O Enem é um marco

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 02/11/2018 às 11:36:00

 

O Exame Nacional do Ensino Mé-
dio (Enem) é hoje a principal por
ta de entrada utilizada pelos estudantes brasileiros para ingressar nas universidades. Avesso à decoreba dos cursinhos especializados no antigo exame vestibular, no qual os candidatos eram obrigados a repetir fórmulas prontas, feito animais adestrados, ao invés de desenvolverem a capacidade de argumentação e o raciocínio lógico, o novo modelo de seleção deu um passo importante no sentido de aperfeiçoar o acesso ao ensino de terceiro grau.
Neste sentido, o aulão promovido pela Secretaria de Estado da Educação possui importante componente social. Não se trata somente de preparar os estudantes para responder às questões do exame. Mas, sobretudo, de lhes descortinar as possibilidades do futuro. O acesso ao ensino superior é a único caminho para o sucesso no horizonte de grande parte dos estudantes brasileiros, sobretudo os mais pobres. 
Estima-se que pelo menos sete mil estudantes compareçam ao aulão promovido pela Seed às vésperas do Enem. São milhares de apostas na educação como instrumento de ascensão social. Com um pouco de sorte, o sucesso no Exame tem tudo para depois ser lembrado como um marco feliz na vida de grande parte desses candidatos a um futuro digno.
Os estudantes estão certos em apostar nos livros. Em uma sociedade radicalmente desigual, como a brasileira, na qual magistrados com salários milionários recebem toda sorte de benefícios enquanto milhões de brasileiros cozinham o feijão aguado da própria subsistência com lenha e carvão, um diploma universitário pode ser a sua única chance.

O Exame Nacional do Ensino Mé- dio (Enem) é hoje a principal por ta de entrada utilizada pelos estudantes brasileiros para ingressar nas universidades. Avesso à decoreba dos cursinhos especializados no antigo exame vestibular, no qual os candidatos eram obrigados a repetir fórmulas prontas, feito animais adestrados, ao invés de desenvolverem a capacidade de argumentação e o raciocínio lógico, o novo modelo de seleção deu um passo importante no sentido de aperfeiçoar o acesso ao ensino de terceiro grau.
Neste sentido, o aulão promovido pela Secretaria de Estado da Educação possui importante componente social. Não se trata somente de preparar os estudantes para responder às questões do exame. Mas, sobretudo, de lhes descortinar as possibilidades do futuro. O acesso ao ensino superior é a único caminho para o sucesso no horizonte de grande parte dos estudantes brasileiros, sobretudo os mais pobres. 
Estima-se que pelo menos sete mil estudantes compareçam ao aulão promovido pela Seed às vésperas do Enem. São milhares de apostas na educação como instrumento de ascensão social. Com um pouco de sorte, o sucesso no Exame tem tudo para depois ser lembrado como um marco feliz na vida de grande parte desses candidatos a um futuro digno.
Os estudantes estão certos em apostar nos livros. Em uma sociedade radicalmente desigual, como a brasileira, na qual magistrados com salários milionários recebem toda sorte de benefícios enquanto milhões de brasileiros cozinham o feijão aguado da própria subsistência com lenha e carvão, um diploma universitário pode ser a sua única chance.