Incêndio de grandes proporções em Propriá

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
FOGO SE ALASTROU RAPIDAMENTE APESAR DA AÇÃO IMEDIATA DO CORPO DE BOMBEIROS. MAIS DE 20 MIL LITROS DE ÁGUA FORAM UTILIZADOS
FOGO SE ALASTROU RAPIDAMENTE APESAR DA AÇÃO IMEDIATA DO CORPO DE BOMBEIROS. MAIS DE 20 MIL LITROS DE ÁGUA FORAM UTILIZADOS

Os bombeiros tiveram dificuldades em combater o fogo
Os bombeiros tiveram dificuldades em combater o fogo

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/11/2018 às 06:39:00

 

Mais de 20 mil litros de água foram necessários para controlar e apagar o incêndio de grande proporção que atingiu um depósito de material reciclável na cidade de Propriá, a 98 km de distância de Aracaju. De acordo com o Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), no final da manhã do último domingo, 11, por volta das 11h30, a corporação recebeu o primeiro registro de emergência. Apesar da versatilidade do CBM, o fogo se alastrou rapidamente e foi necessário isolar toda a região, inviabilizando a passagem de pessoas e veículos. Um caminhão do Corpo de Bombeiros e um caminhão pipa da Prefeitura de Propriá foram utilizados na operação.
De acordo com a capitã Emanuela Cruz, da assessoria de comunicação social do Corpo de Bombeiros de Sergipe, assim que a corporação recebeu o chamado se deslocou rapidamente para o local indicado, onde in loco percebeu a grandiosidade do fogo. Apesar da dificuldade em cessar os pontos mais críticos do sinistro, o trabalho de combate às chamas demorou cerca de trinta minutos. Entre os produtos recicláveis estavam dezenas de garrafas pet (refrigerante e água), pneus, borracha em geral, peças de tecido, madeira, além de produtos de limpeza e colchões. Após controlar as chamas os bombeiros realizada o serviço de resfriamento da área a fim de evitar o surgimento de novos focos.
"O deslocamento até o local ocorreu rapidamente como é de costume do Corpo de Bombeiros, a questão é que quando a equipe chegou ao local o incêndio estava enorme, o fogo já tinha tomado grande parte do depósito. O material depositado em grande número no ambiente era de ampla contribuição para a abrangência das chamas. Felizmente, apesar do fogo alto em espalhado, não registramos nenhuma vítima", declarou. Por se tratar de espaço particular e não haver vítimas, o laudo técnico para apontar as causas do incêndio apenas poderá ser instaurado por decisão judicial ou por solicitação expontânea dos proprietários do espaço. Esse pedido não havia sido protocolado até a manhã de ontem. (Milton Alves Júnior)

Mais de 20 mil litros de água foram necessários para controlar e apagar o incêndio de grande proporção que atingiu um depósito de material reciclável na cidade de Propriá, a 98 km de distância de Aracaju. De acordo com o Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), no final da manhã do último domingo, 11, por volta das 11h30, a corporação recebeu o primeiro registro de emergência. Apesar da versatilidade do CBM, o fogo se alastrou rapidamente e foi necessário isolar toda a região, inviabilizando a passagem de pessoas e veículos. Um caminhão do Corpo de Bombeiros e um caminhão pipa da Prefeitura de Propriá foram utilizados na operação.
De acordo com a capitã Emanuela Cruz, da assessoria de comunicação social do Corpo de Bombeiros de Sergipe, assim que a corporação recebeu o chamado se deslocou rapidamente para o local indicado, onde in loco percebeu a grandiosidade do fogo. Apesar da dificuldade em cessar os pontos mais críticos do sinistro, o trabalho de combate às chamas demorou cerca de trinta minutos. Entre os produtos recicláveis estavam dezenas de garrafas pet (refrigerante e água), pneus, borracha em geral, peças de tecido, madeira, além de produtos de limpeza e colchões. Após controlar as chamas os bombeiros realizada o serviço de resfriamento da área a fim de evitar o surgimento de novos focos.
"O deslocamento até o local ocorreu rapidamente como é de costume do Corpo de Bombeiros, a questão é que quando a equipe chegou ao local o incêndio estava enorme, o fogo já tinha tomado grande parte do depósito. O material depositado em grande número no ambiente era de ampla contribuição para a abrangência das chamas. Felizmente, apesar do fogo alto em espalhado, não registramos nenhuma vítima", declarou. Por se tratar de espaço particular e não haver vítimas, o laudo técnico para apontar as causas do incêndio apenas poderá ser instaurado por decisão judicial ou por solicitação expontânea dos proprietários do espaço. Esse pedido não havia sido protocolado até a manhã de ontem. (Milton Alves Júnior)