Suspeito de matar menino em Santa Luzia é preso

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/11/2018 às 06:41:00

 

Policiais civis da Delegacia Regional de Estância e da Delegacia de Santa Luzia do Itanhy (Sul) prenderam neste domingo um homem suspeito de estuprar e matar o menino Juan da Conceição, seis anos, cujo corpo foi encontrado na semana passada em uma casa abandonada na sede do município. Ele foi encontrado em um matagal no povoado Murici, próximo a Salgado, e agredido por populares que chegaram a amarrá-lo com cordas e pendurá-lo em uma árvore, até a chegada dos policiais. Apesar de ter sido pego desta forma, a prisão do suspeito já tinha sido autorizada pelo Poder Judiciário. 
Segundo a delegada Gisele Theodoro Martins, o suspeito confessou o crime, mas ela ainda não pode trazer mais detalhes para não atrapalhar o andamento das investigações. "Assim que chegamos ao local do crime, junto com a perícia, iniciamos uma série de levantamentos e conversamos com pessoas da região. A casa do suspeito nos chamou bastante atenção, então solicitamos a entrada e fomos autorizados. Lá vimos alguns vestígios suspeitos que nos chamaram a atenção. Por conta disso, acionamos a perícia novamente. Depois das análises, o suspeito desapareceu da região. Por conta de tudo isso, nós decidimos solicitar um mandado de prisão temporária", explicou a delegada.
Ainda de acordo com Gisele, a Polícia Civil vai aguardar provas da perícia para respaldar o fato de ele ter confessado o crime.  "A perícia tem trabalhado de forma constante nesse caso e em breve poderemos ter novidades, pois algumas análises ainda estão pendentes. Assim que elas forem finalizadas, traremos outo detalhes do crime e da investigação, junto com a equipe da perícia", afirmou a delegada de Santa Luzia do Itanhy e da Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) de Estância.
Juan desapareceu no dia 11, quando saiu de casa para brincar na rua e foi achado morto no dia seguinte, em uma casa abandonada no dia seguinte. Logo no início das investigações, a delegada Gisele Martins confirmou que a vítima foi estuprada e assassinada com requintes de crueldade.
Fogo na casa - Por volta das 22h de domingo, logo após a prisão do acusado, a Polícia Militar foi avisada de que a casa do suspeito teria sido incendiada por populares. Equipes do Corpo de Bombeiros em Estância foram mobilizadas para controlar as chamas. Segundo a delegada responsável pelo caso, o incêndio é criminoso e também vai ser investigado, mas pelo menos dois suspeitos de provocarem o ataque serão investigados.  segundo ela existem dois suspeitos e a polícia vai investigar também esse crime. Ainda não houve prisões, mas alguns depoimentos serão ouvidos ao longo da semana.

Policiais civis da Delegacia Regional de Estância e da Delegacia de Santa Luzia do Itanhy (Sul) prenderam neste domingo um homem suspeito de estuprar e matar o menino Juan da Conceição, seis anos, cujo corpo foi encontrado na semana passada em uma casa abandonada na sede do município. Ele foi encontrado em um matagal no povoado Murici, próximo a Salgado, e agredido por populares que chegaram a amarrá-lo com cordas e pendurá-lo em uma árvore, até a chegada dos policiais. Apesar de ter sido pego desta forma, a prisão do suspeito já tinha sido autorizada pelo Poder Judiciário. 
Segundo a delegada Gisele Theodoro Martins, o suspeito confessou o crime, mas ela ainda não pode trazer mais detalhes para não atrapalhar o andamento das investigações. "Assim que chegamos ao local do crime, junto com a perícia, iniciamos uma série de levantamentos e conversamos com pessoas da região. A casa do suspeito nos chamou bastante atenção, então solicitamos a entrada e fomos autorizados. Lá vimos alguns vestígios suspeitos que nos chamaram a atenção. Por conta disso, acionamos a perícia novamente. Depois das análises, o suspeito desapareceu da região. Por conta de tudo isso, nós decidimos solicitar um mandado de prisão temporária", explicou a delegada.
Ainda de acordo com Gisele, a Polícia Civil vai aguardar provas da perícia para respaldar o fato de ele ter confessado o crime.  "A perícia tem trabalhado de forma constante nesse caso e em breve poderemos ter novidades, pois algumas análises ainda estão pendentes. Assim que elas forem finalizadas, traremos outo detalhes do crime e da investigação, junto com a equipe da perícia", afirmou a delegada de Santa Luzia do Itanhy e da Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) de Estância.
Juan desapareceu no dia 11, quando saiu de casa para brincar na rua e foi achado morto no dia seguinte, em uma casa abandonada no dia seguinte. Logo no início das investigações, a delegada Gisele Martins confirmou que a vítima foi estuprada e assassinada com requintes de crueldade.

Fogo na casa - Por volta das 22h de domingo, logo após a prisão do acusado, a Polícia Militar foi avisada de que a casa do suspeito teria sido incendiada por populares. Equipes do Corpo de Bombeiros em Estância foram mobilizadas para controlar as chamas. Segundo a delegada responsável pelo caso, o incêndio é criminoso e também vai ser investigado, mas pelo menos dois suspeitos de provocarem o ataque serão investigados.  segundo ela existem dois suspeitos e a polícia vai investigar também esse crime. Ainda não houve prisões, mas alguns depoimentos serão ouvidos ao longo da semana.