Sergipe tem 94 vagas para o Mais Médicos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/11/2018 às 06:51:00

 

Um ataque cibernético forçou o Governo Federal a tornar indisponível o acesso ao portal destinado ao cadastro de profissionais da medicina interessados em pleitear uma das mais de oito mil oportunidades de emprego que envolvem diretamente o Programa Mais Médicos. De acordo com o Ministério da Saúde (MS), somente no início da manhã de ontem foi possível identificar um acesso simultâneo superior a casa de um milhão de acessos, o que, segundo análise operacional do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (SUS), caracteriza-se em intervenção irregular. Técnicos da Empresa Brasileira de Telecomunicações (Embratel), foram acionados para combater o ataque.
Dos 75 municípios sergipanos, 35 são beneficiados diretamente pelo programa criado durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Por se tratar de um sistema público, essas cidades recebem moradores de outros municípios, os quais buscam atendimento. Para recompor essa perda sofrida pelo Estado de Sergipe, o Governo Federal disponibiliza 94 vagas que estarão diretamente ligadas à Secretaria de Estado da Saúde (SES). Minutos antes do setor de inteligência Federal ter identificado a ação cibernética, exatos 3.336 médicos já haviam preenchido o cadastro de interesse em aderir ao programa. Não foi possível catalogar os profissionais interessados em atuar em Sergipe. (Milton Alves Júnior)

Um ataque cibernético forçou o Governo Federal a tornar indisponível o acesso ao portal destinado ao cadastro de profissionais da medicina interessados em pleitear uma das mais de oito mil oportunidades de emprego que envolvem diretamente o Programa Mais Médicos. De acordo com o Ministério da Saúde (MS), somente no início da manhã de ontem foi possível identificar um acesso simultâneo superior a casa de um milhão de acessos, o que, segundo análise operacional do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (SUS), caracteriza-se em intervenção irregular. Técnicos da Empresa Brasileira de Telecomunicações (Embratel), foram acionados para combater o ataque.
Dos 75 municípios sergipanos, 35 são beneficiados diretamente pelo programa criado durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Por se tratar de um sistema público, essas cidades recebem moradores de outros municípios, os quais buscam atendimento. Para recompor essa perda sofrida pelo Estado de Sergipe, o Governo Federal disponibiliza 94 vagas que estarão diretamente ligadas à Secretaria de Estado da Saúde (SES). Minutos antes do setor de inteligência Federal ter identificado a ação cibernética, exatos 3.336 médicos já haviam preenchido o cadastro de interesse em aderir ao programa. Não foi possível catalogar os profissionais interessados em atuar em Sergipe. (Milton Alves Júnior)