Vacinação contra a Febre Aftosa acontece até 30 de novembro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/11/2018 às 06:47:00

 

Sergipe já iniciou a se-
gunda etapa da cam-
panha de vacinação contra a febre aftosa, cuja meta é imunizar, ao longo do mês, todo o rebanho de bovinos e bubalinos com idade de até 24 meses de vida. Sergipe entrou no seu 23º ano sem a presença da doença, se tornando referência no país em manutenção do status como área livre da Febre Aftosa.
A vacinação é obrigatória a todos os criadores de gados e bubalinos, que deverão adquirir suas vacinas nos estabelecimentos cadastrados junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), de forma a evitar prejuízos ao estado, já que a febre aftosa é uma das doenças infecciosas mais contagiosas dos animais e acomete animais biungulados (de casco fendido) como: bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos e suínos.
A febre aftosa tem grande importância social e econômica, e seu impacto prejudica produtores, empresários e toda a sociedade. Tais impactos envolvem prejuízos diretos e indiretos, e podem compreender desde a redução nos preços até a suspensão das exportações para alguns países, causando prejuízos econômicos a todos os segmentos da cadeia produtiva, além de custos adicionais públicos e privados para adoção de medidas para conter o foco e retomar o status sanitário.
O papel da Emdagro é garantir, por meio da realização de diversas atividades, como vacinação obrigatória de bovinos e bubalinos, vigilância em propriedades rurais, georreferenciamento de fazendas, realização de inquéritos soroepidemiológicos, controle do trânsito, manutenção de sistema eficaz de vigilância epidemiológica, treinamento e capacitação do corpo técnico para atuação em emergências sanitárias, e estímulo à participação comunitária na defesa sanitária animal.

Sergipe já iniciou a se- gunda etapa da cam- panha de vacinação contra a febre aftosa, cuja meta é imunizar, ao longo do mês, todo o rebanho de bovinos e bubalinos com idade de até 24 meses de vida. Sergipe entrou no seu 23º ano sem a presença da doença, se tornando referência no país em manutenção do status como área livre da Febre Aftosa.
A vacinação é obrigatória a todos os criadores de gados e bubalinos, que deverão adquirir suas vacinas nos estabelecimentos cadastrados junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), de forma a evitar prejuízos ao estado, já que a febre aftosa é uma das doenças infecciosas mais contagiosas dos animais e acomete animais biungulados (de casco fendido) como: bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos e suínos.
A febre aftosa tem grande importância social e econômica, e seu impacto prejudica produtores, empresários e toda a sociedade. Tais impactos envolvem prejuízos diretos e indiretos, e podem compreender desde a redução nos preços até a suspensão das exportações para alguns países, causando prejuízos econômicos a todos os segmentos da cadeia produtiva, além de custos adicionais públicos e privados para adoção de medidas para conter o foco e retomar o status sanitário.
O papel da Emdagro é garantir, por meio da realização de diversas atividades, como vacinação obrigatória de bovinos e bubalinos, vigilância em propriedades rurais, georreferenciamento de fazendas, realização de inquéritos soroepidemiológicos, controle do trânsito, manutenção de sistema eficaz de vigilância epidemiológica, treinamento e capacitação do corpo técnico para atuação em emergências sanitárias, e estímulo à participação comunitária na defesa sanitária animal.