Guarany deve mandar seus jogos em Glória

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 25/10/2018 às 06:54:00

 

Para o Guarany de Porto da 
Folha a conquistado títu-
lo estadual da Divisão A2 trouxe uma série de problemas. Um deles já previsto mesmo antes do início da competição, será onde o time deve mandar os seus jogos na Divisão principal em 2019. Está mais do que comprovado que o atual estádio de Porto da Folha, o estádio Caio Feitosa não reúne as mínimas condições de receber oficiais.
Nesta quarta-feira, o presidente do Guarany, Roberto Rodrigues esteve na Federação Sergipana de Futebol (FSF) e conversou demoradamente com o presidente Milton Dantas sobre o assunto expondo o seu ponto de vista e apresentando as soluções mais simples.
- Temos algumas opções que foram apresentadas ao presidente Milton Dantas. Não sabemos delas qual será aproveitada. Mas a princípio o nosso objetivo é mandar os jogos em Porto da Folha. Pode ser no Caio Feitosa, que passaria por uma grande reforma, ou até mesmo no novo estádio, que tem medidas oficiais, mas ainda precisa de algumas adaptações - disse Roberto Rodrigues Presidente da equipe.
O presidente do Guarany disse ainda que a equipe poderia iniciar seus jogos na cidade de Nossa Senhora da Gloria, enquanto se complementaria as obras em um dos estádios de Porto da Folha. "Essa seria uma boa opção, até porque, como o estádio de Gloria tem um bom gramado e sistema de iluminação, poderíamos ter jogos noturnos. Vamos definir pela melhor opção para o Guarany e para o torcedor de Porto da Folha", concluiu o presidente Roberto Rodrigues,
Nesta quarta-feira após a conversa com o presidente da equipe de Porto da Folha, Milton Dantas disse que o problema dos estádios é mais complicado do que se pensa e necessita de uma solução mais do que urgente. "É uma situação difícil. Já começamos a analisar as opções apresentadas e nesta sexta-feira 26, iniciaremos as visitas de inspeção aos diversos estádios e começaremos elo Caio Feitosa em Porto da Folha. Mas visitaremos todas as praças de esporte do interior, principalmente aquelas que se apresentam como as mais problemáticas", disse Milton Dantas.

Para o Guarany de Porto da  Folha a conquistado títu- lo estadual da Divisão A2 trouxe uma série de problemas. Um deles já previsto mesmo antes do início da competição, será onde o time deve mandar os seus jogos na Divisão principal em 2019. Está mais do que comprovado que o atual estádio de Porto da Folha, o estádio Caio Feitosa não reúne as mínimas condições de receber oficiais.
Nesta quarta-feira, o presidente do Guarany, Roberto Rodrigues esteve na Federação Sergipana de Futebol (FSF) e conversou demoradamente com o presidente Milton Dantas sobre o assunto expondo o seu ponto de vista e apresentando as soluções mais simples.
- Temos algumas opções que foram apresentadas ao presidente Milton Dantas. Não sabemos delas qual será aproveitada. Mas a princípio o nosso objetivo é mandar os jogos em Porto da Folha. Pode ser no Caio Feitosa, que passaria por uma grande reforma, ou até mesmo no novo estádio, que tem medidas oficiais, mas ainda precisa de algumas adaptações - disse Roberto Rodrigues Presidente da equipe.
O presidente do Guarany disse ainda que a equipe poderia iniciar seus jogos na cidade de Nossa Senhora da Gloria, enquanto se complementaria as obras em um dos estádios de Porto da Folha. "Essa seria uma boa opção, até porque, como o estádio de Gloria tem um bom gramado e sistema de iluminação, poderíamos ter jogos noturnos. Vamos definir pela melhor opção para o Guarany e para o torcedor de Porto da Folha", concluiu o presidente Roberto Rodrigues,
Nesta quarta-feira após a conversa com o presidente da equipe de Porto da Folha, Milton Dantas disse que o problema dos estádios é mais complicado do que se pensa e necessita de uma solução mais do que urgente. "É uma situação difícil. Já começamos a analisar as opções apresentadas e nesta sexta-feira 26, iniciaremos as visitas de inspeção aos diversos estádios e começaremos elo Caio Feitosa em Porto da Folha. Mas visitaremos todas as praças de esporte do interior, principalmente aquelas que se apresentam como as mais problemáticas", disse Milton Dantas.