeito Valmir Monteiro (PSC/Lagarto) disse que não afrontou a justiça mediante entrega de 544 casas populares no município com a presença do ministro Alexandre Baldy. Segundo ele, as casas foram construídas com recursos

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/10/2018 às 07:07:00

 

Chegamos a dois dias das eleições deste 
ano e o que vimos foi uma campanha 
fria e sem empolgação do eleitorado, conforme constatação de candidatos veteranos como os deputados estaduais Venâncio Fonseca (PSC) e Garibalde Mendonça (MDB). Talvez pela decepção do eleitorado com a classe política, mediante as várias denúncias de corrupção, a crise política, econômica, ética e moral do país.
Com as várias restrições na campanha mediante legislação eleitoral, a exemplo da utilização de carro de som somente com a presença dos candidatos, e a redução do tempo de campanha para apenas 45 dias, assim como do tempo da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão que ficou em 35 dias, o que vimos foi uma campanha massificada pelas redes sociais. E como não poderia ser diferente, muitas Fake News.
Nas ferramentas utilizadas pelos candidatos majoritários, seja programa eleitoral, entrevistas, comícios e redes sociais, todos trabalharam em cima do slogan de suas campanhas.
O governador Belivaldo Chagas (PSD), que disputa a reeleição trabalhando em cima do nome da sua coligação "Pra Sergipe Avançar", passou a campanha dizendo que assumiu o governo [6 de abril deste ano] no período de crise e sabe como é difícil ser gestor no Estado com o Governo Temer. E que, mesmo assim, já melhorou a Saúde, Segurança Pública e o pagamento dos servidores públicos ativos e inativos, onde 70% já recebem dentro do mês.  Ressaltou que sabe como fazer e se sente preparado para continuar como governador nos próximos 4 anos, para preparar o Estado para os próximos 30 anos.
O candidato a governador Valadares Filho (PSB), que fez a campanha em cima do nome da sua coligação "Um novo governo para nossa gente", passou para o eleitor que é a "verdadeira mudança de Sergipe". Sempre deu ênfase que é o candidato mais preparado, é o único com chance de "melhorar a vida de nossa gente", que representa o novo, a renovação e a esperança dos sergipanos para uma gestão moderna e eficiente.
Por ser também candidato da oposição, Eduardo Amorim passou a campanha dizendo que ele era a "verdadeira mudança e oposição de Sergipe, que era o único capaz de melhorar a saúde, segurança pública, a vida do servidor com trabalho e proposta". Também focou no tema da sua coligação "Coragem para mudar Sergipe", enfatizando que era preciso coragem para melhorar a vida do povo sergipano.
Como não poderia ser diferente, os três trocaram farpas durante a campanha. Belivaldo fez críticas a Valadares Filho, dizendo que é teleguiado pelo pai, o senador Valadares, e a Eduardo Amorim, afirmando que o irmão Edivan Amorim é quem governaria o estado se o tucano fosse eleito governador. Ainda criticou o tucano por esconder o sobrenome. Acusou os dois opositores de terem apoiado o golpe e o governo Temer, e de viverem pulando de um lado para o outro, enquanto ele está no mesmo agrupamento desde Marcelo Déda.
Já Belivaldo foi criticado pelos dois adversários por estar no governo desde Déda e nada ter feito para melhorar a realidade da saúde, segurança pública e educação. Foi também muito criticado pelo tratamento dispensado aos servidores públicos no governo Jackson Barreto, do qual era vice, mediante o parcelamento e atraso no pagamento dos salários, e ausência de qualquer reajuste.
Somente chegando ao final da campanha, quando se viu ameaçado de não ir para o 2º turno, foi que Eduardo Amorim passou a criticar também Valadares Filho. Até então, isso não era feito pela convicção de que estaria no 2º turno e precisaria do apoio dos Valadares. O tucano passou a dizer que Belivaldo é cria e foi matriculado na escola dos Valadares, sempre estiveram juntos e há quatro anos foi ele quem foi de encontro aos interesses desse grupo, sendo, portanto, a verdadeira mudança e oposição.
Com o fim da propaganda eleitoral e dos debates, os candidatos têm até esse sábado para fazer carreatas, caminhadas, comícios e o corpo a corpo com o eleitor visando conquistar os votos dos indecisos. E se o cenário não mudar, a possibilidade maior de passar para o 2º turno é de Valadares Filho, que liderou as pesquisas toda a campanha, e Belivaldo, que saiu de um terceiro para segundo lugar.
Com isso, seria mantida a lógica de que em uma eleição é muito difícil dois candidatos da oposição estarem no 2º turno...

Chegamos a dois dias das eleições deste  ano e o que vimos foi uma campanha  fria e sem empolgação do eleitorado, conforme constatação de candidatos veteranos como os deputados estaduais Venâncio Fonseca (PSC) e Garibalde Mendonça (MDB). Talvez pela decepção do eleitorado com a classe política, mediante as várias denúncias de corrupção, a crise política, econômica, ética e moral do país.
Com as várias restrições na campanha mediante legislação eleitoral, a exemplo da utilização de carro de som somente com a presença dos candidatos, e a redução do tempo de campanha para apenas 45 dias, assim como do tempo da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão que ficou em 35 dias, o que vimos foi uma campanha massificada pelas redes sociais. E como não poderia ser diferente, muitas Fake News.
Nas ferramentas utilizadas pelos candidatos majoritários, seja programa eleitoral, entrevistas, comícios e redes sociais, todos trabalharam em cima do slogan de suas campanhas.
O governador Belivaldo Chagas (PSD), que disputa a reeleição trabalhando em cima do nome da sua coligação "Pra Sergipe Avançar", passou a campanha dizendo que assumiu o governo [6 de abril deste ano] no período de crise e sabe como é difícil ser gestor no Estado com o Governo Temer. E que, mesmo assim, já melhorou a Saúde, Segurança Pública e o pagamento dos servidores públicos ativos e inativos, onde 70% já recebem dentro do mês.  Ressaltou que sabe como fazer e se sente preparado para continuar como governador nos próximos 4 anos, para preparar o Estado para os próximos 30 anos.
O candidato a governador Valadares Filho (PSB), que fez a campanha em cima do nome da sua coligação "Um novo governo para nossa gente", passou para o eleitor que é a "verdadeira mudança de Sergipe". Sempre deu ênfase que é o candidato mais preparado, é o único com chance de "melhorar a vida de nossa gente", que representa o novo, a renovação e a esperança dos sergipanos para uma gestão moderna e eficiente.
Por ser também candidato da oposição, Eduardo Amorim passou a campanha dizendo que ele era a "verdadeira mudança e oposição de Sergipe, que era o único capaz de melhorar a saúde, segurança pública, a vida do servidor com trabalho e proposta". Também focou no tema da sua coligação "Coragem para mudar Sergipe", enfatizando que era preciso coragem para melhorar a vida do povo sergipano.
Como não poderia ser diferente, os três trocaram farpas durante a campanha. Belivaldo fez críticas a Valadares Filho, dizendo que é teleguiado pelo pai, o senador Valadares, e a Eduardo Amorim, afirmando que o irmão Edivan Amorim é quem governaria o estado se o tucano fosse eleito governador. Ainda criticou o tucano por esconder o sobrenome. Acusou os dois opositores de terem apoiado o golpe e o governo Temer, e de viverem pulando de um lado para o outro, enquanto ele está no mesmo agrupamento desde Marcelo Déda.
Já Belivaldo foi criticado pelos dois adversários por estar no governo desde Déda e nada ter feito para melhorar a realidade da saúde, segurança pública e educação. Foi também muito criticado pelo tratamento dispensado aos servidores públicos no governo Jackson Barreto, do qual era vice, mediante o parcelamento e atraso no pagamento dos salários, e ausência de qualquer reajuste.
Somente chegando ao final da campanha, quando se viu ameaçado de não ir para o 2º turno, foi que Eduardo Amorim passou a criticar também Valadares Filho. Até então, isso não era feito pela convicção de que estaria no 2º turno e precisaria do apoio dos Valadares. O tucano passou a dizer que Belivaldo é cria e foi matriculado na escola dos Valadares, sempre estiveram juntos e há quatro anos foi ele quem foi de encontro aos interesses desse grupo, sendo, portanto, a verdadeira mudança e oposição.
Com o fim da propaganda eleitoral e dos debates, os candidatos têm até esse sábado para fazer carreatas, caminhadas, comícios e o corpo a corpo com o eleitor visando conquistar os votos dos indecisos. E se o cenário não mudar, a possibilidade maior de passar para o 2º turno é de Valadares Filho, que liderou as pesquisas toda a campanha, e Belivaldo, que saiu de um terceiro para segundo lugar.
Com isso, seria mantida a lógica de que em uma eleição é muito difícil dois candidatos da oposição estarem no 2º turno...

Polarização

Em toda a campanha a eleição esteve polarizada entre os três candidatos a governador Belivaldo Chagas (PSD), Valadares Filho (PSB) e Eduardo Amorim (PSDB). Mendonça Prado (MDB) nunca ameaçou e muito menos os outros cinco candidatos por partidos nanicos: Dr. Emerson (Rede), Milton Andrade (PMN), Gilvani Santos (PSTU), Marcio Souza (PSOL) e Eduardo Cassini (PSL).

Faltou tudo

Os candidatos por partidos menores foram prejudicados pela falta de recursos e tempo de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. O tempo desses candidatos variou de 8 a 30 segundos.

Embates judiciais 1

Teve embates judiciais, com direto de resposta, entre os três principais candidatos a governador.  Ontem mesmo a justiça eleitoral concedeu direito de resposta contra Eduardo Amorim, que atacou a honra de Valadares Filho no último programa eleitoral na quarta-feira à noite. Será hoje, às 20h30, na TV.

Embates judiciais 2

Eduardo utilizou em seu programa eleitoral técnicas de montagens e trucagens para fazer acusações e tentar criar um clima desfavorável a Valadares Filho ao falar que é investigado pela Polícia Federal em um suposto esquema de desvio de recursos públicos através de empresas fantasmas.

Em nota

A assessoria do candidato a governador do PSB diz que Valadares Filho não é investigado, não praticou nenhum crime, é político ficha limpa e foi quem procurou a Policia Federal para que fosse apurado crime de calúnia contra sua honra. É ressaltado que ele faz campanha propositiva, limpa, como deve sempre fazer a nova política; que a propaganda eleitoral deve ser usada para apresentação de ideias e propostas e não para atacar a honra dos adversários.

Senado 1

A dois dias das eleições, o quadro ainda está indefinido para o Senado. Analistas políticos acreditam que estão para valer na disputa pelas duas vagas de senador: Antônio Carlos Valadares (PSB), André Moura (PSC) e Jackson Barreto (MDB). Os três são um dos candidatos da coligação de Valadares Filho, Eduardo Amorim e Belivaldo Chagas.

Senado 2

O entendimento é que Valadares se mantém na liderança das pesquisas de intenções de voto em razão do reconhecimento do eleitor pelos serviços prestados a Sergipe como governador e senador por três mandatos, sem nenhum escândalo de corrupção.

Senado 3

A boa avaliação de André Moura tem a ver com o fato de ter conseguido passar para a opinião pública que foi o político de Sergipe que mais ajudou o estado com a liberação de recursos do governo federal, na ordem de R$ 1,5 bilhão, sem olhar a filiação partidária do gestor. Ter conseguido o apoio de 66 prefeitos à sua campanha e ser um trator para trabalhar.

Senado 3

Não dá para subestimar Jackson Barreto em uma campanha por ser um político de chegada, uma liderança histórica e que lutou contra a ditadura militar. Em um momento como esse da eleição presidencial, com risco de retrocesso com Jair Bolsonaro (PSL), ele seria uma voz importante no Congresso Nacional. Sem falar que JB conhece bem todas as pedras do jogo político em Sergipe e até onde as cobras dormem.      

Intenção

Os nove candidatos ao Governo do Estado receberam das mãos das líderes do Grupo Mulheres do Brasil em Sergipe uma carta de intenção na qual são apresentadas algumas sugestões de medidas que beneficiam as mulheres. O documento, elaborado pelo Comitê de Políticas Públicas a partir de demandas verificadas em diversos setores, recomenda o comprometimento do futuro gestor com as causas propostas. 

Como vota 1

Belivaldo Chagas, que é simãodiense, vota no domingo em Simão Dias, na Escola Municipal Carvalho Neto, na Praça Lucila Macêdo Déda. Deverá votar por volta das 9h, acompanhado pela família e candidatos da coligação governista.

Como vota 2

Candidata a vice-governadora na chapa encabeçada por Belivaldo, a petista Eliane Aquino vota em Aracaju, no Colégio Patrocínio de São José, e deve ir ao local de votação por volta das 10h, também acompanhada por militantes e lideranças políticas.

Meta cumprida

Na última quarta-feira (03), o candidato a deputado federal, coronel Rocha (Rede), bateu a meta de visitar os 75 municípios sergipanos em sua campanha. As últimas cidades visitadas foram Neópolis, Santo Amaro das Brotas, Ilha das Flores, Malhador e Pacatuba.

Fim do prazo

Hoje é o último dia para a divulgação paga, na imprensa escrita, de propaganda eleitoral e para a reprodução, na internet, de jornal impresso, de acordo com o artigo 43 da Lei 9.504/1997.

Veja essa ...

Depois dos preconceitos e desrespeito as minorias e às mulheres pelo presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e da defesa do fim do 13º salário e adicional de férias por Mourão, agora é o presidente do Clube Militar, general da reserva Eduardo José Barbosa, que defende propostas para que haja fusão dos estados de Alagoas e Sergipe em documento chamado "Por Um Brasil Melhor". Alega que estados que têm menor arrecadação, são pequenos e gastam muito deveriam ser fundidos para reduzir despesas.  O general também defendeu o fim da estabilidade dos servidores. Só Jesus na causa!

Curtas

Na agenda de Belivaldo Chagas de hoje consta, pela manhã, entrevista na 103 FM; pela tarde carreata em Nossa Senhora do Socorro, no Complexo Taiçoca; e início da noite carreata em Aracaju, no Jardim Centenário, Bahamas, Soledade e Jardim Centenário.

Consta na agenda desta sexta-feria de Eduardo Amorim, pela manhã, visita a feira de Campo do Brito e carreata em Japaratuba; e pela tarde carreata em Nossa Senhora do Socorro.

Belivaldo Chagas e Eduardo Amorim devem se cruzar durante carreata hoje em Nossa Senhora do Socorro. Os dois candidatos colocaram na agenda, coincidentemente, o mesmo horário da carreata no município: 15h.

Mendonça Prado tem na agenda de hoje pela manhã visita a lideranças do baixo São Francisco; à tarde mini carreata pelo Conjunto Soledade e imediações da Avenida Euclides de Figueiredo.