Mulher da pele preta

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Um deslumbre
Um deslumbre

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 01/11/2018 às 08:05:00

 

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br
A cultura popular re-
vivida na voz de 
uma mulher da pele preta, mais o pulso hipnótico do sound system. Jaque Barroso sobe aos palcos sem medo nem alarme, com toda a alegria do mundo. A conjuntura é adversa, sim. Mas, contra todo o pavor, ainda há quem cante.
A moça mostrou a sua face artística e se afirmou criativamente como integrante do grupo Ibura, também dedicado à prosódia rústica das formas puras preservadas por força de palmas calejadas, as brincadeiras e os folguedos do povo. Mas ninguém sabia, então, que ela também compunha. Quando Jaque finalmente tomou o palco só para si, foi um deslumbre. 
'A rosa', parceria com a Radiola Jamaicana, a disposição dos curiosos no Youtube, por exemplo, reúne todas as virtudes  de tão feliz encontro: as melodias mais ricas e rimas prenhes de verdades ancestrais renovadas em linguagem contemporânea.
O show - Pela primeira vez em Aracaju, a cantora sergipana Jaque Barroso se apresenta com o grupo paraibano de Sound System Radiola Jamaicana. O Show traz uma proposta inovadora e performática que promove o diálogo entre cultura popular e novas tecnologias, com apresentações muito aplaudidas em Pernambuco e na Paraíba.
O repertório é composto de músicas autorais e releituras do cancioneiro popular sergipano e nordestino, em fusão com ritmos eletrônicos como o drum and bass, o dub e o ragga.
Com sua voz única, Jaque Barroso reforça a importância da herança artística com base na sua própria cultura, voltando olhares para o empoderamento da mulher e ancestralidade do povo negro.
Assim, a música de Jaque promove uma reflexão muito pertinente sobre resistência cultural e o efeito que a valorização da cultura popular exerce sobre as identidades.
O shoq de abertura é com a DJ Janaína Vasconcelos, conhecida como Disfalq. Na música, começou a experimentar como DJ em 2015, participando de 4 edições do Sarau Debaixo (SE). Já esteve na pista do Terra em Transe Festival (BA) e do Fluxo Festival (SE). Atualmente é DJ do grupo de rap sergipano Guerrilheiras. 
Jaque Barroso mais Radiola Jamaicana:
Quando: 3 de novembro.
Onde: Capitão Cook.
Abertura da casa: 21h.

A cultura popular re- vivida na voz de  uma mulher da pele preta, mais o pulso hipnótico do sound system. Jaque Barroso sobe aos palcos sem medo nem alarme, com toda a alegria do mundo. A conjuntura é adversa, sim. Mas, contra todo o pavor, ainda há quem cante.
A moça mostrou a sua face artística e se afirmou criativamente como integrante do grupo Ibura, também dedicado à prosódia rústica das formas puras preservadas por força de palmas calejadas, as brincadeiras e os folguedos do povo. Mas ninguém sabia, então, que ela também compunha. Quando Jaque finalmente tomou o palco só para si, foi um deslumbre. 
'A rosa', parceria com a Radiola Jamaicana, a disposição dos curiosos no Youtube, por exemplo, reúne todas as virtudes  de tão feliz encontro: as melodias mais ricas e rimas prenhes de verdades ancestrais renovadas em linguagem contemporânea.

O show - Pela primeira vez em Aracaju, a cantora sergipana Jaque Barroso se apresenta com o grupo paraibano de Sound System Radiola Jamaicana. O Show traz uma proposta inovadora e performática que promove o diálogo entre cultura popular e novas tecnologias, com apresentações muito aplaudidas em Pernambuco e na Paraíba.
O repertório é composto de músicas autorais e releituras do cancioneiro popular sergipano e nordestino, em fusão com ritmos eletrônicos como o drum and bass, o dub e o ragga.
Com sua voz única, Jaque Barroso reforça a importância da herança artística com base na sua própria cultura, voltando olhares para o empoderamento da mulher e ancestralidade do povo negro.
Assim, a música de Jaque promove uma reflexão muito pertinente sobre resistência cultural e o efeito que a valorização da cultura popular exerce sobre as identidades.
O shoq de abertura é com a DJ Janaína Vasconcelos, conhecida como Disfalq. Na música, começou a experimentar como DJ em 2015, participando de 4 edições do Sarau Debaixo (SE). Já esteve na pista do Terra em Transe Festival (BA) e do Fluxo Festival (SE). Atualmente é DJ do grupo de rap sergipano Guerrilheiras. 
Jaque Barroso mais Radiola Jamaicana:
Quando: 3 de novembro.
Onde: Capitão Cook.
Abertura da casa: 21h.