SES reabre quimioterapia e retoma operações oncológicas no Cirurgia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/10/2018 às 08:00:00

 

Numa ação da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o tratamento de quimioterapia e as cirurgias oncológicas realizadas no Hospital Cirurgia (HC), que estavam parados há alguns meses, foram reabertos, devolvendo aos pacientes que têm câncer a assistência merecida. Já são 66 pacientes em tratamento. 
Para a diretora Administrativa da Onco Cirurgia, empresa que administra o Ambulatório de Oncologia do HC desde 2005, Rossana Sales, isso foi possível graças a um acordo feito com a unidade hospitalar, a partir do empenho pessoal do governador Belivaldo Chagas e do secretário Valberto de Oliveira.
As atividades foram retomadas no dia 10 de setembro e a expectativa é a de que não haja mais interrupção ou mesmo diminuição do serviço como vinha acontecendo desde 2016, quando o contrato era gerido pela Prefeitura de Aracaju. "Nós nunca fechamos as portas, mas a principal atividade nossa que é a de fornecer o tratamento quimioterápico, hormonoterápico e cirúrgico. Houve momentos de paralisação por uma questão da inviabilidade financeira da empresa, que começou a sofrer desde 2013 com a irregularidade do repasse pelos serviços prestados", justificou a diretora.
De acordo com Rossana Sales, somente em janeiro deste ano é que o contrato de gestão passou para a Secretaria de Estado da Saúde. Desde então, várias tratativas foram realizadas pelo secretário Valberto de Oliveira junto à diretoria do Cirurgia para a retomada do serviço.
Segundo ela, os pacientes não foram abandonados enquanto ocorriam paralisações do serviço.  "A empresa manteve o acolhimento, o acompanhamento dos usuários que haviam encerrado o tratamento e promoveu o encaminhamento para o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) daqueles que precisavam continuar com o tratamento", disse.
Informou ainda a diretora, que essa retomada do serviço chega trazendo uma condição melhorada para o serviço e o paciente. "Conseguimos ter um acesso maior à Rede de Atenção Básica e com isso estamos agilizando os exames, seja marcado por aqui mesmo - antes o usuário precisava voltar à Unidade Básica de Saúde - seja realizando-os no próprio Hospital de Cirurgia, assim reduzindo o tempo de conclusão do estudo do paciente", disse.

Numa ação da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o tratamento de quimioterapia e as cirurgias oncológicas realizadas no Hospital Cirurgia (HC), que estavam parados há alguns meses, foram reabertos, devolvendo aos pacientes que têm câncer a assistência merecida. Já são 66 pacientes em tratamento. 
Para a diretora Administrativa da Onco Cirurgia, empresa que administra o Ambulatório de Oncologia do HC desde 2005, Rossana Sales, isso foi possível graças a um acordo feito com a unidade hospitalar, a partir do empenho pessoal do governador Belivaldo Chagas e do secretário Valberto de Oliveira.
As atividades foram retomadas no dia 10 de setembro e a expectativa é a de que não haja mais interrupção ou mesmo diminuição do serviço como vinha acontecendo desde 2016, quando o contrato era gerido pela Prefeitura de Aracaju. "Nós nunca fechamos as portas, mas a principal atividade nossa que é a de fornecer o tratamento quimioterápico, hormonoterápico e cirúrgico. Houve momentos de paralisação por uma questão da inviabilidade financeira da empresa, que começou a sofrer desde 2013 com a irregularidade do repasse pelos serviços prestados", justificou a diretora.
De acordo com Rossana Sales, somente em janeiro deste ano é que o contrato de gestão passou para a Secretaria de Estado da Saúde. Desde então, várias tratativas foram realizadas pelo secretário Valberto de Oliveira junto à diretoria do Cirurgia para a retomada do serviço.
Segundo ela, os pacientes não foram abandonados enquanto ocorriam paralisações do serviço.  "A empresa manteve o acolhimento, o acompanhamento dos usuários que haviam encerrado o tratamento e promoveu o encaminhamento para o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) daqueles que precisavam continuar com o tratamento", disse.
Informou ainda a diretora, que essa retomada do serviço chega trazendo uma condição melhorada para o serviço e o paciente. "Conseguimos ter um acesso maior à Rede de Atenção Básica e com isso estamos agilizando os exames, seja marcado por aqui mesmo - antes o usuário precisava voltar à Unidade Básica de Saúde - seja realizando-os no próprio Hospital de Cirurgia, assim reduzindo o tempo de conclusão do estudo do paciente", disse.