Secretaria de Saúde reúne municípios para treinamento em serviço de vigilância epidemiológica

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/11/2018 às 06:37:00

 

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com o Ministério da Saúde (MS), iniciou nesta segunda-feira, o EpiSus Fundamental, um treinamento em serviço de vigilância epidemiológica voltado para técnicos da área e da Atenção Básica de 25 municípios sergipanos onde a incidência da sífilis congênita é maior. O treinamento, que terá duração de três meses, será realizado em três etapas, com o objetivo de ampliar a visão para a epidemiologia de campo, segundo informou a coordenadora do Centro de Informações Estratégicas e Vigilância em Saúde da SES, Daniela Cabral Teixeira.
Também gerente do Núcleo das Doenças Transmissíveis da Vigilância Epidemiológica, Daniela Teixeira explicou que a epidemiologia de campo é a epidemiologia aplicada em serviços de saúde e salientou que o treinamento não vai tratar exclusivamente da sífilis, mas o tema terá uma abordagem específica, considerando estar o agravo em evidência, dado o crescimento do número de casos no Estado, especialmente nos municípios participantes do curso, a exemplo de Aracaju, Itabaiana, Itabaianinha, Estância, Lagarto e Umbaúba.  
Márcia Regina de Andrade, técnica do Ministério da Saúde, é a facilitadora do treinamento e, para ela, é fundamental fortalecer a vigilância epidemiológica a nível local. "A duração é de três meses, com a realização de três oficinas e trabalhos em campo. Na terceira oficina, serão apresentados e avaliados os resultados produzidos pelos alunos durante as atividades práticas", informou a facilitadora, acrescentando que o pessoal da área precisa estar capacitado para enfrentar qualquer dificuldade que venha a ser necessária a intervenção da vigilância Epidemiológica municipal.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com o Ministério da Saúde (MS), iniciou nesta segunda-feira, o EpiSus Fundamental, um treinamento em serviço de vigilância epidemiológica voltado para técnicos da área e da Atenção Básica de 25 municípios sergipanos onde a incidência da sífilis congênita é maior. O treinamento, que terá duração de três meses, será realizado em três etapas, com o objetivo de ampliar a visão para a epidemiologia de campo, segundo informou a coordenadora do Centro de Informações Estratégicas e Vigilância em Saúde da SES, Daniela Cabral Teixeira.
Também gerente do Núcleo das Doenças Transmissíveis da Vigilância Epidemiológica, Daniela Teixeira explicou que a epidemiologia de campo é a epidemiologia aplicada em serviços de saúde e salientou que o treinamento não vai tratar exclusivamente da sífilis, mas o tema terá uma abordagem específica, considerando estar o agravo em evidência, dado o crescimento do número de casos no Estado, especialmente nos municípios participantes do curso, a exemplo de Aracaju, Itabaiana, Itabaianinha, Estância, Lagarto e Umbaúba.  
Márcia Regina de Andrade, técnica do Ministério da Saúde, é a facilitadora do treinamento e, para ela, é fundamental fortalecer a vigilância epidemiológica a nível local. "A duração é de três meses, com a realização de três oficinas e trabalhos em campo. Na terceira oficina, serão apresentados e avaliados os resultados produzidos pelos alunos durante as atividades práticas", informou a facilitadora, acrescentando que o pessoal da área precisa estar capacitado para enfrentar qualquer dificuldade que venha a ser necessária a intervenção da vigilância Epidemiológica municipal.