Caratecas sergipanos competem em Buenos Aires

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 17/11/2018 às 06:18:00

 

Uma delegação com 19 caratecas sergipanos, comandada pelo professor Yoakan Jócelis, está participando do VIII Campeonato Mundial de Artes Marciais, em Buenos Aires, Argentina. Além do caratê, há outras modalidades como may tai, kung fu, tae-kwon-do, handoo, entre outros. A competição vai até o dia 18, domingo.
O professor Yoakan Jócelis levou para Argentina atletas de ambos os sexos. Para ele, o fato da equipe estar participando já é um sucesso.  "Tudo isso está sendo possível, devido um grande projeto que os pais e atletas acreditaram e executamos desde 2016, como a venda de "squeezes" nos semáforos da zona sul de Aracaju", afirmou.
O professor agradece a todos que contribuíram para a viagem dos sergipanos. "Nesse momento agradecemos a todos sergipanos que contribuíram com o nosso projeto, pois essa é uma oportunidade ímpar para os atletas, inclusive os do "Projeto Fumaça Zero". Garotos que não tinham perspectiva nem de sair para um estado vizinho e hoje estão em outro país devido o esporte e sua força de vontade", disse Yoakan.
Ele lembra que os últimos três ambos foram de muito trabalho e alguns percalços. Isso porque alguém o denunciou por trabalho infantil - o fato de a equipe pedir ajudar vendendo "squeezes" nas sinaleiras.  Um promotor da Justiça do Trabalho foi até o local e verificou que não era nada disso. Mesmo assim, assinamos um acordo que somente os pais iriam fazer a venda. "Com isso estamos realizando o sonho desses garotos", ressaltou.

Uma delegação com 19 caratecas sergipanos, comandada pelo professor Yoakan Jócelis, está participando do VIII Campeonato Mundial de Artes Marciais, em Buenos Aires, Argentina. Além do caratê, há outras modalidades como may tai, kung fu, tae-kwon-do, handoo, entre outros. A competição vai até o dia 18, domingo.
O professor Yoakan Jócelis levou para Argentina atletas de ambos os sexos. Para ele, o fato da equipe estar participando já é um sucesso.  "Tudo isso está sendo possível, devido um grande projeto que os pais e atletas acreditaram e executamos desde 2016, como a venda de "squeezes" nos semáforos da zona sul de Aracaju", afirmou.
O professor agradece a todos que contribuíram para a viagem dos sergipanos. "Nesse momento agradecemos a todos sergipanos que contribuíram com o nosso projeto, pois essa é uma oportunidade ímpar para os atletas, inclusive os do "Projeto Fumaça Zero". Garotos que não tinham perspectiva nem de sair para um estado vizinho e hoje estão em outro país devido o esporte e sua força de vontade", disse Yoakan.
Ele lembra que os últimos três ambos foram de muito trabalho e alguns percalços. Isso porque alguém o denunciou por trabalho infantil - o fato de a equipe pedir ajudar vendendo "squeezes" nas sinaleiras.  Um promotor da Justiça do Trabalho foi até o local e verificou que não era nada disso. Mesmo assim, assinamos um acordo que somente os pais iriam fazer a venda. "Com isso estamos realizando o sonho desses garotos", ressaltou.