Carminha toma posse e promete reabrir matadouro em Itabaiana

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Carminha Mendonça discursa na Câmara de Vereadores de Itabaiana
Carminha Mendonça discursa na Câmara de Vereadores de Itabaiana

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 21/11/2018 às 06:45:00

 

Gabriel Damásio
Depois de pouco mais 
de uma semana de 
impasses, a vice-prefeita de Itabaiana (Agreste), Maria do Carmo Mendonça, a 'Carminha Mendonça' (PSC), assumiu ontem o cargo de prefeita, ocupando interinamente o lugar de Valmir dos Santos Costa, o 'Valmir de Francisquinho'. A posse foi formalizada no final da manhã, em uma rápida e movimentada sessão solene na Câmara Municipal da cidade serrana. Diante dos vereadores, de aliados políticos e de familiares, a exemplo da irmã e deputada estadual Maria Mendonça (PSC), ela prestou juramento e assinou o livro de posse, fazendo em seguida um curto discurso. 
A posse de Carminha foi em cumprimento a uma decisão tomada no dia anterior pela juíza Taiane Danusa Gusmão Barroso Sande, da 2ª Vara Cível de Itabaiana, a qual determinou o afastamento imediato de Valmir e o bloqueio de seus bens. Ele foi preso em 7 de novembro, quando a Policia Civil e o Ministério Público de Sergipe (MPSE) deflagraram a 'Operação Abate Final'. Desde então, ele encontra-se detido no Presídio Militar (Presmil), em Aracaju, cumprindo ordem de prisão preventiva determinada pela Justiça. Pela manhã, ele assinou um pedido de licença do cargo, que foi entregue à Câmara por seu advogado, Fabiano Feitosa. A detenção do prefeito foi um dos argumentos alegados pela magistrada para garantir a posse de Carminha no cargo.
Em seu discurso, Carminha afirmou que a primeira prioridade a ser tomada na Prefeitura será a reabertura do matadouro, cujas atividades foram interrompidas desde o dia seguinte à prisão de Valmir, do secretário de Agricultura Erotildes de Jesus e de outras três pessoas ligadas à gestão do matadouro. A prefeita interina afirmou que já está analisando o caso e, a partir de hoje, deve formar uma comissão com vereadores e representantes dos marchantes, boiadeiros e fateiras que trabalham no local. "A prioridade é a reabertura do matadouro, que é municipal e de grande porte. Estou indo entrar em contato com os funcionários da Secretaria da Agricultura para gente formar uma comissão, elaborar um documento e levar ao Ministério Público e juiz para dar um norte e orientar a abertura. Espero que a partir da madrugada desta sexta, o matadouro volte a funcionar", garantiu.
A prefeita disse também que, com a elaboração do documento à Justiça, ela pretende sanar as irregularidades que existiam no funcionamento do matadouro, alvo de questionamentos do Ministério Público, em relação aos contratos de terceirização e à arrecadação de uma taxa de abate cobrada aos boiadeiros. Carminha se disse tranquila quanto ao desempenho de sua gestão e empenhada em desfazer a imagem negativa que foi criada à cidade por causa da prisão de Valmir. Ao lamentar a prisão do antigo aliado, ela disse que sua gestão à frente da prefeitura de Itabaiana "será momentânea" e disse ter o desejo de que ele retorne à cidade e "prove que não errou". 

Depois de pouco mais  de uma semana de  impasses, a vice-prefeita de Itabaiana (Agreste), Maria do Carmo Mendonça, a 'Carminha Mendonça' (PSC), assumiu ontem o cargo de prefeita, ocupando interinamente o lugar de Valmir dos Santos Costa, o 'Valmir de Francisquinho'. A posse foi formalizada no final da manhã, em uma rápida e movimentada sessão solene na Câmara Municipal da cidade serrana. Diante dos vereadores, de aliados políticos e de familiares, a exemplo da irmã e deputada estadual Maria Mendonça (PSC), ela prestou juramento e assinou o livro de posse, fazendo em seguida um curto discurso. 
A posse de Carminha foi em cumprimento a uma decisão tomada no dia anterior pela juíza Taiane Danusa Gusmão Barroso Sande, da 2ª Vara Cível de Itabaiana, a qual determinou o afastamento imediato de Valmir e o bloqueio de seus bens. Ele foi preso em 7 de novembro, quando a Policia Civil e o Ministério Público de Sergipe (MPSE) deflagraram a 'Operação Abate Final'. Desde então, ele encontra-se detido no Presídio Militar (Presmil), em Aracaju, cumprindo ordem de prisão preventiva determinada pela Justiça. Pela manhã, ele assinou um pedido de licença do cargo, que foi entregue à Câmara por seu advogado, Fabiano Feitosa. A detenção do prefeito foi um dos argumentos alegados pela magistrada para garantir a posse de Carminha no cargo.
Em seu discurso, Carminha afirmou que a primeira prioridade a ser tomada na Prefeitura será a reabertura do matadouro, cujas atividades foram interrompidas desde o dia seguinte à prisão de Valmir, do secretário de Agricultura Erotildes de Jesus e de outras três pessoas ligadas à gestão do matadouro. A prefeita interina afirmou que já está analisando o caso e, a partir de hoje, deve formar uma comissão com vereadores e representantes dos marchantes, boiadeiros e fateiras que trabalham no local. "A prioridade é a reabertura do matadouro, que é municipal e de grande porte. Estou indo entrar em contato com os funcionários da Secretaria da Agricultura para gente formar uma comissão, elaborar um documento e levar ao Ministério Público e juiz para dar um norte e orientar a abertura. Espero que a partir da madrugada desta sexta, o matadouro volte a funcionar", garantiu.
A prefeita disse também que, com a elaboração do documento à Justiça, ela pretende sanar as irregularidades que existiam no funcionamento do matadouro, alvo de questionamentos do Ministério Público, em relação aos contratos de terceirização e à arrecadação de uma taxa de abate cobrada aos boiadeiros. Carminha se disse tranquila quanto ao desempenho de sua gestão e empenhada em desfazer a imagem negativa que foi criada à cidade por causa da prisão de Valmir. Ao lamentar a prisão do antigo aliado, ela disse que sua gestão à frente da prefeitura de Itabaiana "será momentânea" e disse ter o desejo de que ele retorne à cidade e "prove que não errou".