Acusado de crimes no Vale do Cotinguiba morre em confronto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/10/2018 às 08:13:00

 

A Delegacia de Polícia de Carmópolis, detalhou ontem as investigações que resultaram na localização de Wilame de Oliveira Santos, 29 anos, acusado da tentativa de latrocínio contra um sargento da Polícia Militar, em um trecho da BR-101. A ação ocorreu na zona rural do município de Japaratuba, envolveu a Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci) e a Delegacia de Carmópolis, 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM) e contou com o apoio da Divisão de Inteligência Policial (Dipol).
Segundo o delegado Wanderson Bastos, a polícia vinha acompanhando o suspeito e descobriu que tinha em sua residência várias armas de fogo. Então os policiais tentaram realizar a prisão em flagrante. "Quando ele percebeu a chegada da polícia, correu com arma em punho e se escondeu no mato. Nós fizemos um cerco no ponto em que ele estaria escondido e fomos nos aproximando. Nesse momento, ele começou a atirar e acabou atingindo um dos nossos colegas, que só não morreu, porque estava com o colete balístico", explicou o delegado. 
O suspeito era responsável por grande parte do tráfico praticado na região de Carmópolis, além de ser investigado por cometer vários homicídios na região. "Ele mesmo se vangloriava por ter praticado ao menos 25 homicídios, mas não podemos afirmar se esse número é de fato real", explicou o delegado Wanderson Andrade.
Em um dos crimes atribuídos ao infrator, Wilame executou a vítima e a colocou em um açude de sete metros de profundidade. Após investigações, os policiais conseguiram localizar uma cova, onde ele teria enterrado o desafeto. "Nós desencadeamos uma investigação, chegamos ao local onde esse corpo tinha sido desovado. Foi necessária a ajuda de uma retroescavadeira para a retirada do corpo. A partir disso, o inquérito foi concluído e nós obtivemos o mandado de prisão dele e do parceiro", ressaltou. 
Os policiais receberam uma denúncia pelo telefone 181, informando que Wilame e o parceiro estariam envolvidos na morte da menina Ayla, ocorrida no sábado, 13, no município de Capela, durante roubo ao pai dela. Segundo o informe, no dia do crime, os possíveis autores estariam usando uma motocicleta, cuja a placa era compatível com uma das motos que pertenciam a Wilame. As investigações sobre esse caso estão em andamento pela Delegacia de Capela, mas, segundo o delegado Wanderson Bastos, ainda não há provas concretas em relação à participação do suspeito no crime.

A Delegacia de Polícia de Carmópolis, detalhou ontem as investigações que resultaram na localização de Wilame de Oliveira Santos, 29 anos, acusado da tentativa de latrocínio contra um sargento da Polícia Militar, em um trecho da BR-101. A ação ocorreu na zona rural do município de Japaratuba, envolveu a Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci) e a Delegacia de Carmópolis, 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM) e contou com o apoio da Divisão de Inteligência Policial (Dipol).
Segundo o delegado Wanderson Bastos, a polícia vinha acompanhando o suspeito e descobriu que tinha em sua residência várias armas de fogo. Então os policiais tentaram realizar a prisão em flagrante. "Quando ele percebeu a chegada da polícia, correu com arma em punho e se escondeu no mato. Nós fizemos um cerco no ponto em que ele estaria escondido e fomos nos aproximando. Nesse momento, ele começou a atirar e acabou atingindo um dos nossos colegas, que só não morreu, porque estava com o colete balístico", explicou o delegado. 
O suspeito era responsável por grande parte do tráfico praticado na região de Carmópolis, além de ser investigado por cometer vários homicídios na região. "Ele mesmo se vangloriava por ter praticado ao menos 25 homicídios, mas não podemos afirmar se esse número é de fato real", explicou o delegado Wanderson Andrade.
Em um dos crimes atribuídos ao infrator, Wilame executou a vítima e a colocou em um açude de sete metros de profundidade. Após investigações, os policiais conseguiram localizar uma cova, onde ele teria enterrado o desafeto. "Nós desencadeamos uma investigação, chegamos ao local onde esse corpo tinha sido desovado. Foi necessária a ajuda de uma retroescavadeira para a retirada do corpo. A partir disso, o inquérito foi concluído e nós obtivemos o mandado de prisão dele e do parceiro", ressaltou. 
Os policiais receberam uma denúncia pelo telefone 181, informando que Wilame e o parceiro estariam envolvidos na morte da menina Ayla, ocorrida no sábado, 13, no município de Capela, durante roubo ao pai dela. Segundo o informe, no dia do crime, os possíveis autores estariam usando uma motocicleta, cuja a placa era compatível com uma das motos que pertenciam a Wilame. As investigações sobre esse caso estão em andamento pela Delegacia de Capela, mas, segundo o delegado Wanderson Bastos, ainda não há provas concretas em relação à participação do suspeito no crime.