Em Sergipe, a arrecadação federal ultrapassou os R$ 404 milhões

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 31/10/2018 às 06:17:00

 

A arrecadação de tributos federais, no mês de setembro do ano corrente, superou os R$ 404 milhões, avançando 7,8%, em termos reais, quando comparado com a arrecadação do mês imediatamente anterior, agosto de 2018. No comparativo com a arrecadação do mês de setembro do ano passado, observou-se crescimento real de 10,4%. As variações em termos reais consideram os efeitos da inflação no período, que são medidos pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA).
Os dados integram análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Receita Federal.
No acumulado do ano, entre janeiro e setembro, a soma arrecadada com os tributos de competência da União, ultrapassou R$ 3,4 bilhões, registrando alta de 9%, em termos reais, na comparação com o mesmo período de 2017.
No mês analisado, a Receita Previdenciária continuou sendo a principal fonte de arrecadação, somando mais de R$ 229 milhões, abrangendo 56,6% do total recolhido aos cofres da União. O Imposto de Renda (IR) também se destacou, alcançando R$ 72,4 milhões, compreendendo 17,9% do arrecadado.
O recolhimento da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social - COFINS - ficou próximo dos R$ 41,6 milhões, no mês analisado, enquanto que o recolhimento da Contribuição para o PIS/PASEP ficou acima dos R$ 13,3 milhões. Já a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido - CSLL - alcançou mais de R$ 15 milhões.
Para o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), a soma arrecadada foi de R$ 8 milhões, respondendo por 2% da arrecadação, no mês em análise.

A arrecadação de tributos federais, no mês de setembro do ano corrente, superou os R$ 404 milhões, avançando 7,8%, em termos reais, quando comparado com a arrecadação do mês imediatamente anterior, agosto de 2018. No comparativo com a arrecadação do mês de setembro do ano passado, observou-se crescimento real de 10,4%. As variações em termos reais consideram os efeitos da inflação no período, que são medidos pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA).
Os dados integram análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Receita Federal.
No acumulado do ano, entre janeiro e setembro, a soma arrecadada com os tributos de competência da União, ultrapassou R$ 3,4 bilhões, registrando alta de 9%, em termos reais, na comparação com o mesmo período de 2017.
No mês analisado, a Receita Previdenciária continuou sendo a principal fonte de arrecadação, somando mais de R$ 229 milhões, abrangendo 56,6% do total recolhido aos cofres da União. O Imposto de Renda (IR) também se destacou, alcançando R$ 72,4 milhões, compreendendo 17,9% do arrecadado.
O recolhimento da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social - COFINS - ficou próximo dos R$ 41,6 milhões, no mês analisado, enquanto que o recolhimento da Contribuição para o PIS/PASEP ficou acima dos R$ 13,3 milhões. Já a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido - CSLL - alcançou mais de R$ 15 milhões.
Para o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), a soma arrecadada foi de R$ 8 milhões, respondendo por 2% da arrecadação, no mês em análise.