Crédito Fundiário possibilita acesso à terra para mais 43 famílias de agricultores em Lagarto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Agricultores de Lagarto assinam financiamento de crédito fundiário
Agricultores de Lagarto assinam financiamento de crédito fundiário

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 31/10/2018 às 06:09:00

 

Mais 43 famílias do município de Lagarto realizaram o sonho de adquirir terra para plantar e viver com a família. Elas compraram a propriedade Fazendinha, de 523,60 hectares, por meio de financiamento do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF). O contrato para repasse dos recursos foi assinado esta semana na Agência do Banco do Nordeste do município. A unidade técnica deste Programa em Sergipe é coordenada pela Pronese, órgão vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca.
O ato contou com a presença da secretária de Estado da Agricultura, Rose Rodrigues, do gerente estadual do Pronaf Banco do Nordeste, Volnandy Brito, e dos gerentes locais do agente financeiro Júlio Silva Filho e Luciano Germano Máximo.
"Além dos recursos para compra da terra, os agricultores familiares estão recebendo recursos para contratação de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), para estruturação da área produtiva e no que mais for necessário para que o agricultor venha desenvolver suas atividades de forma independente e autônoma, totalizando investimentos da ordem de R$ 3.464.500,11. Valor este correspondente a pouco mais de R$ 80 mil por família", ressaltou a secretária, Rose Rodrigues.
Rose Rodrigues disse que com mais essa aquisição, o município de Lagarto chega a 20 propriedades adquiridas pelo Programa de Crédito Fundiário, totalizando R$ 14.629.911,05 investidos. "São 3.814 hectares desconcentrados para 354 famílias. Terras que estavam nas mãos de poucos, agora estão nas mãos de muitos agricultores familiares que vão produzir e melhorar de vida", acrescentou.
O presidente da Associação Comunitária do Assentamento Fazendinha, José Milton de Carvalho, disse que do total adquirido pelo PNCF, R$ 2.722.531,88 foi para compra da terra, despesas cartoriais e para Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). O restante será aplicado na infraestrutura produtiva e assistência técnica. Ele disse que a primeira providência é recuperar e acesso e cercamento dos lotes.
"Essa é uma conquista que tem quatro anos de luta que valeram a pena. Estamos satisfeitos porque a propriedade é muito valorizada, na beira da estrada e com ótima infraestrutura. Temos um chafariz de 25 mil litros hora, confinamento para mil cabeças de ovinos e para gado de leite, além de galpão e pasto. A ideia é trabalhar uma parte das pessoas com a pecuária e outra com agricultura no cultivo de macaxeira, milho, batata-doce, maracujá, acerola", explicou José Milton.

Mais 43 famílias do município de Lagarto realizaram o sonho de adquirir terra para plantar e viver com a família. Elas compraram a propriedade Fazendinha, de 523,60 hectares, por meio de financiamento do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF). O contrato para repasse dos recursos foi assinado esta semana na Agência do Banco do Nordeste do município. A unidade técnica deste Programa em Sergipe é coordenada pela Pronese, órgão vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca.
O ato contou com a presença da secretária de Estado da Agricultura, Rose Rodrigues, do gerente estadual do Pronaf Banco do Nordeste, Volnandy Brito, e dos gerentes locais do agente financeiro Júlio Silva Filho e Luciano Germano Máximo.
"Além dos recursos para compra da terra, os agricultores familiares estão recebendo recursos para contratação de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), para estruturação da área produtiva e no que mais for necessário para que o agricultor venha desenvolver suas atividades de forma independente e autônoma, totalizando investimentos da ordem de R$ 3.464.500,11. Valor este correspondente a pouco mais de R$ 80 mil por família", ressaltou a secretária, Rose Rodrigues.
Rose Rodrigues disse que com mais essa aquisição, o município de Lagarto chega a 20 propriedades adquiridas pelo Programa de Crédito Fundiário, totalizando R$ 14.629.911,05 investidos. "São 3.814 hectares desconcentrados para 354 famílias. Terras que estavam nas mãos de poucos, agora estão nas mãos de muitos agricultores familiares que vão produzir e melhorar de vida", acrescentou.
O presidente da Associação Comunitária do Assentamento Fazendinha, José Milton de Carvalho, disse que do total adquirido pelo PNCF, R$ 2.722.531,88 foi para compra da terra, despesas cartoriais e para Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). O restante será aplicado na infraestrutura produtiva e assistência técnica. Ele disse que a primeira providência é recuperar e acesso e cercamento dos lotes.
"Essa é uma conquista que tem quatro anos de luta que valeram a pena. Estamos satisfeitos porque a propriedade é muito valorizada, na beira da estrada e com ótima infraestrutura. Temos um chafariz de 25 mil litros hora, confinamento para mil cabeças de ovinos e para gado de leite, além de galpão e pasto. A ideia é trabalhar uma parte das pessoas com a pecuária e outra com agricultura no cultivo de macaxeira, milho, batata-doce, maracujá, acerola", explicou José Milton.