Ocupe a Praça celebrará a história da negritude sergipana nesta quarta-feira

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/11/2018 às 06:25:00

 

A Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju) preparou uma programação especial para lembrar a data 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra. Hoje, 21, o Ocupe a Praça, projeto idealizado pelo Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira (NPD), homenageará o ator Severo D'Acelino com o lançamento do livro 'Queloíde', a exibição de documentário sobre sua vida, e apresentações culturais de música, dança e recital de poemas. O tradicional evento da capital é realizado no Centro Cultural de Aracaju, na Praça General Valadão.
Intitulado 'Ocupe a Praça: Severo D'Acelino', o evento iniciará às 18 horas com a apresentação do homenageado contando sobre a construção do livro 'Quelóide', quinta obra de sua carreira como escritor. Há mais de 10 anos D'Acelino aguarda o momento certo para publicar parte de sua coletânea de quase três mil poemas. O livro contém 105 poemas que abordam a identidade e ancestralidade pessoal do fundador dos movimentos negros de Sergipe, Bahia e Alagoas. 
Após o bate-papo com Severo, a atividade continua no palco do Teatro João Costa com o 'Liquidifica Diálogos: História e Memória da Negritude Sergipana'. As convidadas para esta programação são: Ana Iris Lima dos Santos, pedagoga e Yá Ajaossiãn; Ìyálorixa Sônia Oliveira, representante da Comunidade Ojú Ifá Àsé Egbé Sergipano; e Carlos Trindade, fundador das entidades negras União dos Negros de Aracaju (UNA) e da Sociedade Afrosergipana de Estudos e Cidadania (SACI). 
Na sequência, o Ocupe a Praça exibirá para o público presente o documentário 'Severo D'Acelino: Revisitação', que conta, por meio de entrevistas, a trajetória de vida do ator, dramaturgo, coreógrafo, palestrante e pesquisador de assuntos afro-indígenas. O filme será projetado na sala de exibição Valmir Almeida.
Para fechar o evento, a Praça General Valadão será tomada pela recitação de poemas do livro Quelóide, com apresentação de dança e do grupo de música Maracatu Asè d'Orí, primeiro grupo de maracatu de baque virado de Sergipe e mais um grupo filho da Nação do Maracatu Porto Rico.
 
Programação completa:
18h Lançamento do livro Queloíde com Severo D'Acelino (Teatro João Costa)
18h30 Liquidifica Diálogos: "História e Memórias da Negritude Sergipana" (Teatro João Costa) com a Ìyálorixa Sônia Oliveira, representante da Comunidade Ojú Ifá Àsé Egbé Sergipano; Ana Iris Lima dos Santos, pedagoga e Yá Ajaossiãn; Carlos Trindade, fundador das entidades negras União dos Negros de Aracaju (UNA) e da Sociedade Afrosergipana de Estudos e Cidadania (SACI).
19h30 Exibição do documentário Severo D'Acelino: Revisitação, dirigido por Luciano Freitas (sala de exibição Valmir Almeida)
20h30 Apresentações culturais (Praça General Valadão)

A Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju) preparou uma programação especial para lembrar a data 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra. Hoje, 21, o Ocupe a Praça, projeto idealizado pelo Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira (NPD), homenageará o ator Severo D'Acelino com o lançamento do livro 'Queloíde', a exibição de documentário sobre sua vida, e apresentações culturais de música, dança e recital de poemas. O tradicional evento da capital é realizado no Centro Cultural de Aracaju, na Praça General Valadão.
Intitulado 'Ocupe a Praça: Severo D'Acelino', o evento iniciará às 18 horas com a apresentação do homenageado contando sobre a construção do livro 'Quelóide', quinta obra de sua carreira como escritor. Há mais de 10 anos D'Acelino aguarda o momento certo para publicar parte de sua coletânea de quase três mil poemas. O livro contém 105 poemas que abordam a identidade e ancestralidade pessoal do fundador dos movimentos negros de Sergipe, Bahia e Alagoas. 
Após o bate-papo com Severo, a atividade continua no palco do Teatro João Costa com o 'Liquidifica Diálogos: História e Memória da Negritude Sergipana'. As convidadas para esta programação são: Ana Iris Lima dos Santos, pedagoga e Yá Ajaossiãn; Ìyálorixa Sônia Oliveira, representante da Comunidade Ojú Ifá Àsé Egbé Sergipano; e Carlos Trindade, fundador das entidades negras União dos Negros de Aracaju (UNA) e da Sociedade Afrosergipana de Estudos e Cidadania (SACI). 
Na sequência, o Ocupe a Praça exibirá para o público presente o documentário 'Severo D'Acelino: Revisitação', que conta, por meio de entrevistas, a trajetória de vida do ator, dramaturgo, coreógrafo, palestrante e pesquisador de assuntos afro-indígenas. O filme será projetado na sala de exibição Valmir Almeida.
Para fechar o evento, a Praça General Valadão será tomada pela recitação de poemas do livro Quelóide, com apresentação de dança e do grupo de música Maracatu Asè d'Orí, primeiro grupo de maracatu de baque virado de Sergipe e mais um grupo filho da Nação do Maracatu Porto Rico. 

Programação completa:
18h Lançamento do livro Queloíde com Severo D'Acelino (Teatro João Costa)
18h30 Liquidifica Diálogos: "História e Memórias da Negritude Sergipana" (Teatro João Costa) com a Ìyálorixa Sônia Oliveira, representante da Comunidade Ojú Ifá Àsé Egbé Sergipano; Ana Iris Lima dos Santos, pedagoga e Yá Ajaossiãn; Carlos Trindade, fundador das entidades negras União dos Negros de Aracaju (UNA) e da Sociedade Afrosergipana de Estudos e Cidadania (SACI).
19h30 Exibição do documentário Severo D'Acelino: Revisitação, dirigido por Luciano Freitas (sala de exibição Valmir Almeida)
20h30 Apresentações culturais (Praça General Valadão)