Operação contra homicídios na capital resulta em três prisões

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Os presos são acusados de homicídios e outros crimes
Os presos são acusados de homicídios e outros crimes

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/11/2018 às 07:53:00

 

Policiais civis do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), deflagraram na madrugada desta quarta-feira uma operação para cumprir mandados de prisão expedidos contra pessoas envolvidas em pelo menos quatro homicídios ocorridos na zona norte da capital. Até o final da manhã, três homens foram presos e encaminhados para a 4º Delegacia Metropolitana (4ª DM), no Augusto Franco (zona sul).
A ação foi coordenada pela delegada Thereza Simony, diretora do DHPP, contou com o trabalho de 45 policiais civis, envolvendo equipes do DHPP, do Grupo Especial de Repressão e Busca (Gerb), da Coordenadoria de Polícia da Capital (Copcal), da Força Nacional de Segurança Pública e da 3º Delegacia Metropolitana (3ª DM). "Vale ressaltar que esses presos cometeram crimes diversos, mas com motivação semelhante que tem uma ligação com o tráfico de drogas. 80% dos crimes aqui na capital e na região metropolitana tem a ver com o tráfico, essa operação é importante e o número de prisões é bastante significativo, com o total de mais de 200 prisões. As operações vão continuar sendo feitas nesses dois últimos meses intensificando nessa região da Zona Norte", afirmou ela.
José Anderson Conceição Santana, o 'Biscoitinho', 27 anos, foi preso em casa, na Ponta da Asa, bairro Japãozinho. Segundo a polícia, ele já tem passagem pelo homicídio de Lucivânio Andrade Dias, em 14 de março deste ano, quando o mesmo, acompanhado por outros dois homens, invadiram a casa da vítima já atirando. Lucivânio conseguiu sair de casa, mas foi atingido novamente na rua e morreu. Um dos comparsas que é menor e confessou o crime e apontou envolvidos. O outro parceiro, Valter Santos Santana Júnior, conhecido como 'Júnior Valter', foi morto recentemente em confronto com a polícia. 'Biscoitinho' matou também Alan Brito, em maio deste ano, no Mané Preto e a motivação seria disputa de grupos rivais de tráfico de drogas.
O segundo acusado, João Wellington dos Santos Júnior, 34 anos, o "João da Mata", foi preso no conjunto Bugio (zona oeste) e é acusado pela morte de Fernando Pinheiro Ferreira Santos, em março deste ano, na Avenida Euclides Figueiredo. A vítima foi alvejada na presença dos três filhos menores e ainda caída ao chão a vítima revelou a identidade dos autores para a companheira como motivação para cometer o crime seria disputa por pontos de tráfico de drogas em Socorro. O terceiro preso, Michel Oliveira dos Santos, 23 anos, também estava no Bugio e cometeu um homicídio em abril deste ano no Loteamento Estrela do Oriente, Bairro Olaria. A vítima foi Samuel Ramos dos Santos, 34 anos. De acordo com as investigações, a vítima foi alvejada em casa. 
Os presos na operação foram encaminhados à 4º DM. De acordo com o DHPP, não houve apreensão de armas, nem de drogas, pois o principal objetivo da ação foi dar cumprimento aos mandados de prisão preventiva. Além de forçar uma queda na criminalidade nos bairros da zona norte de Aracaju, a polícia quer apurar se outras pessoas estão envolvidas com os homicídios já investigados. 

Policiais civis do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), deflagraram na madrugada desta quarta-feira uma operação para cumprir mandados de prisão expedidos contra pessoas envolvidas em pelo menos quatro homicídios ocorridos na zona norte da capital. Até o final da manhã, três homens foram presos e encaminhados para a 4º Delegacia Metropolitana (4ª DM), no Augusto Franco (zona sul).
A ação foi coordenada pela delegada Thereza Simony, diretora do DHPP, contou com o trabalho de 45 policiais civis, envolvendo equipes do DHPP, do Grupo Especial de Repressão e Busca (Gerb), da Coordenadoria de Polícia da Capital (Copcal), da Força Nacional de Segurança Pública e da 3º Delegacia Metropolitana (3ª DM). "Vale ressaltar que esses presos cometeram crimes diversos, mas com motivação semelhante que tem uma ligação com o tráfico de drogas. 80% dos crimes aqui na capital e na região metropolitana tem a ver com o tráfico, essa operação é importante e o número de prisões é bastante significativo, com o total de mais de 200 prisões. As operações vão continuar sendo feitas nesses dois últimos meses intensificando nessa região da Zona Norte", afirmou ela.
José Anderson Conceição Santana, o 'Biscoitinho', 27 anos, foi preso em casa, na Ponta da Asa, bairro Japãozinho. Segundo a polícia, ele já tem passagem pelo homicídio de Lucivânio Andrade Dias, em 14 de março deste ano, quando o mesmo, acompanhado por outros dois homens, invadiram a casa da vítima já atirando. Lucivânio conseguiu sair de casa, mas foi atingido novamente na rua e morreu. Um dos comparsas que é menor e confessou o crime e apontou envolvidos. O outro parceiro, Valter Santos Santana Júnior, conhecido como 'Júnior Valter', foi morto recentemente em confronto com a polícia. 'Biscoitinho' matou também Alan Brito, em maio deste ano, no Mané Preto e a motivação seria disputa de grupos rivais de tráfico de drogas.
O segundo acusado, João Wellington dos Santos Júnior, 34 anos, o "João da Mata", foi preso no conjunto Bugio (zona oeste) e é acusado pela morte de Fernando Pinheiro Ferreira Santos, em março deste ano, na Avenida Euclides Figueiredo. A vítima foi alvejada na presença dos três filhos menores e ainda caída ao chão a vítima revelou a identidade dos autores para a companheira como motivação para cometer o crime seria disputa por pontos de tráfico de drogas em Socorro. O terceiro preso, Michel Oliveira dos Santos, 23 anos, também estava no Bugio e cometeu um homicídio em abril deste ano no Loteamento Estrela do Oriente, Bairro Olaria. A vítima foi Samuel Ramos dos Santos, 34 anos. De acordo com as investigações, a vítima foi alvejada em casa. 
Os presos na operação foram encaminhados à 4º DM. De acordo com o DHPP, não houve apreensão de armas, nem de drogas, pois o principal objetivo da ação foi dar cumprimento aos mandados de prisão preventiva. Além de forçar uma queda na criminalidade nos bairros da zona norte de Aracaju, a polícia quer apurar se outras pessoas estão envolvidas com os homicídios já investigados.