Haddad lidera em Sergipe e Rogério pode ser eleito senador no domingo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Rogério e Fernando Haddad em caminhada no centro de Aracaju
Rogério e Fernando Haddad em caminhada no centro de Aracaju

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 06/10/2018 às 07:02:00

 

Em uma semana, as in
tenções de voto de 
Fernando Haddad no Nordeste foram as maiores registradas na eleição de 2018. O candidato do PT à presidência da República lidera em sete estados, inclusive em Sergipe.
Com números que evidenciam um crescimento significativo, o nome de Fernando Haddad apareceu nas pesquisas nacionais no mês de Agosto. Os primeiros dados apresentavam o petista com apenas 4 pontos na preferência do eleitor. A última pesquisa Ibope informou que na primeira semana de outubro, Fernando Haddad bate o recorde de 41 pontos. O que significa uma arrancada de 37 pontos.
A situação favorece a Fernando Haddad porque numa eleição em que o candidato mantém um crescimento constante, mesmo que exista um segundo turno, o embalo da adesão toma conta dos eleitores. E o resultado, vem nas urnas.
O Nordeste, com nove estados, representa um quarto dos eleitores do País. A diferença dos votos da região já foi sentida em outros pleitos. Em 2014, por exemplo, Dilma Rousseff (PT) conseguiu ganhar de Aécio Neves (PSDB) com vantagem de 12 milhões de votos nordestinos.
Situação reflete em Sergipe - Na mesma onda petista aparece o candidato ao Senado Rogério Carvalho. Desde a visita do presidenciável Fernando Haddad, e a convergência na forma de atuar na política, esses fatores reforçaram uma identidade entre Haddad e Rogério que o sergipano aprova. E que Rogério colhe em votos.
Assim como Haddad, nas primeiras pesquisas locais para o Senado, Rogério começou com apenas 3 pontos nas intenções de voto. Nas últimas pesquisas aqui em Sergipe, uma progressão semelhante ao que acontece com o Haddad. Agora Rogério é o favorito dos sergipanos no segundo voto.
Ainda que os percentuais variem de instituto para instituto, a presença de Rogério como o preferido no segundo voto deve ser sentida também no dia do pleito. O baixo índice de rejeição influencia o eleitor em confiar uma das escolhas a Rogério.
O que é fácil de prever é que assim como aconteceu em 2014, com a vitória da Dilma sobre o Aécio por causa deste reforço nas intenções de voto do Nordeste, agora em 2018 cria um ambiente favorável ao PT tanto na eleição de Fernando Haddad à presidência, quanto para Rogério Carvalho como representante de Sergipe no Senado.
O que seria uma grande recompensa que os sergipanos dariam ao candidato ao Senado Rogério Carvalho, diante da interferência de pesquisas fraudulentas também em 2014, que de certa forma interferiram na decisão do eleitor que perdeu muito em não apostar em Rogério para ocupar uma cadeira no Senado Federal.

Em uma semana, as in tenções de voto de  Fernando Haddad no Nordeste foram as maiores registradas na eleição de 2018. O candidato do PT à presidência da República lidera em sete estados, inclusive em Sergipe.
Com números que evidenciam um crescimento significativo, o nome de Fernando Haddad apareceu nas pesquisas nacionais no mês de Agosto. Os primeiros dados apresentavam o petista com apenas 4 pontos na preferência do eleitor. A última pesquisa Ibope informou que na primeira semana de outubro, Fernando Haddad bate o recorde de 41 pontos. O que significa uma arrancada de 37 pontos.
A situação favorece a Fernando Haddad porque numa eleição em que o candidato mantém um crescimento constante, mesmo que exista um segundo turno, o embalo da adesão toma conta dos eleitores. E o resultado, vem nas urnas.
O Nordeste, com nove estados, representa um quarto dos eleitores do País. A diferença dos votos da região já foi sentida em outros pleitos. Em 2014, por exemplo, Dilma Rousseff (PT) conseguiu ganhar de Aécio Neves (PSDB) com vantagem de 12 milhões de votos nordestinos.

Situação reflete em Sergipe - Na mesma onda petista aparece o candidato ao Senado Rogério Carvalho. Desde a visita do presidenciável Fernando Haddad, e a convergência na forma de atuar na política, esses fatores reforçaram uma identidade entre Haddad e Rogério que o sergipano aprova. E que Rogério colhe em votos.
Assim como Haddad, nas primeiras pesquisas locais para o Senado, Rogério começou com apenas 3 pontos nas intenções de voto. Nas últimas pesquisas aqui em Sergipe, uma progressão semelhante ao que acontece com o Haddad. Agora Rogério é o favorito dos sergipanos no segundo voto.
Ainda que os percentuais variem de instituto para instituto, a presença de Rogério como o preferido no segundo voto deve ser sentida também no dia do pleito. O baixo índice de rejeição influencia o eleitor em confiar uma das escolhas a Rogério.
O que é fácil de prever é que assim como aconteceu em 2014, com a vitória da Dilma sobre o Aécio por causa deste reforço nas intenções de voto do Nordeste, agora em 2018 cria um ambiente favorável ao PT tanto na eleição de Fernando Haddad à presidência, quanto para Rogério Carvalho como representante de Sergipe no Senado.
O que seria uma grande recompensa que os sergipanos dariam ao candidato ao Senado Rogério Carvalho, diante da interferência de pesquisas fraudulentas também em 2014, que de certa forma interferiram na decisão do eleitor que perdeu muito em não apostar em Rogério para ocupar uma cadeira no Senado Federal.