Caceteiras servem de inspiração para cartaz oficial do FASC 2018

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/10/2018 às 09:19:00

 

A Prefeitura de São Cristóvão retomou este ano o concurso de cartazes para o Festival de Artes de São Cristóvão (FASC). Esta era uma tradição que acompanhava o evento desde a sua criação em 1972. A organização do concurso era feita pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), por meio do Centro de Cultura e Arte (Cultart), e também servia como uma forma de divulgar o trabalho desses artistas, valorizando as artes visuais sergipanas.
O design de interiores e artista plástico Jorge Luiz Barros lembrou do alvoroço causado pela abertura dos concursos dos antigos cartazes entre os artistas visuais sergipanos. Para ele, ter sido escolhido nas edições de 1978 e 1986 contribui para enriquecer o seu portfólio.
"O FASC mexia com os artistas de todo o Brasil. Não era apenas um evento, mas um movimento composto por artistas de várias modalidades e regiões brasileiras, e ter sua obra escolhida para ser a cara do festival naquela época era um prestígio indescritível. Acredito que ter tido minhas obras selecionadas em dois momentos do evento ajudou tanto para a minha formação artística, como também para que outros olhares pudessem apreciá-las", relembrou Jorge Luiz Barros.
Este ano, o concurso de cartazes foi aberto no mês de agosto e teve como tema: "Uma Cidade Onde a Cultura Impera, a Violência não Vira Espetáculo". Participaram peças de artistas plásticos, designers, publicitários, profissionais de comunicação visual e interessados em geral. O resultado foi divulgado no dia 20 de setembro, tendo como vencedor Canijan Oliveira. A inspiração do artista, que é aracajuano, foram as manifestações folclóricas de São Cristóvão, em especial as Caceteiras de Mestre Rindú.
"Foi uma surpresa ter vencido o concurso deste ano. Eu não sabia da existência do certame, então uma professora me falou do edital e decidi me inscrever e participar. Já havia visitado São Cristóvão algumas vezes e fiquei encantado pelas Caceteiras de Mestre Rindú, tanto que elas serviram de inspiração para compor o cartaz", frisou Canijan.    
Este ano a 35ª edição do Festival de Artes de São Cristóvão, acontecerá nos dias 15,16,17 e 18 de novembro, em vários pontos do Centro Histórico da Cidade Mãe. A programação será composta por mais de 100 artistas dos cenários nacional e local, nas mais diversas modalidades e expressões artísticas brasileiras.

A Prefeitura de São Cristóvão retomou este ano o concurso de cartazes para o Festival de Artes de São Cristóvão (FASC). Esta era uma tradição que acompanhava o evento desde a sua criação em 1972. A organização do concurso era feita pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), por meio do Centro de Cultura e Arte (Cultart), e também servia como uma forma de divulgar o trabalho desses artistas, valorizando as artes visuais sergipanas.
O design de interiores e artista plástico Jorge Luiz Barros lembrou do alvoroço causado pela abertura dos concursos dos antigos cartazes entre os artistas visuais sergipanos. Para ele, ter sido escolhido nas edições de 1978 e 1986 contribui para enriquecer o seu portfólio.
"O FASC mexia com os artistas de todo o Brasil. Não era apenas um evento, mas um movimento composto por artistas de várias modalidades e regiões brasileiras, e ter sua obra escolhida para ser a cara do festival naquela época era um prestígio indescritível. Acredito que ter tido minhas obras selecionadas em dois momentos do evento ajudou tanto para a minha formação artística, como também para que outros olhares pudessem apreciá-las", relembrou Jorge Luiz Barros.
Este ano, o concurso de cartazes foi aberto no mês de agosto e teve como tema: "Uma Cidade Onde a Cultura Impera, a Violência não Vira Espetáculo". Participaram peças de artistas plásticos, designers, publicitários, profissionais de comunicação visual e interessados em geral. O resultado foi divulgado no dia 20 de setembro, tendo como vencedor Canijan Oliveira. A inspiração do artista, que é aracajuano, foram as manifestações folclóricas de São Cristóvão, em especial as Caceteiras de Mestre Rindú.
"Foi uma surpresa ter vencido o concurso deste ano. Eu não sabia da existência do certame, então uma professora me falou do edital e decidi me inscrever e participar. Já havia visitado São Cristóvão algumas vezes e fiquei encantado pelas Caceteiras de Mestre Rindú, tanto que elas serviram de inspiração para compor o cartaz", frisou Canijan.    
Este ano a 35ª edição do Festival de Artes de São Cristóvão, acontecerá nos dias 15,16,17 e 18 de novembro, em vários pontos do Centro Histórico da Cidade Mãe. A programação será composta por mais de 100 artistas dos cenários nacional e local, nas mais diversas modalidades e expressões artísticas brasileiras.