Celse premiada por estrutura de financiamento

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/10/2018 às 11:57:00

 

No início deste mês, 
a Centrais Elétricas 
de Sergipe (Celse) foi premiada pela Latin Finance, agência de inteligência de mercados financeiros e economias da América Latina e do Caribe, em duas categorias do Project & Infrastructure Finance Awards: melhor financiamento de projetos de infraestrutura e melhor projeto em colocação de debêntures.
A premiação destacou que a Celse inovou na estrutura de financiamento para a construção do Complexo Termoelétrico Porto de Sergipe I. Os recursos foram obtidos por meio da emissão de debêntures e de financiamento de organismos multilaterais, ou seja, sem utilizar financiamento público brasileiro. Todo o processo foi conduzido pelo CFO, Ricardo Assef, e pelo então presidente da companhia, Eduardo Maranhão.
"Os diferenciais de nossa captação de recursos são justamente não termos recorrido a a instituiçoes públicsa brasileira de financiamento de longo prazo e obter financiamento internacional para um projeto de geração de energia contratado em moeda nacional", afirma o atual presidente da Celse, Pedro Litsek.
Vale lembrar que o investimento na ordem de R$ 6 bilhões é o maior já realizado em Sergipe. Desse valor, aproximadamente R$ 3,4 bilhões são por meio da emissão de debêntures simples não-conversíveis, com a cobertura da agência suíça de crédito à exportação, SERV (Swiss Export Risk Insurance), e com o Goldman Sachs Brasil como coordenador líder da emissão. 
No total o projeto recebeu US$ 200 milhões da IFC (International Finance Corporation), entidade do Banco Mundial voltada a investimentos no setor privado, e US$ 288 milhões do IDB Invest, braço do Inter-American Development Bank para investimentos no setor privado.

No início deste mês,  a Centrais Elétricas  de Sergipe (Celse) foi premiada pela Latin Finance, agência de inteligência de mercados financeiros e economias da América Latina e do Caribe, em duas categorias do Project & Infrastructure Finance Awards: melhor financiamento de projetos de infraestrutura e melhor projeto em colocação de debêntures.
A premiação destacou que a Celse inovou na estrutura de financiamento para a construção do Complexo Termoelétrico Porto de Sergipe I. Os recursos foram obtidos por meio da emissão de debêntures e de financiamento de organismos multilaterais, ou seja, sem utilizar financiamento público brasileiro. Todo o processo foi conduzido pelo CFO, Ricardo Assef, e pelo então presidente da companhia, Eduardo Maranhão.
"Os diferenciais de nossa captação de recursos são justamente não termos recorrido a a instituiçoes públicsa brasileira de financiamento de longo prazo e obter financiamento internacional para um projeto de geração de energia contratado em moeda nacional", afirma o atual presidente da Celse, Pedro Litsek.
Vale lembrar que o investimento na ordem de R$ 6 bilhões é o maior já realizado em Sergipe. Desse valor, aproximadamente R$ 3,4 bilhões são por meio da emissão de debêntures simples não-conversíveis, com a cobertura da agência suíça de crédito à exportação, SERV (Swiss Export Risk Insurance), e com o Goldman Sachs Brasil como coordenador líder da emissão. 
No total o projeto recebeu US$ 200 milhões da IFC (International Finance Corporation), entidade do Banco Mundial voltada a investimentos no setor privado, e US$ 288 milhões do IDB Invest, braço do Inter-American Development Bank para investimentos no setor privado.