Governo decreta estado de emergência nas unidades socioeducativas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/11/2018 às 06:41:00

 

O governo estadual decretou situação de emergência nas três unidades socioeducativas administradas pela Fundação Renascer: o Centro de Atendimento ao Menor (Cenam), na Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip) e na Comunidade de Ação Socioeducativa São Francisco de Assis - CASE e CASE II. A decisão foi publicada na edição de ontem do Diário Oficial do Estado e busca, segundo o órgão, "minimizar burocracias administrativas".
A justificativa do Estado é a superlotação das tres unidades, que chegam a ter o triplo de internos além da capacidade física máxima delas, além do número insuficiente de socioeducadores pertencentes ao quadro pessoal da repartição. Tanto o Cenam quanto a Usip foram interditadas pela Justiça e estãso proibidas de receber novos internos, mas, segundo o presidente da Renascer, Wellington Mangueira, os adolescentes infratores que são internados por ordem do próprio Judiciário estão sendo acolhidos em outros espaços físicos, a exemplo das duas unidades do Case. 
A assessoria da Renascer informa que o serviço de internamento e atendimento vai continuar sendo realizado normalmente, e que, devido ao decreto a expectativa é que a nova unidade socioeducativa, construída no conjunto Marcos Freire II, em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju), funcione até o dia 30 de novembro deste ano. O governo já havia decretado a situação de emergência nas unidades em maio deste ano. O decreto diz que a situação de emergência vai vigorar por 180 dias.

O governo estadual decretou situação de emergência nas três unidades socioeducativas administradas pela Fundação Renascer: o Centro de Atendimento ao Menor (Cenam), na Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip) e na Comunidade de Ação Socioeducativa São Francisco de Assis - CASE e CASE II. A decisão foi publicada na edição de ontem do Diário Oficial do Estado e busca, segundo o órgão, "minimizar burocracias administrativas".
A justificativa do Estado é a superlotação das tres unidades, que chegam a ter o triplo de internos além da capacidade física máxima delas, além do número insuficiente de socioeducadores pertencentes ao quadro pessoal da repartição. Tanto o Cenam quanto a Usip foram interditadas pela Justiça e estãso proibidas de receber novos internos, mas, segundo o presidente da Renascer, Wellington Mangueira, os adolescentes infratores que são internados por ordem do próprio Judiciário estão sendo acolhidos em outros espaços físicos, a exemplo das duas unidades do Case. 
A assessoria da Renascer informa que o serviço de internamento e atendimento vai continuar sendo realizado normalmente, e que, devido ao decreto a expectativa é que a nova unidade socioeducativa, construída no conjunto Marcos Freire II, em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju), funcione até o dia 30 de novembro deste ano. O governo já havia decretado a situação de emergência nas unidades em maio deste ano. O decreto diz que a situação de emergência vai vigorar por 180 dias.