Sub-20 do Dragão busca reabilitação

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Edmilson Santos, treinador do Sub-20 do Dragão treina forte, para conquistar a reabilitação contra o Vitória-BA em Salvador
Edmilson Santos, treinador do Sub-20 do Dragão treina forte, para conquistar a reabilitação contra o Vitória-BA em Salvador

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 26/10/2018 às 06:21:00

 

O Sub-20 do Confian-
ça não foi feliz na 
partida de estreia na Copa Nordeste da categoria. O campeão sergipano foi goleado pelo Bahia por 6x1, uma goleada surpreendente e inesperada. Para o treinador Edmilson Santos o time que começou bem, saiu na frente, mas sofreu um apagão e foi goleado.  
Edmilson diz ainda que a tensão da estreia deve ter influído no resultado da equipe, mas ele acredita na reabilitação da equipe na segunda partida, contra o Vitória em Salvador. "Mas podemos adiantar que estamos trabalhando com muita dedicação para tentar a reabilitação. O time tem condições ainda de brigar pela classificação. Se vencermos entraremos na briga pela vaga", admite Edmilson Santos. 
A derrota na estreia não estava nos planos dos proletários, principalmente pelo placar. Se a derrota foi surpreendente, a goleada muito mais ainda. O treinado ficou surpreso com o resultado. 
  
- Na verdade, foi um jogo que nós não esperávamos perder de 6 a 1. Apesar do poderio do Bahia, nós sabíamos que éramos coadjuvantes sim, mas 6 a 1 foi um resultado muito pesado. Um castigo para todos nós sergipanos. Falei para os meninos que perdemos o primeiro jogo lá na África por 6 a 0, depois reagimos e chegamos em terceiro, conquistamos a medalha de bronze. Nossa reabilitação pode começar a partir do próximo jogo - disse Edmilson Santos.
Edmilson Santos também ressaltou a diferença estrutural entre as duas equipes e disse que o clube vai trabalhar bastante para conseguir reagir na competição.
- Temos o resto do campeonato para recuperar, mas sabemos da realidade. Ninguém vai enganar ninguém. Ninguém vai dizer que nós temos, ainda, em Sergipe, a competência para disputar campeonato com time que joga primeira divisão, que joga o ano todo. São garotos, são guerreiros, mas tem um limite. Sabemos nossos limites. Quando passa do limite, fica difícil. O último jogo desse nosso time aqui foi em março, e o Bahia joga frequentemente o Brasileiro, a Copa do Brasil e outros torneios até internacionais - complementou o treinador proletário.

O Sub-20 do Confian- ça não foi feliz na  partida de estreia na Copa Nordeste da categoria. O campeão sergipano foi goleado pelo Bahia por 6x1, uma goleada surpreendente e inesperada. Para o treinador Edmilson Santos o time que começou bem, saiu na frente, mas sofreu um apagão e foi goleado.  
Edmilson diz ainda que a tensão da estreia deve ter influído no resultado da equipe, mas ele acredita na reabilitação da equipe na segunda partida, contra o Vitória em Salvador. "Mas podemos adiantar que estamos trabalhando com muita dedicação para tentar a reabilitação. O time tem condições ainda de brigar pela classificação. Se vencermos entraremos na briga pela vaga", admite Edmilson Santos. 
A derrota na estreia não estava nos planos dos proletários, principalmente pelo placar. Se a derrota foi surpreendente, a goleada muito mais ainda. O treinado ficou surpreso com o resultado.   - Na verdade, foi um jogo que nós não esperávamos perder de 6 a 1. Apesar do poderio do Bahia, nós sabíamos que éramos coadjuvantes sim, mas 6 a 1 foi um resultado muito pesado. Um castigo para todos nós sergipanos. Falei para os meninos que perdemos o primeiro jogo lá na África por 6 a 0, depois reagimos e chegamos em terceiro, conquistamos a medalha de bronze. Nossa reabilitação pode começar a partir do próximo jogo - disse Edmilson Santos.
Edmilson Santos também ressaltou a diferença estrutural entre as duas equipes e disse que o clube vai trabalhar bastante para conseguir reagir na competição.
- Temos o resto do campeonato para recuperar, mas sabemos da realidade. Ninguém vai enganar ninguém. Ninguém vai dizer que nós temos, ainda, em Sergipe, a competência para disputar campeonato com time que joga primeira divisão, que joga o ano todo. São garotos, são guerreiros, mas tem um limite. Sabemos nossos limites. Quando passa do limite, fica difícil. O último jogo desse nosso time aqui foi em março, e o Bahia joga frequentemente o Brasileiro, a Copa do Brasil e outros torneios até internacionais - complementou o treinador proletário.