Agrese discute com usuários preço do gás canalizado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 06/11/2018 às 23:34:00

 

Na última segunda-feira (05), membros da diretoria e colaboradores da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Agrese) e representantes do Sindipse, da Federação das Indústrias de Sergipe, da Associação dos Empresários do Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro (Assedis) e dos Grupos empresariais Escurial e Cerâmica Serra Azul, estiveram reunidos para análise e discussão do posicionamento da Agência em relação ao reajuste da tarifa do gás natural canalizado. 
A tarifa do gás é composta por duas parcelas: preço do gás vendido pela Petrobras para a Sergipe Gás (Sergas), onde esta parcela é reajustada trimestralmente pela Petrobras com base nos preços do petróleo e do gás natural no mercado internacional. A segunda é a margem de distribuição da Sergas, ou seja, esta é a parcela que custeia as todas as despesas da Companhia e os investimentos na expansão da rede de gasodutos.
Durante a reunião, ficou para ser analisado o contrato de concessão vigente da Sergipe Gás e também foram discutidos vários pontos em relação a consulta pública que está em vigor até o próximo dia 07. A consulta pública tem por objetivo receber contribuições para alteração do Regulamento de Distribuição de Gás Canalizado do Estado de Sergipe, a fim de criar o subsegmento de gás para uso destinado a geração de energia elétrica, a partir do gás natural produzido exclusivamente por campos marginais localizados no Estado de Sergipe e que, não esteja enquadrado na especificação da Resolução da Agência Nacional do Petróleo - ANP 16/2018.

Na última segunda-feira (05), membros da diretoria e colaboradores da Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Agrese) e representantes do Sindipse, da Federação das Indústrias de Sergipe, da Associação dos Empresários do Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro (Assedis) e dos Grupos empresariais Escurial e Cerâmica Serra Azul, estiveram reunidos para análise e discussão do posicionamento da Agência em relação ao reajuste da tarifa do gás natural canalizado. 
A tarifa do gás é composta por duas parcelas: preço do gás vendido pela Petrobras para a Sergipe Gás (Sergas), onde esta parcela é reajustada trimestralmente pela Petrobras com base nos preços do petróleo e do gás natural no mercado internacional. A segunda é a margem de distribuição da Sergas, ou seja, esta é a parcela que custeia as todas as despesas da Companhia e os investimentos na expansão da rede de gasodutos.
Durante a reunião, ficou para ser analisado o contrato de concessão vigente da Sergipe Gás e também foram discutidos vários pontos em relação a consulta pública que está em vigor até o próximo dia 07. A consulta pública tem por objetivo receber contribuições para alteração do Regulamento de Distribuição de Gás Canalizado do Estado de Sergipe, a fim de criar o subsegmento de gás para uso destinado a geração de energia elétrica, a partir do gás natural produzido exclusivamente por campos marginais localizados no Estado de Sergipe e que, não esteja enquadrado na especificação da Resolução da Agência Nacional do Petróleo - ANP 16/2018.