Copa das Favelas começa hoje no Anchietão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/10/2018 às 06:28:00

 

Neste sábado, os times da inclusão social e do esporte entram em campo na Taça das Favelas. A competição, organizada pela Central Única das Favelas de Sergipe (Cufa-SE), reúne 16 equipes masculinas e duas femininas, com jogadores de idade entre 15 e 17 anos. As disputas serão realizadas na Arena Anchietão, no bairro Bugio. Ao todo, os jogos movimentarão cerca de 360 atletas que representam bairros de Aracaju e do interior do estado. A Secretaria Municipal da Juventude e do Esporte (Sejesp) vai fornecer o apoio logístico ao campeonato. 
A competição, que surgiu em 2012, já acontece em diversos estados, mas, em Aracaju, é a primeira vez que será realizada a Taça das Favelas. De acordo com a coordenadora da Cufa Sergipe, Veronica Paiva, o campeonato faz parte de um conjunto de ações da Central. "Nosso objetivo é proporcionar oportunidade aos meninos para que eles possam ir em busca dos seus sonhos. Nosso foco é fazer uma integração entre as comunidades envolvidas, além de poder fortalecer a autoestima dos jovens.
Na primeira edição da Taça das Favelas, a equipe do Bugio promete vir com tudo para a competição. O time, que vem treinando forte para o campeonato, está há quatro anos junto e se tornou uma grande família. Treinador da equipe, Marconi Gois afirmou que a verdadeira vitória vai além dos títulos. 
 - Já desenvolvemos um trabalho com a comunidade há quatro anos, estamos juntos há um bom tempo. Quando falei com os meninos sobre essa competição, eles ficaram muito empolgados. E o mais importante não é o título, e sim a participação deles, que estão supermotivados. É algo que revela alguns talentos" disse.
Representando o bairro Santa Maria, a equipe treinada por Gustavo Henriques foi formada recentemente por meninos da comunidade. É o primeiro campeonato que o time vai participar com a atual formação. Segundo Gustavo, o time tem se dedicado aos treinos e está contente em poder representar o bairro na Taça das Favelas. "Estou ansioso! Os meninos são aplicados e estão animados para o início dos jogos. Estamos nos preparando há algum tempo, os jogadores são jovens do bairro e estão se esforçando para as disputas. A importância desse campeonato é muito grande para mim e toda equipe, estamos felizes em participar. Vejo que, através do esporte, houve muitas mudanças na vida desses garotos, eles saíram das ruas e evoluíram muito".

Neste sábado, os times da inclusão social e do esporte entram em campo na Taça das Favelas. A competição, organizada pela Central Única das Favelas de Sergipe (Cufa-SE), reúne 16 equipes masculinas e duas femininas, com jogadores de idade entre 15 e 17 anos. As disputas serão realizadas na Arena Anchietão, no bairro Bugio. Ao todo, os jogos movimentarão cerca de 360 atletas que representam bairros de Aracaju e do interior do estado. A Secretaria Municipal da Juventude e do Esporte (Sejesp) vai fornecer o apoio logístico ao campeonato. 
A competição, que surgiu em 2012, já acontece em diversos estados, mas, em Aracaju, é a primeira vez que será realizada a Taça das Favelas. De acordo com a coordenadora da Cufa Sergipe, Veronica Paiva, o campeonato faz parte de um conjunto de ações da Central. "Nosso objetivo é proporcionar oportunidade aos meninos para que eles possam ir em busca dos seus sonhos. Nosso foco é fazer uma integração entre as comunidades envolvidas, além de poder fortalecer a autoestima dos jovens.
Na primeira edição da Taça das Favelas, a equipe do Bugio promete vir com tudo para a competição. O time, que vem treinando forte para o campeonato, está há quatro anos junto e se tornou uma grande família. Treinador da equipe, Marconi Gois afirmou que a verdadeira vitória vai além dos títulos. 
 - Já desenvolvemos um trabalho com a comunidade há quatro anos, estamos juntos há um bom tempo. Quando falei com os meninos sobre essa competição, eles ficaram muito empolgados. E o mais importante não é o título, e sim a participação deles, que estão supermotivados. É algo que revela alguns talentos" disse.
Representando o bairro Santa Maria, a equipe treinada por Gustavo Henriques foi formada recentemente por meninos da comunidade. É o primeiro campeonato que o time vai participar com a atual formação. Segundo Gustavo, o time tem se dedicado aos treinos e está contente em poder representar o bairro na Taça das Favelas. "Estou ansioso! Os meninos são aplicados e estão animados para o início dos jogos. Estamos nos preparando há algum tempo, os jogadores são jovens do bairro e estão se esforçando para as disputas. A importância desse campeonato é muito grande para mim e toda equipe, estamos felizes em participar. Vejo que, através do esporte, houve muitas mudanças na vida desses garotos, eles saíram das ruas e evoluíram muito".