CBG seleciona ginastas para treinar em Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/11/2018 às 05:13:00

 

O Centro Nacional de Ginástica em Aracaju terá cinco novas hospedes nos próximos dias. A técnica da Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica, Camila Ferezin assistiu ao Brasileiro de Ginástica Rítmica, em Lauro de Freitas, na Bahia e selecionou cinco jovens ginastas para período de avaliação, em Aracaju. Essas ginastas foram os destaques da competição na cidade baiana.
As ginastas selecionadas foram Maria Eduarda de Almeida Araka (Marista/AL), Sofia Madeira Pereira (Ítalo Brasileiro/ES), Amanda Carolina Santos (Unopar/PR), Beatriz Linhares da Silva (UDESC/SC) e Bárbara Vitória Galvão (Sesi/AL). Elas treinarão com a Seleção de Conjunto e serão observadas por Camila Ferezin, que justifica o motivo da escolha.
- Ter atuado como árbitra nesse campeonato foi excelente para poder avaliar a evolução do trabalho realizado. Fico feliz de ver cerca de 140 ginastas, de norte a sul do país, praticando a modalidade e com tão bom nível. Aproveitei a oportunidade para convidar cinco ginastas de 15 anos, para serem avaliadas em Aracaju, com possibilidades de integrar a seleção brasileira de conjuntos - disse Camila Ferezin.
Presidente da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), Luciene Resende disse que a competição mostrou o desenvolvimento da prática da modalidade no país, com a revelação de muitos talentos do esporte, vindos dos mais diversos cantos.
- A realização deste Brasileiro Pré-Infantil e Juvenil foi um sucesso, graças ao trabalho de todos envolvidos na Ginástica Rítmica do nosso país: ginastas, técnicos, árbitros e dirigentes. Os treinadores tiveram papel especial para que o nível técnico tivesse uma incrível evolução em relação ao ano anterior. Tivemos um grande número de participantes, de quase todos os estados brasileiros, isso mostra o desenvolvimento da modalidade em todo território nacional. Também foi importante o empenho do corpo de árbitros brasileiros para este sucesso. Toda essa união de forças vem contribuir bastante para o desenvolvimento da ginástica rítmica do Brasil - comentou Luciene.

O Centro Nacional de Ginástica em Aracaju terá cinco novas hospedes nos próximos dias. A técnica da Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica, Camila Ferezin assistiu ao Brasileiro de Ginástica Rítmica, em Lauro de Freitas, na Bahia e selecionou cinco jovens ginastas para período de avaliação, em Aracaju. Essas ginastas foram os destaques da competição na cidade baiana.
As ginastas selecionadas foram Maria Eduarda de Almeida Araka (Marista/AL), Sofia Madeira Pereira (Ítalo Brasileiro/ES), Amanda Carolina Santos (Unopar/PR), Beatriz Linhares da Silva (UDESC/SC) e Bárbara Vitória Galvão (Sesi/AL). Elas treinarão com a Seleção de Conjunto e serão observadas por Camila Ferezin, que justifica o motivo da escolha.
- Ter atuado como árbitra nesse campeonato foi excelente para poder avaliar a evolução do trabalho realizado. Fico feliz de ver cerca de 140 ginastas, de norte a sul do país, praticando a modalidade e com tão bom nível. Aproveitei a oportunidade para convidar cinco ginastas de 15 anos, para serem avaliadas em Aracaju, com possibilidades de integrar a seleção brasileira de conjuntos - disse Camila Ferezin.
Presidente da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), Luciene Resende disse que a competição mostrou o desenvolvimento da prática da modalidade no país, com a revelação de muitos talentos do esporte, vindos dos mais diversos cantos.
- A realização deste Brasileiro Pré-Infantil e Juvenil foi um sucesso, graças ao trabalho de todos envolvidos na Ginástica Rítmica do nosso país: ginastas, técnicos, árbitros e dirigentes. Os treinadores tiveram papel especial para que o nível técnico tivesse uma incrível evolução em relação ao ano anterior. Tivemos um grande número de participantes, de quase todos os estados brasileiros, isso mostra o desenvolvimento da modalidade em todo território nacional. Também foi importante o empenho do corpo de árbitros brasileiros para este sucesso. Toda essa união de forças vem contribuir bastante para o desenvolvimento da ginástica rítmica do Brasil - comentou Luciene.