Idosa morre atropelada por caminhão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O motorista do caminhão não foi considerado culpado
O motorista do caminhão não foi considerado culpado

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/10/2018 às 10:02:00

 

Na manhã de ontem o Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), oficializou a morte de Aurelina Santos Vieira, uma idosa de 68 anos, a qual faleceu após tentar atravessar a Avenida Tancredo Neves, considerada pelos órgãos de trânsito como uma das vias mais perigosas de Aracaju. De acordo com testemunhas, no momento da travessia Aurelina Vieira se esbarrou em uma motocicleta e acabou sendo atingida pelas rodas traseiras de um caminhão. Como o acidente ocorreu nas mediações do Huse, a vítima foi imediatamente encaminhada ao setor de urgência e emergência, submetida aos devidos procedimentos médicos, mas não suportou ao impacto.
Um boletim médico apresentado pelo Huse e confirmado pela assessoria de comunicação informou que a idosa foi atingida pelo veículo na região do abdômen e das penas; diante do impacto necessitou ser encaminhada à Ala Vermelha onde sofreu uma parada cardiorespiratória. Impactante com o sinistro o motorista do caminhão, Eliel Teixeira, informou que somente parou o veículo para prestar assistência após se deparar com populares gritando e pedindo que ele freasse. Paulistano, ele informou que estava voltando da cidade de Fortaleza (CE) e chegando na capital sergipana para realizar uma entrega.
"Foi tudo muito rápido e infelizmente eu não vi a idosa batendo na parte de trás do caminhão. Infelizmente ela, segundo também soube, não se atentou para uma moto, se esbarrou nela, perdeu o controle e acabou atingida pelo caminhão que dirijo. Assim que percebi o desespero de algumas pessoas acabei parando de imediato e ajudando no resgate", declarou Eliel Teixeira antes de saber do falecimento de Aurelina Santos Vieira. Apesar de próximo - menos de 100 metros, por motivos de cautela a transferência até o Huse foi realizada por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - Samu. (Milton Alves Júnior)

Na manhã de ontem o Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), oficializou a morte de Aurelina Santos Vieira, uma idosa de 68 anos, a qual faleceu após tentar atravessar a Avenida Tancredo Neves, considerada pelos órgãos de trânsito como uma das vias mais perigosas de Aracaju. De acordo com testemunhas, no momento da travessia Aurelina Vieira se esbarrou em uma motocicleta e acabou sendo atingida pelas rodas traseiras de um caminhão. Como o acidente ocorreu nas mediações do Huse, a vítima foi imediatamente encaminhada ao setor de urgência e emergência, submetida aos devidos procedimentos médicos, mas não suportou ao impacto.
Um boletim médico apresentado pelo Huse e confirmado pela assessoria de comunicação informou que a idosa foi atingida pelo veículo na região do abdômen e das penas; diante do impacto necessitou ser encaminhada à Ala Vermelha onde sofreu uma parada cardiorespiratória. Impactante com o sinistro o motorista do caminhão, Eliel Teixeira, informou que somente parou o veículo para prestar assistência após se deparar com populares gritando e pedindo que ele freasse. Paulistano, ele informou que estava voltando da cidade de Fortaleza (CE) e chegando na capital sergipana para realizar uma entrega.
"Foi tudo muito rápido e infelizmente eu não vi a idosa batendo na parte de trás do caminhão. Infelizmente ela, segundo também soube, não se atentou para uma moto, se esbarrou nela, perdeu o controle e acabou atingida pelo caminhão que dirijo. Assim que percebi o desespero de algumas pessoas acabei parando de imediato e ajudando no resgate", declarou Eliel Teixeira antes de saber do falecimento de Aurelina Santos Vieira. Apesar de próximo - menos de 100 metros, por motivos de cautela a transferência até o Huse foi realizada por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - Samu. (Milton Alves Júnior)