CDL e FCDL apelam para não decretação de ponto facultativo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/11/2018 às 09:37:00

 

Mais uma vez a 
CDL/Aracaju e a 
FCDL Sergipe fazem apelo para o governo do Estado, Prefeitura de Aracaju e prefeituras municipais não decretem o ponto facultativo na sexta-feira, 16, um dia após o feriado de 15 de novembro, proclamação da República, 15, nesta quina-feira.
As entidades lojistas entendem que a normalidade dos serviços de todos os setores devam ser restabelecidos na sexta, já que todos os segmentos - bancos, comércio, serviços e indústria -, estarão funcionando na sua totalidade.
Os lojistas acreditam que, com a decretação do facultativo, há um esvaziamento dos centros comerciais das cidades e esperam que os governos não a dotem, em benefício da normalidade das vendas, da arrecadação e da fluidez comercial, "tão necessária em momentos de instabilidade econômica da qual estamos vivendo", finaliza Breno Barreto, da CDL.
Negativa - A Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese) também pediu  ao  Governo do Estado e prefeituras de Aracaju e dos municípios do interior que não decretem ponto facultativo na sexta-feira (16), pós feriado da Proclamação da República.
De acordo com o presidente da Acese, Marco Aurélio Pinheiro a medida seria negativa tanto para o setor produtivo como também para a população. "A normalidade dos serviços precisam ser restabelecidas na sexta-feira. Caso não, saem perdendo o setor produtivo e também a população com a ausência de serviços importantes, a exemplo dos serviços bancários", comenta.
Ainda segundo Pinheiro, o ponto facultativo, embora seja válido apenas para os servidores públicos, é uma tradição que custa caro ao país, especialmente num momento em que a economia ainda se recupera a passos lentos. "O feriado prolongado tende a atrapalhar e muito o setor produtivo, em especial o comércio.  Embora a passos lentos, já apresenta uma leve recuperação, mas ainda assim, este é um momento de atenção e cautela", finaliza.

Mais uma vez a  CDL/Aracaju e a  FCDL Sergipe fazem apelo para o governo do Estado, Prefeitura de Aracaju e prefeituras municipais não decretem o ponto facultativo na sexta-feira, 16, um dia após o feriado de 15 de novembro, proclamação da República, 15, nesta quina-feira.
As entidades lojistas entendem que a normalidade dos serviços de todos os setores devam ser restabelecidos na sexta, já que todos os segmentos - bancos, comércio, serviços e indústria -, estarão funcionando na sua totalidade.
Os lojistas acreditam que, com a decretação do facultativo, há um esvaziamento dos centros comerciais das cidades e esperam que os governos não a dotem, em benefício da normalidade das vendas, da arrecadação e da fluidez comercial, "tão necessária em momentos de instabilidade econômica da qual estamos vivendo", finaliza Breno Barreto, da CDL.

Negativa - A Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese) também pediu  ao  Governo do Estado e prefeituras de Aracaju e dos municípios do interior que não decretem ponto facultativo na sexta-feira (16), pós feriado da Proclamação da República.
De acordo com o presidente da Acese, Marco Aurélio Pinheiro a medida seria negativa tanto para o setor produtivo como também para a população. "A normalidade dos serviços precisam ser restabelecidas na sexta-feira. Caso não, saem perdendo o setor produtivo e também a população com a ausência de serviços importantes, a exemplo dos serviços bancários", comenta.
Ainda segundo Pinheiro, o ponto facultativo, embora seja válido apenas para os servidores públicos, é uma tradição que custa caro ao país, especialmente num momento em que a economia ainda se recupera a passos lentos. "O feriado prolongado tende a atrapalhar e muito o setor produtivo, em especial o comércio.  Embora a passos lentos, já apresenta uma leve recuperação, mas ainda assim, este é um momento de atenção e cautela", finaliza.