Menina de quatro anos é morta em assalto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A menina Ayla Raniele dos Santos Souza foi atingida por um tiro
A menina Ayla Raniele dos Santos Souza foi atingida por um tiro

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 16/10/2018 às 07:57:00

 

Mais uma criança foi 
vítima da violên
cia neste final de semana, provocando choque e perplexidade em todo o estado. A menina Ayla Raniele dos Santos Souza, quatro anos, morreu na tarde deste sábado, atingida por um tiro na cabeça enquanto era levada na garupa da moto do pai. O crime aconteceu em uma estrada de terra no povoado Terra Dura, entre as cidades de Capela e Japaratuba (Vale do Cotinguiba), e foi cometido por dois homens armados que estavam escondidos em um matagal. O pai da menina, de 33 anos, foi ferido com um tiro no peito. 
Segundo informações da Polícia Militar, os criminosos se esconderam perto da cancela de um sítio e aproveitaram o momento em que o pai diminuía a velocidade da moto. Assustado, o rapaz chegou a acelerar para tentar fugir dos bandidos, mas um deles atirou e acertou o peito do condutor. A bala transfixou o corpo dele e acertou a cabeça de Ayla. Os criminosos aproveitaram a queda das vítimas e fugiram levando a moto. Pessoas que passavam pelo local socorreram pai e filha, levando-os ao Hospital Municipal de Japaratuba. A menina teve a morte constatada pelos médicos, enquanto o pai foi transferido em estado grave para o Hospital de Urgência de Sergipe, onde permaneceu internado no dia de ontem. 
A Polícia Civil já considera que o crime foi um latrocínio (roubo seguido de morte), pois o objetivo dos atiradores era levar a moto do pai da menina. No entanto, a identidade dela ainda é desconhecida da polícia, apesar de algumas pistas já serem seguidas por policiais militares que atuam na região. Segundo a delegada-geral Katarina Feitoza, o caso é investigado por uma força-tarefa montada pelas delegacias de Capela e Japaratuba, com apoio da Coordenadoria de Polícia do Interior (Copci). O corpo da menina foi enterrado na tarde de domingo, sendo acompanhado por centenas de pessoas que lamentavam a tragédia e pediam a punição dos culpados.

Mais uma criança foi  vítima da violên cia neste final de semana, provocando choque e perplexidade em todo o estado. A menina Ayla Raniele dos Santos Souza, quatro anos, morreu na tarde deste sábado, atingida por um tiro na cabeça enquanto era levada na garupa da moto do pai. O crime aconteceu em uma estrada de terra no povoado Terra Dura, entre as cidades de Capela e Japaratuba (Vale do Cotinguiba), e foi cometido por dois homens armados que estavam escondidos em um matagal. O pai da menina, de 33 anos, foi ferido com um tiro no peito. 
Segundo informações da Polícia Militar, os criminosos se esconderam perto da cancela de um sítio e aproveitaram o momento em que o pai diminuía a velocidade da moto. Assustado, o rapaz chegou a acelerar para tentar fugir dos bandidos, mas um deles atirou e acertou o peito do condutor. A bala transfixou o corpo dele e acertou a cabeça de Ayla. Os criminosos aproveitaram a queda das vítimas e fugiram levando a moto. Pessoas que passavam pelo local socorreram pai e filha, levando-os ao Hospital Municipal de Japaratuba. A menina teve a morte constatada pelos médicos, enquanto o pai foi transferido em estado grave para o Hospital de Urgência de Sergipe, onde permaneceu internado no dia de ontem. 
A Polícia Civil já considera que o crime foi um latrocínio (roubo seguido de morte), pois o objetivo dos atiradores era levar a moto do pai da menina. No entanto, a identidade dela ainda é desconhecida da polícia, apesar de algumas pistas já serem seguidas por policiais militares que atuam na região. Segundo a delegada-geral Katarina Feitoza, o caso é investigado por uma força-tarefa montada pelas delegacias de Capela e Japaratuba, com apoio da Coordenadoria de Polícia do Interior (Copci). O corpo da menina foi enterrado na tarde de domingo, sendo acompanhado por centenas de pessoas que lamentavam a tragédia e pediam a punição dos culpados.