Indústria de Transformação gerou 1.505 novas vagas de emprego em Sergipe, em setembro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/10/2018 às 06:39:00

 

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Cadastro Geral de empregados e desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que houve saldo positivo de 3.969 vagas de emprego com carteira assinada no Estado, em setembro deste ano. O resultado é fruto da diferença entre admissões (9.613) e desligamentos (5.650).
Dos oito setores avaliados pelo Boletim no mês analisado, o único que apresentou saldo de demissões maior que o de contratações, foi o Extrativo Mineral (-36).
Por outro lado, o destaque da criação de empregos no estado de Sergipe, em setembro deste ano, foi para o setor da Indústria de Transformação e da Agropecuária com a criação de 1.505 e 1.460 novos empregos, respectivamente.
O bom desempenho do setor agropecuário está ligado ao cultivo da cana de açúcar, que admitiu 1.467 novos trabalhadores, no mês analisado. Na indústria de transformação, o tradicional segmento de fabricação de açúcar foi o principal gerador de empregos, com a admissão de 1.692 pessoas.
Outras atividades que também registraram saldo positivo foram os Serviços (+432 empregos formais), a Construção Civil (+333 vagas), o Comércio (+214) e os Serviços Industriais de Utilidade Pública (+47).
Municípios - Dentre os treze municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes, cujos dados são disponibilizados para análise, a cidade de Capela assinalou a maior criação de empregos, em setembro deste ano, com a abertura de 1.318 postos de trabalho.

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Cadastro Geral de empregados e desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego, revelou que houve saldo positivo de 3.969 vagas de emprego com carteira assinada no Estado, em setembro deste ano. O resultado é fruto da diferença entre admissões (9.613) e desligamentos (5.650).
Dos oito setores avaliados pelo Boletim no mês analisado, o único que apresentou saldo de demissões maior que o de contratações, foi o Extrativo Mineral (-36).
Por outro lado, o destaque da criação de empregos no estado de Sergipe, em setembro deste ano, foi para o setor da Indústria de Transformação e da Agropecuária com a criação de 1.505 e 1.460 novos empregos, respectivamente.
O bom desempenho do setor agropecuário está ligado ao cultivo da cana de açúcar, que admitiu 1.467 novos trabalhadores, no mês analisado. Na indústria de transformação, o tradicional segmento de fabricação de açúcar foi o principal gerador de empregos, com a admissão de 1.692 pessoas.
Outras atividades que também registraram saldo positivo foram os Serviços (+432 empregos formais), a Construção Civil (+333 vagas), o Comércio (+214) e os Serviços Industriais de Utilidade Pública (+47).

Municípios - Dentre os treze municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes, cujos dados são disponibilizados para análise, a cidade de Capela assinalou a maior criação de empregos, em setembro deste ano, com a abertura de 1.318 postos de trabalho.